Dois Todos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dois Todos

Danghui.svg

Chinês tradicional: 兩個凡是
Chinês simplificado: 两个凡是

Os Dois Todos[1] (em inglês traduzido como "Two Whatevers") referem-se à afirmação "defenderemos resolutamente todas as políticas que o Presidente Mao pôs em prática. Seguiremos incondicionalmente todas as instruções dadas pelo Presidente Mao" (chinês: 凡是毛主席作出的决策,我们都坚决维护;凡是毛主席的指示,我们都始终不渝地遵循) que foi a base para a política de estado adotada na República Popular da China após a morte de Mao Zedong.

Esta declaração estava presente em um editorial conjunto, intitulado "Estudar Bem os Documentos e Compreender o Elo Fundamental", impresso em 7 de fevereiro de 1977 no Diário do Povo, na revista Bandeira Vermelha e no Diário do Exército de Libertação Popular.[2]

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

A política foi defendida pelo então presidente do Partido Comunista da China, Hua Guofeng, sucessor de Mao, que havia encerrado a Grande Revolução Cultural Proletária e prendido todos os membros da Gangue dos Quatro. No entanto, essa política se mostrou impopular com Deng Xiaoping e outros líderes do partido que defendiam a reforma do mercado.

Acabou servindo como um gatilho para a manobra de Deng em 1978 para ganhar o controle da política econômica da China, e terminou com o eventual rebaixamento de Hua da posição de liderança do partido em 1980.[3]

A coalizão de apoiadores de Hua, que carregava o nome de "facção do todo", também perdeu seu poder após a manobra política de Deng: Wang Dongxing, Ji Dengkui, Wu De e Chen Xilian, a chamada "Pequena Gangue dos Quatro", foram dispensados de todos os cargos do Partido Comunista e do Estado durante o 5º Plenário do Comitê Central do Partido Comunista da China, realizado de 23 a 29 de fevereiro de 1980.

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]