Igreja Cristã Maranata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Edward Hemming Dodd)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Igreja Cristã Maranata
Presbitério Espírito-Santense
Orientação Sem orientação definida
Origem Outubro de 1968
Sede Vila Velha, Estado do Espírito Santo, Brasil.
Número de membros 356,021 membros (Brasil)[1]
Número de igrejas Mais de 6 mil templos (Brasil)
Países em que atua Internacional, com maior concentração de fiéis e templos nas Américas, Europa e Ásia. Presente em mais de 100 países.

A Igreja Cristã Maranata - Presbitério Espírito Santense (ICM), ou Igreja Cristã Maranata, é uma igreja evangélica sem orientação definida, apesar de alguns movimentos terem mais força dentro da igreja,[necessário esclarecer] com sede na cidade de Vila Velha, Espírito Santo. Fundada em outubro de 1968, a igreja conta com mais de seis mil templos em todo o país.[carece de fontes?]

Histórico

A Igreja Cristã Maranata é fruto de um avivamento que ocorreu na década de 1960 no Brasil, quando fiéis de diversas igrejas protestantes tradicionais começaram a crer na doutrina do Batismo com o Espírito Santo e nos dons espirituais, citados pelo Apóstolo Paulo, no capítulo 12 da primeira carta aos Coríntios (I Coríntios 12:).

Tem-se início da Igreja Cristã Maranata com membros oriundos da Igreja Presbiteriana de Vila Velha, entre 1967 e 1968, quando iniciou-se as primeiras reuniões da igreja, tendo como seu primeiro nome "A porta", pois, os fiéis se reuniam dentro de um apartamento no bairro Divino Espírito Santo, em Vila Velha (Espírito Santo)[2] .

Em 1968 formalizou-se a igreja em Itacibá, na vizinha Cariacica. De forma paralela, residentes de Caratinga e Juiz de Fora passaram a frequentar a igreja. Mais tarde o grupo mudou o nome para Igreja Cristã Maranata.[3] [nota 1]

A igreja expandiu-se muito por todo o Brasil e pelo mundo, principalmente no Estado do Espírito Santo e no Estado de Minas Gerais nas gestões de seus presidentes Manuel de Passos Barros (1968-1986), Edward Hemming Dodd (1986-2007) e Gedelti Victalino Teixeira Gueiros (2007- atualmente).[carece de fontes?]

Atuação

A Igreja Cristã Maranata, através de sua missão internacional, denominada Missão Internacional Cristã Maranata, atua em diversos países das Américas, Europa, Ásia e África. Ademais, mantém relações de comunhão e cooperação com igrejas no Oriente Médio, Europa Oriental e Ásia Central, além do subcontinente Indiano.

Organização

A Igreja Cristã Maranata é autodenominada pelos membros como uma igreja sem fins lucrativos que tem um local com o nome de Presbitério Espírito-Santense, localizado na cidade de Vila Velha, estado do Espírito Santo, responsável pela gestão das igrejas filiadas.

O Presbitério Espírito-Santense da Igreja Cristã Maranata mantém centros denominados "Maanains" (Sig. "Acampamento de anjos"), para retiros, confraternizações e doutrinação de seus fiéis. O que atrai os fiéis para estes locais são as aulas ministradas pelos pastores, estudos da Bíblia e louvores.

Templos

Templo construído no início da década de 1980 no Rio de Janeiro, este foi o primeiro padrão de construção.
Templo no padrão atual em Campo Grande, Rio de Janeiro.

Os templos podem ser facilmente localizados pelo padrão institucional de construção com estilo colonial, com edificações parecidas com o formato de chalés, tendo em vista que essa construção gera um custo menor no valor final da obra. Em geral, são compostos pela sala principal – em que os cultos são realizados – salas anexas banheiros e, na área externa, varandas e jardins. Em alguns, há ainda, os jardins de inverno localizados numa das laterais do templo e/ou ao lado do púlpito. Há templos instalados nas mais diversas regiões do país, existem também alguns que são denominados de "Salão", que são bairros onde ainda não possuem o templo fixo, sendo assim, o trabalho é feito dentro de pequenos salões onde se reúnem todos os dias para os cultos diários,

Cultos

A ICM realiza cultos diariamente, exceto às sextas-feiras, quando os cultos noturnos são realizados nos lares, por cada família. A igreja se reúne de segunda-feira a sábado ás 19:30H; e também aos domingos para a Escola Bíblica Dominical as 10:00h e para o culto noturno as 19:30H. Os cultos são breves e objetivos, em geral, com duração de 30 minutos à 45 minutos. Há também cultos de oração que duram em torno de 15 minutos, todos os dias, as 6:00H da manhã.

Mídia

Sistema de comunicação do Presbitério Espírito-Santense da Igreja Cristã Maranata

Para estabelecer comunicação com seus fiéis, bem como com a sociedade em geral, a Igreja Cristã Maranata possui um sistema de comunicação administrado pelo Presbitério Espírito-Santense, sendo composto pelo sistema de transmissões via satélite, pelo sistema de video conferência - TELECOM, pela Rádio e TV WEB Maanaim, pelo site da Central de Louvor (comissão responsável pela catalogação e proteção de louvores pertencentes a Igreja Cristã Maranata) e pelos diversos sites institucionais da Igreja Cristã Maranata.

