Diocese de Marabá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Diocese de Marabá
Marabensis
Localização
País Brasil
Arquidiocese metropolitana Arquidiocese de Belém do Pará
Estatísticas
Área 81.832 km²
Informação
Rito romano
Criação 18 de julho de 1911 (110 anos)
Padroeiro(a) Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
Governo da diocese
Bispo Vital Corbellini
Jurisdição diocese
Página oficial diocesedemaraba.com.br
dados em catholic-hierarchy.org

A Diocese de Marabá (Dioecesis Marabensis) é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica no Brasil,[1] pertencente à Província Eclesiástica de Belém do Pará e ao Conselho Episcopal Regional Norte 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, sendo sufragânea da Arquidiocese de Belém do Pará.[1] A sé episcopal está assentada na Catedral de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na cidade de Marabá, no estado do Pará.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A Prelazia de Santíssima Conceição do Araguaia (Territorialis Praelatura Sanctissimae Conceptionis de Araguaya) foi criada em 18 de julho de 1911 por decreto da Sagrada Congregação Consistorial, com território desmembrado da Arquidiocese de Belém do Pará.[1]

Foi confiada pela Santa Sé aos cuidados da Ordem dos Pregadores.[1]

Em 20 de dezembro de 1969, pelo decreto Cum Urbs da Sagrada Congregação para os Bispos, a sede foi transferida para a cidade de Marabá, passando a denominar-se Prelazia de Marabá (Territorialis Praelatura Marabensis).[1]

Em 16 de outubro de 1979, pela bula Cum Praelatura do Papa João Paulo II, foi elevada a diocese.[1]

Alterações territoriais[editar | editar código-fonte]

A primeira alteração territorial, da ainda prelazia, ocorreu em 16 de agosto de 1934, quando parte do seu território foi desmembrado para dar origem à Prelazia do Xingu. Em 13 de maio de 1969 novamente o território jurisdicionado foi dividido para dar origem à Prelazia de São Félix.[1]

Em 14 de julho de 1976, por decreto da Santa Sé, a Prelazia de Marabá foi dividida, criando uma nova "Prelazia de Santíssima Conceição do Araguaia", permanecendo Marabá como Prelazia. Embora o nome similar, Marabá é a herdeira legal da primeira Prelazia de Santíssima.[1]

Em 6 de novembro de 2019 parte do território diocesano foi cedido para a criação da Prelazia de Alto Xingu-Tucumã; o mesmo ato, elevou a antiga Prelazia do Xingu (que era jurisdicionada por Marabá) à Diocese de Xingu-Altamira.[1]

Cerceamento governamental[editar | editar código-fonte]

Dado que a diocese tem um importante papel na luta contra desigualdades socioeconômicas, na justiça agrária, nos direitos aos povos tradicionais e na preservação ambiental, o governo do presidente Jair Bolsonaro escalou a Agência Brasileira de Inteligência para espionar as atividades pastorais diocesanas, principalmente durante o Sínodo para Amazônia, em 2019, num claro sinal de oposição e perseguição às atividades religiosas.[2][3][4]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Em 2016, a diocese contava com uma população de aproximadamente 787 mil habitantes, com 69,1% de católicos.[1]

O território da diocese é de 81.832 km², organizado em 29 paróquias.[1]

Bispos[editar | editar código-fonte]

Administração local:[1]

Nome Período Notas
Bispos
Dom Vital Corbellini 2012- Atual
Dom José Foralosso, S.D.B. 2000-2012 faleceu em 2012
Dom Frei José Vieira de Lima, TOR 1990-1998 Nomeado Bispo de São Luís de Cáceres
Dom Altamiro Rossato, C.Ss.R. 1985-1989 Nomeado Arcebispo-coadjutor de Porto Alegre
Dom Frei Alano Maria Pena, O.P. 1976-1985 Nomeado Bispo de Itapeva
Dom Frei Luís António Palha Teixeira, O.P. 1951-1976 renunciou por limite de idade
Dom Frei Sebastião Tomás, O.P. 1924-1945 faleceu
Dom Frei Raymond Dominique Carrerot, OP 1912-1920 Nomeado Bispo de Porto Nacional
Bispo-coadjutor
Dom Frei Alano Maria Pena, O.P. 1976
Dom Frei Estêvão Cardoso de Avellar, O.P. 1971-1976 Nomeado Bispo de Santíssima Conceição do Araguaia
Dom Frei Tomás Balduíno, O.P. 1967 Nomeado Bispo de Goiás

Seminários[editar | editar código-fonte]

Administra o Seminário Menor Jesus Misericordioso, com sede na cidade de Marabá, e; o Seminário Maior São João Paulo II, com sede em Ananindeua, o único território exclave da diocese.[5]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l Cheney, David M. (2019). «Diocese of Marabá». The Hierarchy of the Catholic Church. Consultado em 18 de julho de 2019. Cópia arquivada em 4 de maio de 2019 
  2. Governo Bolsonaro mandou Abin espionar a Diocese de Marabá. Portal Zedudu. 11 de fevereiro de 2019.
  3. Planalto age para combater ação de 'clero de esquerda'. O Estado de S. Paulo. 10 de fevereiro de 2019.
  4. “Queremos neutralizar isso aí”: generais de Bolsonaro agem para calar Igreja Católica. Brasil de Fato. 10 de fevereiro de 2019.
  5. Diocese de Marabá. CNBB- Norte 2. [s/d].

Ligações externas[editar | editar código-fonte]