Eliana Printes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde novembro de 2012). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Eliana Printes
Informação geral
Origem Manaus, Amazonas
Nacionalidade brasileira
Gênero(s) MPB
Ocupação(ões) Cantora, compositora
Instrumento(s) Violões
Gravadora(s) Indie-Universal Music
Página oficial elianaprintes.com.br

Eliana Printes (nascida em Manaus) é uma cantora e compositora brasileira.[1]

Nascida numa família simples na capital amazonense, filha de mãe paraense (dona-de-casa) e pai pernambucano (marceneiro), que nas horas de folga tocava pandeiro e gostava muito de música, Eliana começou a tocar violão aos doze anos e a partir daí já sabia qual seria sua vocação. Iniciou sua carreira ainda muito jovem entre doze e treze anos. Sua voz grave sempre chamou atenção dos familiares e dos amigos de colégio.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Com seu CD de estreia Eliana Printes recebeu uma indicação ao Prêmio Sharp de música (atual Prêmio da Música Brasileira) na categoria "MPB revelação".[2]

Leva em sua história discográfica oito CDs de carreira, duas coletâneas (O melhor de Eliana Printes e Coleções). Várias compilações no Brasil e no exterior, dentre elas o CD Divas Cantam Jobim (2007) pela Som Livre de Portugal. Também, em 2007 fez uma participação no documentário Nokia Music Recommenders Film do cineasta alemão Wim Wenders.

Cresceu ouvindo rádio, que ficava ligado quase que o dia inteiro em sua casa, e também os discos de seu pai. Anos mais tarde, em 1994, viajou ao Rio de Janeiro e gravou seu primeiro CD intitulado "Eliana Printes". Em 1996, foi contratada pela gravadora Indie Records e a partir daí gravou seus outros cinco CDs atualmente distribuídos pela gravadora Indie/Universal Music.

Em 2011 a cantora participou de duas importantes apresentações fora do Brasil e teve um novo marco em sua carreira, tendo uma gravação incluída no filme Qualquer Gato Vira-Lata. Participou do espetáculo Brasilianische Nacht ("Noite brasileira") em Potsdam, Alemanha, com a Orquestra Sinfônica Collegium Musicum da mesma cidade, mesclando a música brasileira à tradição da música clássica, resultando em trabalho inovador, com regência do maestro Knut Andreas.

No mesmo ano, a canção Só vou gostar de quem gosta de mim, de Rossini Pinto, de seu disco Cinema Guarany, entrou para a trilha sonora do filme Qualquer gato vira-lata, do diretor Tomás Portela. O longa brasileiro é baseado na peça de Juca de Oliveira Qualquer gato vira-lata tem a vida sexual melhor que a sua.

Atualmente reside na cidade do Rio de Janeiro.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Eliana Printes (1994)
  • Eliana Printes (1996)
  • O Próximo Beijo (1998)
  • Pra Lua Tocar (2000)
  • Pra Você me Ouvir (2003)
  • Mais Perto de Mim (2007)
  • Cinema Guarany (2011)
  • Tudo em Movimento (2013)

Referências

  1. «Biografia no Cravo Albin». dicionariompb.com.br. Consultado em 27 de março de 2014. 
  2. Neder, Alvaro. "Eliana Printes biography". AllMusic. Retrieved 30 June 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]