Dissection

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dissection
Dissection @ Wacken 2005.jpg
Nödtveidt e Teitan no Wacken 2005.
Informação geral
Origem Strömstad
País  Suécia
Gênero(s) Black metal
black metal melódico
death metal melódico (mais tarde)
Período em atividade 1989–1997, 2004–2006
Gravadora(s) Black Horizon Records
Integrantes Jon Nödtveidt - vocal/guitarra
Set Teitan - guitarra
Erik Danielsson - baixo
Tomas Asklund - bateria
Ex-integrantes Ole Öhman - bateria
Peter Palmdahl - baixo
Tobias Kjellgren - bateria
John Zwetsloot - guitarra
Johan Norman - guitarra
Emil Nödtveidt - baixo
Brice LeClercq - baixo
Hakon Forwald - baixo
Página oficial www.dissection.nu

Dissection foi uma banda de black metal da Suécia formada em 1989 pelo guitarrista e vocalista Jon Nödtveidt. A princípio a proposta da banda era fazer um Death metal com influências de black metal melódico, mas com o tempo, o grupo acabou se tornando apenas de black metal melódico, mantendo a temática da banda, que girava em torno de ocultismo, satanismo, trevas e morte. No dia 13 de agosto de 2006, o seu fundador, Jon Nödtveidt, cometeu suicídio, o que consequentemente levou ao fim da banda.[1][2]

História[editar | editar código-fonte]

Primeira era[editar | editar código-fonte]

O Dissection foi uma conhecida banda de black metal/death metal melódioco formada em 1989 em Strömstad, Suécia, pelo compositor/guitarrista/vocalista Jon Nödtveidt.

Em 1988, na pequena cidade sueca de Strömstad, foi formada uma banda de thrash metal com o nome de Siren’s Yell. Seus membros eram Jon Nödtveidt, Ole Öhman, Peter Palmdahl, e Mattias Johansson. O grupo gravou apenas uma demo antes de se separar em 1989. Nödveidt e Öhman continuaram tocando na banda Rabbit’s Carrot, na qual reclamavam de nunca se sentirem em casa (especialmente Nödveidt). Nödveidt aprendendia cada vez mais sobre death metal e outros estilos de música extrema envolvida com black metal.

O Dissection foi oficialmente formado no outono de 1989 por Nödveidt. Mas a formação do Dissection ainda não estava pronta até o início do próximo ano, quando o guitarrista John Zwetsloot entrou para a banda.

Em 1990, o grupo fez seu primeiro show, junto com o Entombed. No mesmo ano, eles também gravaram e lançaram a primeira demo, “The Grief Prophecy”. Ela contava com três sons e a ilustração de capa feita pelo artista conhecido como Necrolord, que desde o início criou as artes dos álbuns do Dissection. Uma edição especial de “The Grief Prophecy” foi mais tarde lançada em memória de Dead (membro e vocalista da banda norueguesa de black metal Mayhem) que se suicidou em 1991. O lançamento especial trazia na capa um desenho feito por Dead. O Dissection tocou um show em sua honra, no qual executaram um som do Mayhem, “Freezing Moon”. “The Grief Prophecy” se espalhou rapidamente pela região e a gravadora francesa Corpsegrinder Records ofereceu ao Dissection um contrato para gravar um EP. Depois daquele ano, a banda aceitou o contrato e gravou “Into Infinite Obscurity” e continuou sua tour.

Em 1992, o Dissection começou o trabalho de seu primeiro álbum, The Somberlain[3]. Por problemas de coordenação entre os membros, a banda mudou-se para Gotemburgo, ao sul da Suécia (onde dividiram um espaço de gravação com o At the Gates) no verão de 1993. O álbum foi terminado e lançado em dezembro daquele ano. Ele foi formalmente dedicado à Euronymous, guitarrista do Mayhem, que foi assassinado no início daquele mesmo ano. A banda fez uma participação em uma coletânea da Peaceville Records.

