Epic Movie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Epic Movie
Deu a Louca em Hollywood (BRA)
 Estados Unidos
2007 •  cor •  86 min 
Direção Jason Friedberg
Aaron Seltzer
Produção Paul Schiff
Roteiro Jason Friedberg
Aaron Seltzer
Elenco Kal Penn
Jayma Mays
Jennifer Coolidge
Adam Campbell
Faune A. Chambers
Fred Willard
Tim Lockwood
David Lehre
Género comédia
Idioma inglês
Orçamento US$ 20 milhões
Receita US$ 86.9 milhões
Página no IMDb (em inglês)

Epic Movie (no Brasil, Deu a Louca em Hollywood)[1] é um filme americano de 2007, do gênero comédia, que parodia vários outros filmes famosos. Foi dirigido por Jason Friedberg e Aaron Seltzer, os mesmo que juntos dirigiram paródias como Date Movie e Meet the Spartans.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A história segue a mesma linha da história do filme As Crônicas de Nárnia, onde quatro orfãos descobrem, dentro de um armário, um mundo secreto chamado, em Epic movie, de "Gnárnia", "com um 'G' mudo por causa de direitos autorais" (''sic''). No filme, cada um dos orfãos se encontram em situações e lugares diferentes, cada um deles tem a sorte de encontrar um "Bilhete Dourado" e acabam se encontrando na entrada da fábrica de chocolate de Willy Wonka (Crispin Glover).

A história começa mostrando Lucy (Jayma Mays), uma dos quatro orfãos, que foi criada pelo curador (David Carradine) do Museu do Louvre, ela corre enquanto Silas (Kevin Hart) mata o curador, este, antes de morrer, dá a dica para Lucy, através da dança de rua, onde o Bilhete Dourado pode ser encontrado, mas Silas ainda quer matá-la também ela corre e ele tenta dar um chute voador nela mas o salto dela quebra, e o silas voa com tudo na maquina de chocolates.

O segundo orfão é Edward (Kal Penn), refugiado em um lar de orfãos no México. Após Nacho Libre (Jareb Dauplaise) colocar um animal morto como comida em seu prato, Edward se revolta, reclamando do lugar e daquela vida. Nacho Libre manda então Chanchito (Rico Rodriguez) ensinar a ele uma lição de humildade. Após apanhar dele no estilo lucha libre, Chanchito o arrasta pela mesa, onde Edward adquire um Bilhete Dourado de um dos Amigos e é então atirado pela janela.

A terceira orfã é Susan (Faune A. Chambers), que havia acabado de ser adotada por "Brangelina". Durante a viagem para a casa de seus novos pais, seu avião é atacado por cobras venenosas. Samuel L. Jackson (James walker Sr.), após repetir várias vezes a mesma frase ("I have had it with these goddamn snakes on this goddamn plane!") várias vezes, atira Susan do avião, por esta estar pedindo ajuda a ele e pedindo para parar de repetir, esta então cai sobre Paris Hilton, onde acha o Bilhete Dourado dentro de sua bolsa;

O quarto e último orfão é Peter (Adam Campbell) um estudante de uma escola para mutantes, onde, até entre os rejeitados da sociedade, é um rejeitado. Após ser humilhado por membros do X-Man, como o Wolverine (Vince Vieluf), acaba batendo na porta de um escaninho que Magneto (Jim Piddock) abriu. Do escaninho cai o Bilhete Dourado. Os quatro orfãos visitam uma fábrica de chocolate e, após terem sido "marcado" por Willy, tropeçam em um guarda-roupa encantado que os transporta à terra de Gnárnia.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Epic Movie foi criticado duramente pelos críticos cinematográficos. No Rotten Tomatoes, detém uma aprovação de 2% com base em 64 avaliações, com uma nota média de 2,3 / 10. O consenso crítico do site diz: "Uma comédia grosseira com nada de novo ou perspicaz para dizer sobre os assuntos que satiriza".[2] No Metacritic, o filme tem uma pontuação de 17 em 100 com base em 17 críticos, indicando "maioritariamente odiado".[3] O público pesquisado pelo CinemaScore deram-lhe uma nota média de "C-" em uma escala A + a F.

Mick LaSalle, do San Francisco Chronicle, afirmou que "apenas um completo idiota poderia pensar que Epic Movie é remotamente engraçado ou que vale a pena ser feito" e descreveu-o como "tão desprovido de qualquer coisa que se assemelhe a sagacidade ou inspiração"; ele se perguntou: "O que os autores e cineastas estavam pensando?".[4]

Referências

  1. «Deu a Louca em Hollywood», Adoro Cinema, consultado em 10 de julho de 2019 
  2. Epic Movie (2007) (em inglês), consultado em 10 de julho de 2019 
  3. Epic Movie, consultado em 10 de julho de 2019 
  4. LaSalle, Mick (29 de janeiro de 2007). «REVIEW / 'Epic Movie's' tries at satire fail on a grand scale». SFGate. Consultado em 10 de julho de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]