Fabiane Langona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabiane Langona
Nome completo Fabiane B A Langona
Nascimento
Porto Alegre, RS
Nacionalidade brasileiro(a)
Ocupação cartunista
Principais trabalhos Folha de S. Paulo, Mad, Sexy Premium, Diário de Pernambuco, Zero Hora, Jornal do Comércio, Tarja Preta, Eca, Magazine, Vip
Principais interesses Cotidiano Comportamento

Fabiane Langona (Porto Alegre, 1984) é uma quadrinista e cartunista brasileira. Inicialmente, havia assumido o pseudônimo Chiquinha, apelido que ganhou na época da faculdade, mas desde 2017 passou a assinar seus trabalhos apenas como Fabiane Langona.[1][2]

Formada em jornalismo pela PUC-RS, Fabiane começou a trabalhar como assistente de redação e arte-finalista na edição brasileira da revista Mad. Em 2005, teve um quadrinho seu publicado na coluna do cartunista Ota no Jornal do Brasil e, pouco tempo depois foi contratada como quadrinista regular do suplemento Folhateen da Folha de S.Paulo e integrou a equipe de cartunistas do portal UOL. Também colaborou em publicações como Tarja Preta, Vip, Piauí, Zero Hora, Diário Catarinense, Jornal do Comércio, TPM, Mundo Estranho, Le Monde Diplomatique, entre outras.[3][4]

Fabiane já publicou livros com compilação de seus trabalhos. O primeiro foi Uma Patada Com Carinho, lançado em 2011 pela editora LeYa/BarbaNegra e com o qual ganhou o 24º Troféu HQ Mix na categoria "melhor publicação de humor gráfico". Lançou ainda Algumas Mulheres do Mundo (2015, editora Mórula) e A Mediocrização dos Afetos (coleção UGritos nº 8, 2016, editora Ugra Press).[5][6][7][8]

Atualmente publica a tira diária Viver Dói no jornal Folha de S. Paulo. É uma das poucas cartunistas mulheres a ter espaço em grandes veículos de comunicação e coletâneas de cartunistas relevantes no Brasil.[9]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.