Edison Carneiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Edson Cordeiro.
Edison Carneiro
Nome completo Edison de Souza Carneiro
Nascimento 12 de agosto de 1912
Salvador, Brasil
Morte 2 de dezembro de 1972 (60 anos)
Rio de Janeiro, Brasil
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Ocupação Escritor

Edison de Souza Carneiro (Salvador, 12 de agosto de 1912Rio de Janeiro, 2 de dezembro de 1972) foi um escritor brasileiro, especializado em temas afro-brasileiros. Edison Carneiro foi um dos maiores etnólogos brasileiros, comprometido com os estudos sobre a cultura afro-brasileira, militante do Partido Comunista Brasileiro - PCB a partir da década de 1930.[1]

Fez todos seus estudos em Salvador, até diplomar-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Bahia, em 1936 (turma de 1935).

Amigo e camarada de partido do escritor e jornalista baiano Jorge Amado, e de Carybé, pintor argentino.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Religiões Negras, Editora Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 1936, 1963;
  • Negros Bantos, Editora Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 1937;
  • O Quilombo dos Palmares, Editora Brasiliense, São Paulo, 1947, 1958;
  • Castro Alves, 1947, 1958;
  • Candomblés da Bahia, Editora do Museu do Estado da Bahia, Salvador, 1948;
  • Antologia do Negro Brasileiro, Editora Globo, Porto Alegre, 1950;
  • A Cidade do Salvador, 1954;
  • A Conquista da Amazônia, 1956;
  • A Sabedoria Popular, 1957;
  • Insurreição Praiana, 1960;
  • Samba de Umbigada, Ministério da Educação e Cultura, Rio de Janeiro, 1961

Referências

  1. ARANTES, José Tadeu (7 de outubro de 2016). «Edison Carneiro: o Ogã comunista». Agência FAPESP. Consultado em 7 de outubro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.