Fortuna (cartunista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Reginaldo José Azevedo Fortuna, mais conhecido como Fortuna (São Luís, 21 de agosto de 1931São Paulo, 5 de setembro de 1994) foi um chargista, cartunista e humorista brasileiro.

Começou bastante cedo a desenhar e aos quinze anos, ao se mudar para o Rio de Janeiro, teve desenhos impressos na revista Sesinho, publicação do Serviço Social da Indústria sob o pseudônimo de Ricardo Forte. Durante os primeiros anos de ditadura militar, tornou-se conhecido por suas charges políticas no jornal Correio da Manhã.[1] Algumas dessas charges foram publicadas no livro "Hay Gobierno?" com Jaguar e Claudius.

Passou por publicações da grande imprensa e imprensa alternativa, dentre as quais A Cigarra, O Cruzeiro, Pif-Paf e Revista da Semana. Foi um dos fundadores do jornal Pasquim. Editou e dirigiu a revista de "cartuns e quadrinhos não enlatados" O Bicho.

Foi o responsável pelo projeto gráfico do suplemento Folhetim, do jornal Folha de S. Paulo, editado por Tarso de Castro. Fez capas para a revista "Veja" e livros. Criou a personagem de quadrinhos nonsense "Madame e Seu Bicho Muito Louco". Lançou três livros solos: "Aberto Para Balanço", "Diz, Logotipo!" e "Acho Tudo Muito Estranho (Já o Professor Reginaldo, não). Fortuna morreu de infarto aos 63 anos.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.