Transmissões via satélite

Utilizado para levar a palavra para alguns locais onde não tem pastores, ungidos, diaconos ou obreiros para pregar todos os dias e também para dinamizar e unificar as práticas e doutrinas mantidas pela instituição, a Igreja Cristã Maranata possui um sistema via satélite, para transmissões simultâneas de reuniões e seminários. O sistema de transmissões via satélite tem alcance continental, possibilitando o recebimento das transmissões do norte do Canadá ao sul da Argentina, cobrindo quase todo o continente americano, como também cobrindo toda a Europa Ocidental e partes da Europa Oriental.[4] Para possibilitar a cobertura dos continentes africano, asiático, Europa Oriental (incluindo Rússia Europeia e sua parte oriental) e Oriente Médio, existem pontos de retransmissão de sinal em Portugal, Ucrânia e Bielorrússia. A maioria das Igrejas possui uma antena parabólica e um receptor, conectados a um projetor de imagens e ao sistema de áudio do templo, com o objetivo de transmitir um mesmo ensino a todas as Igrejas conectadas. [5]

Instituto Bíblico Maranata

O Instituto Bíblico foi instituído em 25 de dezembro de 1972, ato assinado pelo então Presidente da Igreja Cristã Maranata, pastor Manoel dos Passos Barros.

Em seu objetivo inicial, o Instituto estava destinado a prover Curso Bíblico e explicações suplementares para os obreiros da Igreja, visando melhorar seus conhecimentos da Bíblia, a fim de prepará-los para o ministério na seara do Senhor Jesus.

Destacava-se ainda no Estatuto de sua instituição:

O Instituto promoverá igualmente, por todos os meios, o conhecimento do Evangelho, conforme as Escrituras do Velho e Novo Testamento, assim como Educação Cristã e obras de caridade.

A partir de 2016, esse instituto passou a oferecer cursos a distância para todos seus membros, os cursos tem seus custos de mensalidade e são realizados atraves de AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem)

Denúncias e prisões

Out of date clock icon.svg
Esta seção pode conter informações desatualizadas.

Se sabe algo sobre o tema abordado, edite a página e inclua informações mais recentes, citando fontes válidas. Utilize o campo de resumo para uma breve explicação das alterações e, se achar necessário, apresente mais detalhes na página de discussão.

Em 14 de maio de 2013, dezenove membros da igreja foram denunciados pelo Ministério Público do Espírito Santo pelos crimes de estelionato, formação de quadrilha e duplicata simulada. Segundo o próprio MPES, eles teriam praticado desvio de dízimo da igreja, envolvendo uma movimentação financeira de R$ 24,8 milhões de reais. Em 24 de junho de 2013, o pastor Gedelti Gueiros, presidente da Igreja Maranata e mais dez membros da igreja tiveram os pedidos de prisão expedidos. Uma outra denúncia foi apresentada contra cinco pastores, que foram acusados de terem ameaçado e coagido testemunhas, uma juíza e um promotor.[6] [7] [8] [9] [10]

Em novembro de 2014, o Superior Tribunal de Justiça confirmou a legalidade de provas obtidas por escutas telefônicas, que os advogados dos investigados alegavam ser juridicamente nulas. A Fundação Manoel dos Passos Barros, ligada à igreja Maranata, também é investigada em ação de improbidade, movida pelo Ministério Público. A entidade é acusada de suposta fraude no uso de recursos públicos, obtidos através de emendas parlamentares.[11]

Notas

  1. A palavra maranata (do original מרנא תא) é uma expressão aramaica que ocorre uma vez na Bíblia, empregada pelo Apóstolo Paulo na Primeira Epístola aos Coríntios:
    Cquote1.svg Se alguém não ama ao Senhor, seja anátema. Maranata. Cquote2.svg

    O termo é a composição de duas palavras, que transliteradas dão origem a maranata e que significa o Senhor vem! ou ainda nosso Senhor vem!, e foi, provavelmente, usada como oração ou saudação entre os cristãos primitivos. No desfecho do livro de Apocalipse, a mesma expressão é utilizada como uma oração ou pedido, desta vez feita na língua grega, e traduzida por: Ora vem, Senhor.

Referências

  1. «Censo demográfico do IBGE, 2010» (PDF). Consultado em 20 de julho de 2012. 
  2. Brinco,Joel Ribeiro. "Igreja Presbiteriana de Vila Velha: 50 anos de história". Vila Velha: 2003
  3. Chung Nin, Altamir; Batista, Dimas ; Bodart, Cristiano das Neves. Instituição Política: Igreja Cristã Maranata. Cachoeiro de Itapemirim/ES: São Camilo: Espírito Santo, 2000
  4. «Cobertura do satélite Intelsat 805». Consultado em 30 de janeiro de 2012. 
  5. «O satélite». Consultado em 22 de janeiro de 2012. 
  6. «Fundador e pastores da Igreja Maranata são presos no ES». Consultado em 24 de junho de 2013. 
  7. Pastores da Igreja Maranata são presos no Espírito Santo Portal G1, 12 de março de 2013
  8. Vilmara Fernandes (28/08/2014). «Mais audiências em dezembro para julgar líderes da Maranata». HC. Consultado em 29/04/2015. 
  9. «Ministério Público do ES denuncia 19 membros da Igreja Maranata». Consultado em 24 de junho de 2013. 
  10. Ossolo (18 DE MARÇO DE 2013). «A Igreja Maranata esclarece os fatos a seus membros» (PDF). HC. Consultado em 29/04/2015. 
  11. STJ confirma legalidade de provas na investigação contra membros da Igreja Maranata

Ligações externas