Ferdinand von Lindemann

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde dezembro de 2010). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ferdinand von Lindemann
Conhecido(a) por Teorema de Lindemann–Weierstrass
Nascimento 12 de abril de 1852
Hanôver
Morte 6 de março de 1939 (86 anos)
Munique
Nacionalidade Alemanha Ocidental Alemão
Alma mater Universidade de Erlangen-Nüremberg
Orientador(es) Felix Klein[1]
Orientado(s) Emil Hilb , David Hilbert , Martin Wilhelm Kutta , Max Otto Lagally , Alfred Loewy , Hermann Minkowski , Oskar Perron , Arthur Rosenthal , Wilhelm Schlink , Arnold Sommerfeld , Otto Volk
Instituições Universidade de Munique
Campo(s) Matemática
Tese 1873: Über unendlich kleine Bewegungen und über Kraftsysteme bei allgemeiner projektivischer Maßbestimmung

Carl Louis Ferdinand von Lindemann (Hanôver, 12 de abril de 1852Munique, 6 de março de 1939) foi um matemático alemão, notável por sua prova, publicada em 1882, que π é um número transcendente, isto é, não é raiz de nenhum polinômio com coeficientes racionais.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seu pai, Ferdinand Lindemann, era professor de línguas modernas no Ginásio em Hannover. Sua mãe, Emile Crusius, era filha do diretor desta escola. A família se mudou para Schwerin, onde o jovem Ferdinand começou a estudar. Estudou matemática na Universidade de Göttingen, Universidade de Erlangen-Nüremberg e Universidade de Munique.

Em 1873, orientado por Felix Klein, obteve o título de doutor, e em 1877 se tornou professor em Friburgo, com a tese sobre geometria não euclidiana Über unendliche kleine Bewegungen und über Kraftsysteme bei allgemeiner projektivischer Massbestimmung.

Entre 1883 e 1893 foi professor em Königsberg. É conhecido por ter sido orientador de alunos ilustres como David Hilbert e Hermann Minkowski.

Prova da transcendência de [editar | editar código-fonte]

Em 1882 publicou seu resultado pelo qual é mais conhecido, a transcendentalidade de . Seus métodos são parecidos com aqueles que, nove anos antes, permitiram a Charles Hermite demonstrar que e, a base dos logaritmos naturais, é transcendente. Anteriormente à publicação da demonstração de Lindemann, sabendo-se que se fosse transcendente, então o antigo problema da quadratura do círculo não poderia ser resolvido.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) matemático(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.