Cirilo Volkmar Machado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cyrillo Volkmar Machado)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Cyrillo Volkmar Machado (Lisboa, 1748 — 1823), também escrito Cirilo Volkmar Machado, foi um pintor, escultor e arquiteto português. Considera-se ter sido o primeiro historiador da arte portuguesa.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Última Ceia (1814), Cirilo Volkmar Machado (Igreja de São Sebastião da Pedreira, Lisboa)

Pintor que viveu entre 1748 e 1823, tendo sido discípulo do tio, João Pedro Volkmar, estudou em Roma e de regresso a Portugal, tentou criar uma Academia do Nú. Pintou painéis e tetos em igrejas, palácios, casas nobres, e edifícios públicos. É de sua autoria o projeto da Cadeia da Relação do Porto. Executou também algumas pinturas na remodelação do Palácio Nacional de Mafra, no Palácio do Grilo, e no Palácio Nacional da Ajuda, nomeadamente alguns tetos. Nas obras do Palácio da Ajuda, foi sempre consultado em aspetos relativos à pintura e arquitetura, tendo apresentado um projeto de remate da fachada.[3]

Reuniu uma extensa coleção de memórias sobre pintores, escultores e arquitetos trabalhando em Portugal, que foram publicadas postumamente no livroː

Collecção de memórias, relativas às vidas dos pintores, e escultores, architetos, e gravadores portuguezes, e dos estrangeiros, que estiverão em Portugal.

Sendo tal trabalho inédito, o editor escreveu no início desse livroː

[4]

Pintura mural no tecto da Sala da Academia do Palácio do Grilo, sec. XVIII. Autoria de Cirilo Volkmar Machado

Julgamos fazer à Pátria, e à Glória Nacional algum serviço publicando estas Memórias, que seu Autor recolheu com sumo trabalho, e que a sua modéstia, enatural encolhimento não ousou publicar em sua vida. Ninguém poderá duvidar que são muito escassas, e até inéditas as notícias de todos aqueles Artistas, que enobreceram a Nação por meio de suas Obras, quando os Vasaris, Rafaeis Sopranes, Rossis, Leonardos da Vinci, e Palominos se ocuparam em deixarem à posterioridade um monumento precioso, tem havido entre nós o mais ingrato silêncio, não perpetuando a memória de muitos Portugueses nelas insignes.

"Cyrillo Volkmar Machado" é o título da 27.ª carta que o conde Atanazy Raczyński, representante do governo prussiano em Portugal, escreveu no seu manuscrito sobre a arte em Portugal.[5]Sócio correspondente da Academia Tubuciana de Abrantes, fundada em 1802.

Obras escritas[editar | editar código-fonte]

  • Collecção de memórias, relativas às vidas dos pintores, e escultores, architetos, e gravadores portuguezes, e dos estrangeiros, que estiverão em Portugal. Lisboa : Imprensa de Victorino Rodrigues da Silva, 1823.
  • Conversações sobre a pintura, escultura, e architectura. Lisboa : Oficina de Simão Thaddeo Ferreira, 1794-1798:
  • Nova academia de pintura : dedicada às senhoras portuguezas que amão ou se applicão ao estudo das Bellas Artes. Lisboa : Impressão Regia, 1817.

Referências

  1. A obra de Cirilo Volkmar Machado no Palácio Nacional de Mafra, apresentada pelo próprio, in Monumento de Mafra Virtual. [1]
  2. Memória histórica da Academia Tubuciana de Abrantes e seus primeiros sócios, Paulo Falcão Tavares, 2019, Academia Tubuciana de Abrantes
  3. Cirilo Volkmar Machado, in Artigos de apoio Infopédia. Porto Editora, 2003-2017. (consult. 2017-08-03). [2]
  4. Collecção de memórias, relativas às vidas dos pintores, e escultores, architetos, e gravadores portuguezes, e dos estrangeiros, que estiverão em Portugal. Lisboa, Impr. Victorino Rodrigues da Silva, 1823. [3]
  5. A. Raczynskiː "Les arts en Portugal". Editado por Jules Renouard et Cª. Paris, 1846. [4]
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.