Gary Bailey

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gary Bailey
Informações pessoais
Nome completo Gary Richard Bailey
Data de nasc. 9 de agosto de 1958 (59 anos)
Local de nasc. Ipswich,  Reino Unido
Apelido Drácula
Informações profissionais
Posição goleiro (aposentado)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1975-1978
1978-1987
1988-1990
Flag of South Africa (1928–1994).svg Wits University
Inglaterra Manchester United
Flag of South Africa (1928–1994).svg Kaizer Chiefs

0294 0000(0)
Seleção nacional
1985 Flag of England.svg Inglaterra 0002 0000(0)

Gary Richard Bailey (Ipswich, 9 de agosto de 1958) é um ex-futebolista inglês que atuava como goleiro.

Carreira em clubes[editar | editar código-fonte]

Filho de um ex-goleiro do time de sua cidade natal, o Ipswich Town, cedo mudou-se para a África do Sul. Começou a carreira ainda no país, que possuía um futebol incipiente, banido pela FIFA devido aos desejos dos brancos de que o apartheid vigorasse também no futebol - o que por décadas fez com que houvesse seleções (não-oficiais) e campeonatos para brancos, pardos, negros e hindus.[1] Bailey atuava em um pequeno clube de Joanesburgo, o Wits University (antigo time universitário que é o atual BIDVest Wits, após ser comprado pelo banco BIDVest [2]), quando foi então descoberto em 1978 pelo Manchester United, que o levou.

De volta à Inglaterra, Bailey enfrentou preconceitos por ser um branco vindo da África do Sul: "As pessoas me chamavam de "racista maldito", apesar de eu ter me recusado a entrar no Exército para lutar contra os negros ou me envolver de alguma forma no apartheid".[1] Bailey passaria dez anos no United, em período de decadência dos Red Devils. No período, conquistou apenas dois títulos: as FA Cups de 1983 e 1985.

Em 1988, Bailey voltou à África do Sul, novamente à Joanesburgo, agora como jogador do Kaizer Chiefs, um dos grandes times sul-africanos.[2] Por ser anti-apartheid e sentir-se orgulhoso em jogar em todas as regiões negras do país, ele, que era o único branco do time, teve problemas com amigos também brancos, que o acusavam de ser "um vendido para os negros". Apesar disso, não era tão conhecido entre os brancos do país, uma vez que a maioria deles não acompanhava o futebol, ao contrário dos negros, preferindo o rúgbi. Mas as críticas por parte dos brancos continuariam por ele declarar-se a favor de Nelson Mandela.[1]

Bailey aposentou-se em 1990, quando possuía somente 32 anos, baixa idade para um goleiro, por desentender-se com o técnico dos Chiefs.[1]

Seleção[editar | editar código-fonte]

Em 1985, ano em que venceu sua segunda FA Cup pelo Manchester United, Bailey faria suas duas partidas pela Seleção Inglesa, sendo convocado para a Copa do Mundo FIFA de 1986, no ano seguinte, como terceiro goleiro; não realizara jogos pela Seleção Sul-Africana devido ao banimento da FIFA.

Jogos[editar | editar código-fonte]

A tabela abaixo resume as aparições de Gary Bailey pela Seleção Inglesa.[3]

# Data Competição Local Adversário Placar Gols(s)
1 26 de março de 1985 Amistoso Wembley (Londres) Flag of Ireland.svg Irlanda Symbol support vote.svg 1-0 0
2 9 de junho de 1985 Amistoso Azteca (Cidade do México) Flag of Mexico.svg México Symbol oppose vote.svg 0-1 0
Total 0

Referências

  1. a b c d Mais que um jogo - Orlando Pirates x Kaizer Chiefs (janeiro de 2009). FourFourTwo n. 3. Editora Cádiz, pp. 46-50
  2. a b MARTINS, Fernando (agosto de 2008). À espera por 2010. Trivela n. 30. Trivela Comunicações, pp. 54-57
  3. COURTNEY, Barry (22 de abril de 2004). «England - International Results 1980-1989 - Details». RSSSF. Consultado em 17 de abril de 2011.