Em novembro de 1994, o Dissection assinou um contrato de gravação com a já conhecida gravadora Nuclear Blast Records. Em 1995, o segundo álbum da banda, entitulado Storm of the Light’s Bane[4] foi lançado. No ano seguinte, a banda também lançou um pequeno EP chamado “Where Dead Angels Lie (EP)[5]. Esse EP mais tarde foi relançado em edições raras e importadas, contendo apenas covers e faixas da primeira demo.

Pausa e retorno[editar | editar código-fonte]

Em 1997, Jon Nödtveidt foi sentenciado por ajudar a matar um homossexual de 38 anos em Gotemburgo. Ele foi solto no outono de 2004. Neste momento, Nödtveidt reformulou o Dissection, que agora contava com Sethlans Teitan na guitarra, Brice Leclercq no baixo (mais tarde substituído por Erik Danielsson para shows) e Tomas Asklund na bateria. Gravou um single de duas faixas entitulado “Maha Kali”. Após o lançamento, saíram em uma grande turnê, batizada de “The Rebirth of Dissection”, que posteriormente teve um show lançado em vídeo[6].

O Dissection sofreu uma transformação musical após Jon Nödtveidt sair da prisão. O estilo de som, que era mais em uma combinação de death metal e black metal em seus dois primeiros álbuns, mudou para um death metal melódico no novo álbum lançado, (Reinkaos).

Em 2006, o Dissection lançou seu terceiro álbum de estúdio “Reinkaos”[7] através da própria gravadora em associação com a The End Records. As letras no álbum “Reinkaos” possuem “fórmulas mágicas” e são baseadas nos ensinamentos da “Misanthropic Luciferian Order”, da qual Nödtveidt e alguns outros grupos eram membros.

Fim[editar | editar código-fonte]

Pouco depois do lançamento de Reinkaos, em maio de 2006, em uma entrevista on-line, o Dissection anunciou seus planos de se separar após a turnê, que incluía duas datas nos Estados Unidos que acabaram sendo canceladas.

O último show foi em 24 de junho de 2006, em Estocolmo. Como Jon explicou em uma entrevista : ”…com Reinkaos nós alcançamos o capítulo final. O trabalho do Dissection está feito e esse é o nosso legado.”

Suicídio de Nödtveidt[editar | editar código-fonte]

Jon Nödtveidt, aos 31 anos, cometeu suicídio atirando em si mesmo em algum momento entre 13 e 16 de agosto de 2006. A polícia sueca achou o corpo em seu apartamento no dia 16 de agosto ao lado de uma cópia do Liber Azerate. De acordo com algumas pessoas que o conheciam, ele já provavelmente planejara isso desde o momento em que deixou a prisão.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Última formação[editar | editar código-fonte]

Membros antigos[editar | editar código-fonte]

Guitarra
  • Mattias "Mäbe" Johansson(1990) (sessão/ao vivo)
  • John Zwetsloot (1991–1994)
  • Johan Norman (1994–1997)
Bateria
  • Ole Öhman (1990–1995)
  • Tobias Kjellgren (1995–1997)
Baixo
  • Peter Palmdahl (1989–1997)
  • Emil Nödtveidt (1997) (sessão/ao vivo)
  • Brice LeClercq (2004–2005)
  • Hakon Forwald (2005)
  • Erik Danielsson (2005–2006) (sessão/ao vivo)

Discografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Dissection». ANUS.COM. Consultado em 31 de Dezembro de 2012 
  2. «DISSECTION - SWEDEN». Metallian. Consultado em 31 de Dezembro de 2012 
  3. «The Somberlain no Allmusic». allmusic.com. Consultado em 16 de junho de 2019 
  4. «Storm of the Light's Bane no Allmusic». allmusic.com. Consultado em 16 de junho de 2019 
  5. «Where Dead Angels Lie no Allmusic». allmusic.com. Consultado em 16 de junho de 2019 
  6. «Rebirth of Dissection no Allmusic». allmusic.com. Consultado em 16 de junho de 2019 
  7. «Reinkaos no Allmusic». allmusic.com. Consultado em 16 de junho de 2019 
Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Dissection