Expresso Bandeirantes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou secção contém informações sobre uma construção futura.
É provável que contenha informações de natureza especulativa, e seu conteúdo pode mudar drasticamente.
Tower crane colorize.png

O Expresso Bandeirantes originalmente era um projeto de trem bala, que ligaria São Paulo a Campinas.[1] Desde o início de 2008, o governo federal, juntamente com o governo paulista, tomaram novas direções e pretendem utilizar um Trem de alta velocidade (TAV) com velocidade comercial ente 280 a 300 km/h, para ligar Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro com um mesmo TAV.[2] Os regimes sobre os quais irão funcionar o futuro sistema ainda estão em discussão.

Projeto congelado[editar | editar código-fonte]

O projeto Expresso Bandeirantes está congelado, sem prazo definido. O governador José Serra (PSDB) decidiu adiar, em Janeiro de 2007, sem prazo definido, o lançamento do convite para empresas apresentarem propostas com os projetos básicos de engenharia e de modelagem financeira para o Expresso Bandeirantes. O governo vai primeiro reavaliar a relação custo-benefício da implantação dessa ligação ferroviária. O secretário-adjunto da Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos, João Paulo de Jesus Lopes, informou que o governo não desistiu do trem, mas quer detalhar a viabilidade econômica desse projeto.

Segundo o ministro César Borges e o presidente da EPL, o leilão do trem-bala, que o governo tenta realizar desde o final de 2010 e que já teve seu cronograma adiado por diversas vezes, foi remarcado para acontecer em data ainda não definida. Segundo o ministro, o governo quer fazer a licitação em 2014.[3]

Alternativa[editar | editar código-fonte]

O projeto do Expresso Bandeirantes foi apresentado ao presidente da Emplasa, durante um seminário, O Trem Rápido de Passageiros, no Rio de Janeiro, no início de 2007, e junto com outros especialistas, discutiram projetos como o Trem Rio-São Paulo, o Expresso Bandeirantes, e a ligação entre São Paulo e o Aeroporto Internacional de Cumbica. Basicamente se buscava alternativas para o financiamento, mas com as crises nos aeroportos e a necessidades de fortalecer a infraestrutura de transporte no Brasil, os planos iniciais mudaram.[4]
Desde o início do ano de 2008, a alternativa para o financiamento do Expresso Bandeirantes parece estar se solidificando. Conforme anúncio feito pelo Presidente Luis Inácio Lula da Silva, no final de abril em Campinas, o governo federal encomendou ao Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) uma análise com um novo estudo técnico de viabilidade sobre o traçado preliminar do trem de alta velocidade no Brasil, entre Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro, e o resultado deste estudo deverá estar pronto em breve, junto a um edital que deverá ser divulgado depois, em janeiro, com previsão de, em fevereiro de 2009, ser realizada a licitação com leilão para definir o consórcio que irá assumir tal projeto.[2]

Isso fará com que o projeto que estava na pauta alguns anos atrás pelo governo de São Paulo, o Expresso Bandeirantes, se integre com o projeto do governo federal em um consórcio multinacional que trabalhará junto com o Brasil neste desempenho, e poderá ligar Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro com um único e mesmo Trem de Alta Velocidade, caso os empecilhos e discussões sobre a viabilidade desaguem em consenso.[5]

Referências

  1. «Trem Expresso Bandeirantes» (PDF)  especificações originais 11/01/2006
  2. a b "Gigantes vão disputar trem rápido", jornal "Correio Popular", página A4, Campinas, 18 de Junho de 2008
  3. [G1, Governo adia novamente o leilão do trem-bala, São Paulo, 12/08/2013.
  4. «Consórcio facilita a criação de trem» (PDF)  Jornal Correio Popular, 03 de julho de 2007.
  5. «SP maintains project of train to Guarulhos»  Investments SP, 23 de Abril de 2008

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]