Deathstars

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Deathstars
Deathstars 6 October 2006.jpg
Deathstars se apresentando na Itália em 2006
Informação geral
Origem Strömstad
País  Suécia
Gênero(s) Metal industrial,[1]gothic metal[2]
Período em atividade 2000 - presente
Gravadora(s) Nuclear Blast
Integrantes Nightmare Industries
Whiplasher Bernadotte
Skinny Disco
Cat Casino
Nitro
Ex-integrantes Beast X Electric
Bone W. Machine
Página oficial Deathstars.net

Deathstars é uma banda sueca de metal industrial de Strömstad, formada em 2000. O grupo é conhecido por seu horror sombrio - letras e temáticas industriais, comentários sociais pessimistas e misantrópicos, maquiagens, uniformes de palco e visuais góticos. A banda também usa pseudônimos.

A formação atual da banda consiste principalmente de membros do Swordmaster, um projeto de black metal que tem ex-membros do Dissection e Ophthalamia. Atualmente, a banda consiste em Whiplasher Bernadotte (vocais), Nightmare Industries (guitarra e teclados) e Skinny Disco (baixo e vocal de apoio).

História[editar | editar código-fonte]

Formação, Synthetic Generation (2000–2003)[editar | editar código-fonte]

Os membros da banda se conhecem desde a infância depois de crescerem em Strömstad. Alguns músicos próximos e membros da banda consideraram o Deathstars como uma versão "metamorfoseada" do ato de black metal fundado em 1993, Swordmaster, com o ex- baterista do Dissection Ole Öhman ("Bone Wa Machine") e o guitarrista Emil Nödtveidt ("Nightmare Industries"). Emil também é irmão do falecido vocalista Jon Nödtveidt, do Dissection. O Deathstars é liderado por Andreas Bergh ("Whiplasher Bernadotte") e teve Erik Halvorsen ("Beast X Electric") na guitarra. A banda assumiu uma imagem radical e uma mudança na direção musical no álbum de estreia Synthetic Generation. De acordo com a Nightmare Industries em uma entrevista, o nome "Deathstars" nunca foi destinado a ser uma referência à "Estrela da Morte" em Star Wars, mas na verdade deveria ser uma amálgama de "Death Metal" e "Estrelas".[3] Eles citam bandas como Kiss como inspiração inicial, em parte por suas maquiagens, e foram recentemente comparados a Rammstein, The Kovenant e Marilyn Manson.

O álbum Synthetic Generation apareceu pela primeira vez na Suécia em março de 2002 na LED Recordings, mas seria escolhida para lançamento na Europa pela gravadora alemã Nuclear Blast no ano seguinte.

Originalmente, apenas um baixista ao vivo do Deathstars, Jonas Kangur ("Skinny Disco") tornou-se membro oficial em 1 de outubro de 2003.

Antes do lançamento de Synthetic Generation, várias demos foram gravadas, duas das quais estão disponíveis gratuitamente na internet; "Razor End" e "Black Medicine". "Razor End" é o mais incomum, pois é uma música com fortes vocais femininos, e é mais como um material de Synthetic Generation, enquanto "Black Medicine", pode ser descrito como apresentando partes de músicas futuras, como "The Last Ammunition", "Tongues" e "Blitzkrieg" do segundo álbum de estúdio, Termination Bliss.

Termination Bliss, novo line-up (2004–2006)[editar | editar código-fonte]

Os planos para iniciar a gravação de um segundo álbum em junho de 2004 foram adiados, pois, voltando para casa após uma aparição no festival Wave Gotik Treffen em Leipzig, na Alemanha, a banda teve mais de $15.000 em equipamentos roubados do ônibus da turnê. Mais tarde, a banda conseguiu o apoio do Dissection em seu show em Estocolmo, Lilla Arenan, no final de outubro.

O Deathstars realizou gravações de álbuns no início de 2005 no estúdio Black Syndicate da banda para o álbum Termination Bliss.

Em atividades externas, Emil Nodtveidt e o baixista Skinny Disco conseguiram créditos de produção no último álbum do Dissection, Reinkaos, antes do suicídio do vocalista Jon Nödtveidt.

O guitarrista Erik Halvorsen deixou a banda em agosto, citando "falta de entusiasmo".

Termination Bliss foi lançado em janeiro de 2006. As variantes da edição limitada adicionaram um remix "Driven On" da faixa "Blitzkrieg".

A banda apoiou o Cradle of Filth em sua turnê de 2006 pela Europa.

Em setembro de 2006, o site do Deathstars anunciou que Eric Bäckman ("Cat Casino") agora era um guitarrista em tempo integral.

Em Setembro de 2007 é anunciado no site da banda que vão abrir os concertos do Korn, durante Janeiro e Fevereiro de 2008. Ole Öhman (Bone W. Machine) não participou nesta tour devido à razões pessoais.

Night Electric Night (2007–2012)[editar | editar código-fonte]

A 29 de Outubro de 2007, o Deathstars começa a gravar o álbum Night Electric Night, lançado oficialmente em 30 de Janeiro de 2009. Neste álbum de estúdio, o produtor e guitarrista do Deathstars, Nightmare Industries, escreveu a música "Via The End" quando soube do suicídio de seu irmão, Jon Nödtveidt.

Ainda em 2009, participaram da Tour "Into Darkness", no qual Bone W. Machine machucou seu cotovelo, e não participou de uma parte da Tour, sendo substituído por Oscar "Thunder DeLaRenta" Leander, da banda Crescendolls. Bone W. Machine chegou a tocar na mesma Tour, depois que seu braço ficou comprometido, que depois, Skinny Disco o elogiou muito, afirmando ser um guerreiro, pois tocou boa parte do show, diante de uma dor severa.[carece de fontes?] Porém não demorou muito, pois Bone anunciou a sua saída da banda, sendo substituído pelo baterista Vice.

A banda fez uma seleção de suas músicas chamada Greatest Hits on Earth, com duas faixas exclusivas: "Death is Wasted on the Dead" e "Metal".

Recentemente, Deathstars fez os shows da nova turnê com a banda alemã Rammstein. Após a turnê, Cat decidiu sair da banda para se dedicar aos seus projetos pessoais.

Membros[editar | editar código-fonte]

Atuais[editar | editar código-fonte]

Ex-intregrantes[editar | editar código-fonte]

Fundadores[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

  • Decade of Debauchery (2010)
  • The Greatest Hits On Earth (2011)

Nota: Este foi um álbum lançado com a compilação das melhores músicas dos álbuns Synthetic Generation (2002) Termination Bliss (2006) e Night Electric Night, com o acréscimo de duas músicas novas, "Death is Wasted on the Dead" e "Metal". O vídeo da canção "Metal" também ficou disponível após o lançamento do CD. O intuito do lançamento deste álbum era comemorar a mega-turnê que o Deathstars viria à fazer com a banda Rammstein.[carece de fontes?]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Deathstars: Equipment Theft Forces Delay In Album Recording Sessions». Blabbermouth.net. 1 June 2004. Consultado em 7 November 2015  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  2. Birchmeier, Jason. «Deathstars». Allmusic. Consultado em 7 November 2015  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. «DEATHSTARS - Interview». YouTube. 11 de dezembro de 2006. Consultado em 23 de outubro de 2011 
Flag of Sweden.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical da Suécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.