Elizabeth Avery Meriwether

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Elizabeth Avery Meriwether
Nascimento 19 de janeiro de 1824
Morte 4 de novembro de 1916

Elizabeth Avery Meriwether (19 de janeiro de 1824 – 4 de novembro de 1916) foi uma autora, editora e proeminente ativista no movimento sufragista nos Estados Unidos.

Início da vida[editar | editar código-fonte]

Ela, seu irmão e três irmãs mudaram-se para Memphis, Tennessee, com os pais, Nathan Avery e Rebecca Rivers Avery, em 1835, para encontrar uma situação econômica melhor.

Vida adulta[editar | editar código-fonte]

Em 1852, ela se casou com Menor Meriwether, que se tornou um major dos confederados em 1861. Durante a ausência de seu marido, Meriwether teve de fugir com seus filhos de Memphis, devido ao conflito com as forças federais. Mais tarde, ela buscou reaver sua propriedade confiscada pelos EUA.

Menor Meriwether nunca serviu sob o comando Nathan Bedford Forrest durante a guerra, mas eles se conheceram como oficiais confederados veteranos e construtores de ferrovias. Uma das reuniões organizacionais da Ku Klux Klan ocorreu na cozinha Meriwether, na casa de Memphis.[1]

Na Memphis do pós-guerra, ela se envolveu com o movimento sufragista. Apesar de ser ilegal, ela registrou-se e votou na eleição presidencial de 1872. Ela apresentou (sem êxito) petições pelo sufrágio nas convenções democrata e republicana de 1880. 

Escritos[editar | editar código-fonte]

  • The Refugee (Short story - 1863)
  • The Master of Red Leaf (1872)
  • Black and White (1883)
  • The Ku Klux Klan, or The Carpetbagger in New Orleans (1877)
  • Facts and Falsehoods About the War on the South (1904) (pseudonym: George Edmonds)
  • Sowing of the Swords: The Soul of the Sixties (1910)

Legado[editar | editar código-fonte]

Meriwether é representada em tamanho real numa estátua de bronze no Memorial pelo Sufrágio da Mulher do Tennessee na Praça do Mercado na cidade de Knoxville, Tennessee, junto com Anne Dallas Dudley de Nashville e Lizzie Crozier French de Knoxville. A escultura é de Alan LeQuire.[2]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Parsons, Elaine Frantz. Manhood Lost: Fallen Drunkards and Redeeming Women in the Nineteenth-Century United States. Baltimore: JHU Press, 2010.
  2. Tennessee Woman's Suffrage Memorial website, accessed April 6, 2010

Ligações externas[editar | editar código-fonte]