Embaixada de Samba do Império Pedreirense

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2016). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A.C.S.B.E. EMBAIXADA DE SAMBA DO IMPÉRIO PEDREIRENSE
Cores Azul, vermelho e branco
Símbolo Coroa
Bairro Pedreira
Presidente RITA HELENA SOUZA DE SÁ
Presidente de honra Raimundo Nonato Almeida de Sá
Desfile de 2019
Enredo Carnaval 2019 AS NOBREZAS TRIBAS NAS BORDAS DA IMPERATRIZ

A A.C.S.B.E. EMBAIXADA DE SAMBA DO IMPÉRIO PEDREIRENSE é uma escola de samba da cidade de Belém do Pará, no estado brasileiro do Pará[1].

Em 06 de dezembro de 1951, foi fundada, no bairro da Pedreira, a Escola de Samba "Maracatú do Subúrbio", que desde o seu primeiro carnaval em 1952 (desfilou com o enredo "O Largo da Pólvora"), sempre manteve grandes destaques até 1958. Foram 7 anos de glórias para o bairro, obtendo vários títulos, inclusive o de campeã. Logo após o carnaval de 1958, o Sr. Acylino Barata Magalhães Costa, cujo nome artístico era Paulo Roberto, pertencente à Universidade de Samba Boêmios da Campina, procurou o Sr. Geraldo e na conversa mantida, propôs sua vinda para a Academia de Samba "Maracatú do Subúrbio" comprometendo-se em dar o título do carnaval para a escola. Foi levantada a premissa de que Paulo Roberto não residia na Pedreira. tendo o sambista retrucado: "se vocês me aceitarem é só arranjar uma casa que imediatamente faço minha mudança", e assim foi feito. Paulo Roberto foi empossado presidente e uma das primeiras medidas administrativas foi convencer sua diretoria a mudar o nome da Escola, pois a expressão "do Subúrbio", era pejorativa e apresentou a proposta dos Estatutos da "Embaixada de Samba do Império Pedreirense", que foi aprovada em 1958, vigorando até esta data. [2].

No carnaval de 1959, Paulo Roberto lançou o enredo "O Pescador" que tinha um samba fortíssimo, cantado até hoje. Obteve o vice-campeonato, o primeiro título com o novo nome.[3].

Em 1963, com o enredo em homenagem a Magalhães Barata, conseguiu a 4ª colocação. Nesse ano, o Sr. Manoel Airosa (Jacaré), assume a presidência e dá novos rumos, inclusive lançando a sambista Marlene Nogueira, que por três anos consecutivos arrebatou o título de "Melhor Sambista do Carnaval", sendo cognominada pela imprensa de "A Parangolé do Samba". No carnaval de 1964, com o enredo "A Inconfidência Mineira" e samba composto por João Brequista, a Embaixada vai para o desfile na Boulevard Castilho França, e consagra-se campeã do carnaval oficial, promovido pela Prefeitura de Belém e obtém ainda, um feito inédito, a de campeoníssima do carnaval, pois conquistou 12 títulos de campeã nas batalhas de confete então promovidas por várias instituições; Neste mesmo ano, Santo Expedito, foi proclamado o Santo Protetor da Embaixada.[4].

Em 1968, José Paulo de Jesus, Ivan Dias, Raimundo Bronzeado e outros, realizaram várias promoções buscando arrecadar fundos para a compra do terreno onde foi construída a sede social da Embaixada. Após 3 anos ausente dos desfiles, com o enredo "Minha ilha meu amor por você", a ESIP voltou, obtendo o 3º lugar, revolucionando com a "ala dos farofeiros". Em 1996 a Escola desfilou com o enredo "O bar nosso, de todo o parque", uma homenagem ao Bar do Parque, obtendo também o 3º lugar. A diretoria resolve, a partir daí, realizar um grande trabalho social, por entender que escola de samba não deve se preocupar apenas com o carnaval e que, em um bairro carente como o da Pedreira, há necessidade de existir também esse tipo de promoção. O grupo começa realizar comandos médicos gratuitos em atendimento a comunidade carente do bairro, bem como o Natal das crianças com distribuição de aproximadamente 1.200 brinquedos e lanches, comemorando ainda o Dia do Ancião com almoço para 400 idosos.[5].

Em 1997 a Embaixada não participou do carnaval e em 1998 com a volta à presidência do Sr. João Guapindaia, a Escola levapara a avenida o enredo "Clara Pinto, da sapatilha a avenida", galgando o 6º lugar. Em 1999 com o enredo "A coroa do império no batuque da Pedreira", obteve novamente o 6º lugar. Em 2001, o tema foi o Jubileu de Ouro da Escola. Em 2002 o homenageado será o cantor Carlos Santos, ex-camelô que chegou a governador.[6].

No ano de 2003,sob a presidência de Raimundo Sá foi campeã com a homenagem ao mestre Verequete com o enredo "O Pará chama Verequete", no ano de 2004 foi vice- campeã com o enredo "Ver-o-peso,Ver-o-tempo reeditado no ano de 2013,no ano de 2006 sagrou-se bi-campeã com o o enredo ''Cais do Porto,a evolução ao longo do século"

Campeã em 2009, em 2010, foi terceira colocada do carnaval[7]. no ano de 2013, homenageará o Mercado Ver-o-Peso, tradicional mercado de Belém [8], tendo como seu intérprete: Alexandre D'Mendes, que retorna como cantor principal da agremiação, pois esteve na escola, em 2010.

