Cupcake

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cupcakes de chocolate.

Bolo de copo,[1] bolo de forminha[2] [3] ou cupcake (em inglês), é um pequeno bolo designado para servir uma única pessoa, frequentemente assado em um pequeno copo de papel alumínio.[4]

História[editar | editar código-fonte]

A primeira menção do cupcake que se tem notícia é de 1796, quando uma anotação de receita de "um bolo para ser assado em pequenas xícaras" foi escrito em "Culinária Americana" por Amelia Simms.[5] Em 1996, foi aberta a primeira cupcakeria em Nova York, aumentando a popularidade do cupcake. Marcado em cenas de filmes hollywoodianos, como O Diabo Veste Prada, Mulheres Perfeitas e Sex and the City, o cupcake tornou-se fonte de renda para confeiteiros e fãs de gastronomia.[6]

O cupcake popularizou-se, ganhando espaço em festas infantis, chás de bebê e casamentos. Em muitos casos chegam a substituir os tradicionais bem-casados.[7] Ainda existe uma confusão entre o cupcake e o muffin. A diferença está na massa, pois a textura da massa do cupcake é mais leve, similar à de um bolo macio.[4]

Expansão do comércio no Brasil[editar | editar código-fonte]

Ao longo dos anos, o cupcake ganhou popularidade entre os brasileiros. Para aumentar o faturamento, os empreendedores passaram a combinar a comercialização dos bolinhos com brownies, brigadeiros e até pipocas com cobertura de chocolate. Algumas marcas especializaram-se em vendas de cupcakes para o mercado corporativo, fornecendo os bolinhos para eventos e muitos empreendedores optaram pelo sistema de franquias, montando quiosques em shoppings.[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Jornal da Cidade (6 de janeiro de 2010). «Casa Kids traz diversão para as crianças». Arquivado desde o original em 6 de dezembro de 2014. Consultado em 6 de dezembro de 2014. 
  2. Susan Dominus (21 de novembro de 2008). «Menino não: eu sou é crítico!». O Estado de S. Paulo. Arquivado desde o original em 6 de dezembro de 2014. Consultado em 6 de dezembro de 2014. 
  3. Eduardo Maia (1º de setembro de 2011). «A (imensa) diferença entre a comida servida nas classes econômica e executiva de 11 companhias aéreas». Extra. Arquivado desde o original em 6 de dezembro de 2014. Consultado em 6 de dezembro de 2014. 
  4. a b Correio Braziliense (7 de novembro de 2013). «Conheça a diferença entre cupcakes e muffins». Diário de Pernambuco. Arquivado desde o original em 6 de dezembro de 2014. Consultado em 6 de dezembro de 2014. 
  5. Lynne Olver (4 de agosto de 2014). «The Food Timeline» (em inglês). Arquivado desde o original em 6 de dezembro de 2014. Consultado em 6 de dezembro de 2014. 
  6. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) (9 de setembro de 2014). «De besta não tem nada». Arquivado desde o original em 6 de dezembro de 2014. Consultado em 6 de dezembro de 2014. 
  7. A Voz da Cidade (28 de outubro de 2014). «O lucrativo mundo dos doces». Arquivado desde o original em 6 de dezembro de 2014. Consultado em 6 de dezembro de 2014. 
  8. Camila Lam (9 de agosto de 2012). «Cupcakes ainda são opção de negócio, mas exigem criatividade». Exame.com. Consultado em 2 de março de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cupcake
Ícone de esboço Este artigo sobre culinária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.