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Presidente RITA HELENA SOUZA DE SÁ
Vice Presidente PAULO HENRIQUE MUNIZ DA SILVA

Diretores[editar | editar código-fonte]

Ano Diretor de Carnaval Diretor geral de harmonia Mestre de bateria Ref.
2016
2017

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2016
2017

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2016
2017

Corte de bateria[editar | editar código-fonte]

Período Rainha Madrinha Ref.
2016
2017


Carnavais[editar | editar código-fonte]

Império Pedreirense
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Intérprete Ref.
1962 Especial A Cabanagem
1964 campeã Especial Inconfidência Mineira
1965 Especial Amazônia é Brasil
1966 Especial 350 anos de Belém
1967 Não disputou
1968 Campeã Especial Desbravamento da Amazônia
1969 Especial Proclamação da República
1970 Não disputou
1971 Especial Transamazônica, a Rodovia do Futuro
1972 Não ocorreu desfile
1973 Não disputou
1974 Não disputou
1975 Não disputou
1976 Especial A moreninha do Brasil
1977 Não disputou
1978 Especial Palácios vultos e monumentos de Belém
1979 Não disputou
1980 Não disputou
1981 Especial O mar, seus fascínios e mistérios
1982 Não disputou
1983 Especial Hoje é dia de festa no país do carnaval
1984 Especial Divina loucura
1985 Especial A Miscigenação fez o esplendor de uma raça
1986 Especial O incrível sonho do palhaço Foliculé
1987 Não disputou
1988 Não disputou
1989 Não disputou
1990 Não ocorreu desfile
1991 Não ocorreu desfile
1992 Especial Do fundo do baú
1993 Não disputou
1994 Não disputou
1995 Especial Minha ilha, meu amor, por você a Pedreira voltou
1996 3°Lugar Especial O bar nosso de todo parque!
1997 Não disputou
1998 6°Lugar Especial Clara Pinto: Da sapatilha á Avenida!
1999 6°Lugar Especial A coroa do Império no batuque da pedreira
2000 Especial Pará, sua história e encantos nos 500 anos do Brasil
2001 Especial É festa Pedreirense no jubileu do Império: Cinquenta anos de samba no coração da Pedreira
2002 Especial Carlos Santos o amigo do povo, De camelô a Governador a trajetória de um vencedor
2003 Campeã Especial O Pará Chama Verequete! - Presidente Raimundo de Sá (Darinta) Alexandre Costa
2004 Vice-campeã Especial Ver-o-Peso, Ver-o-tempo! - Presidente Raimundo de Sá (Darinta)
2006 Campeã Especial Cais do porto - a evolução ao longo do século - Presidente Raimundo de Sá (Darinta) Junior Cardoso
2008 5º lugar Especial Amazônia terra dos sonhos - o eldorado do mundo.

Compositores: Dio, Magé, Ademar Carneiro e Tonhinho Alegria.

Jean Negrão Intérprete: Carlinhos Sabiá
2009 Campeã Especial As crias da alegria, "Curro Velho" 18 anos de arte e fantasia

Compositores:Moacyr Chagas, Dio, Didi do Cavaco e Serginho do Porto.

Jean Negrão Carlinhos Sabiá
2010 3º lugar Especial O carimbó não morreu, quem canta o carimbó sou eu. Compositores: Moacyr Chagas, Dio, Didi do Cavaco e Serginho do Porto. Jean Negrão Alexandre D' Mendes e Didi do Cavaco
2011 Não desfilou 1 Pra não dizer que não falei de flores

Compositores:Moacyr Chagas, Dio, Didi do Cavaco e Serginho do Porto.

Jean Negrão Didi do Cavaco [9] [10]
2012 4º lugar Especial Nas terras do Império o Quilombo do Samba

Compositores: Moacyr Chagas, Didi Pinheiro e Serginho do Porto.

Jean Negrão Carlinhos Sabiá [11]
2013 3º lugar Especial Ver-o-Peso, Ver-o-tempo

Compositores:Dío, Ademar e Pedrão.

Comissão de Carnaval
(Joaquim Palhano, André Vilhena e Paulo Roberto)
Alexandre D' Mendes
2014 Vice-campeã Especial Alegria, Alegria!! Cláudio Rego de Miranda [12]
2015 8° lugar Especial A Coroa do Império no batuque da Pedreira Arthur Leandro e Eduardo Wagner
2016 Vice-campeã Grupo de Acesso É de Arrepiar! Visagens e assombrações de Belém cruzam a Aldeia! Presidente Socorro Luna (Help) Comissão de Carnaval Anderson Mendes
2017 NÃO HOUVE DESFILE Grupo de Acesso X
2018 Campeã Grupo de Acesso O Auto do Boi bumbá Imperial- Do colorido Junino á Passarela do Carnaval! Comissão de Carnaval
2019 8º lugar Especial As nobrezas tribais nas bodas da Imperatriz

Referências

  1. Academia do Samba - PA
  2. [1]
  3. [2]
  4. [3]
  5. [4]
  6. [5]
  7. Diário do Pará (18 de fevereiro de 2010). «Bole-Bole é a campeã do Carnaval 2010 em Belém». Consultado em 27 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 17 de agosto de 2016 
  8. Folia de Momo toma conta da cidade
  9. Diário de Belém. «Bole Bole é a campeã do Carnaval de Belém». Consultado em 16 de março de 2011 
  10. Ache Belém (10 de março de 2011). «Bole Bole é a grande campeã do Carnaval de Belém». Consultado em 16 de março de 2011. Arquivado do original em 24 de fevereiro de 2010 
  11. Império homenageia os 100 anos da Pedreira
  12. Hugo Figueiredo e César Modesto (9 de março de 2014). «Festa das campeãs encerra o Carnaval 2014 em Belém». Prefeitura de Belém. Consultado em 15 de março de 2014 
Ícone de esboço Este artigo sobre carnaval, integrado ao Projeto Carnaval é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.