Grande Prêmio da Itália de 1978

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio da Itália
de Fórmula 1 de 1978
Monza 1976.jpg
Grande Prêmio da Itália de 1978.
Detalhes da corrida
Data 10 de setembro de 1978
Nome oficial XLIX Gran Premio d'Italia
Local Autódromo Nacional de Monza, Monza, Monza e Brianza, Lombardia, Itália
Total 40 voltas / 232.000 km
Pole
Piloto
Estados Unidos Mario Andretti Lotus-Ford
Tempo 1:37.520
Volta mais rápida
Piloto
Estados Unidos Mario Andretti Lotus-Ford
Tempo 1:38.230 (na volta 33)
Pódio
Primeiro
Áustria Niki Lauda Brabham-Alfa Romeo
Segundo
Reino Unido John Watson Brabham-Alfa Romeo
Terceiro
Argentina Carlos Reutemann Ferrari

Resultados do Grande Prêmio da Itália de Fórmula 1 realizado em Monza à 10 de setembro de 1978. Décima quarta e antepenúltima etapa daquela temporada, foi marcada pelo brutal acidente que vitimou o sueco Ronnie Peterson, cuja morte ofuscou o título mundial conquistado por Mario Andretti.[1][2]

Classificação da prova[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 1 Áustria Niki Lauda Brabham-Alfa Romeo 40 1:07:04.54 4 9
2 2 Reino Unido John Watson Brabham-Alfa Romeo 40 + 1.48 7 6
3 11 Argentina Carlos Reutemann Ferrari 40 + 20.47 11 4
4 26 França Jacques Laffite Ligier-Matra 40 + 37.53 8 3
5 8 França Patrick Tambay McLaren-Ford 40 + 40.39 19 2
6 5 Estados Unidos Mario Andretti Lotus-Ford 40 + 46.33 1 1
7 12 Canadá Gilles Villeneuve Ferrari 40 + 48.48 2
8 14 Brasil Emerson Fittipaldi Fittipaldi-Ford 40 + 55.24 13
9 29 Brasil Nelson Piquet McLaren-Ford 40 +1:06.83 24
10 22 República da Irlanda Derek Daly Ensign-Ford 40 +1:09.11 18
11 4 França Patrick Depailler Tyrrell-Ford 40 +1:16.57 16
12 20 África do Sul Jody Scheckter Wolf-Ford 39 + 1 volta 9
13 27 Austrália Alan Jones Williams-Ford 39 + 1 volta 6
14 33 Itália Bruno Giacomelli McLaren-Ford 39 + 1 volta 20
NC 17 Suíça Clay Regazzoni Shadow-Ford 33 + 7 voltas 15
Ret 35 Itália Riccardo Patrese Arrows-Ford 28 Motor 12
Ret 7 Reino Unido James Hunt McLaren-Ford 19 Distribuidor 10
Ret 37 Itália Arturo Merzario Merzario-Ford 14 Motor 22
Ret 15 França Jean-Pierre Jabouille Renault 6 Motor 3
Ret 6 Suécia Ronnie Peterson Lotus-Ford 0 Acidente fatal 5
Ret 3 França Didier Pironi Tyrrell-Ford 0 Acidente 14
Ret 16 Alemanha Ocidental Hans-Joachim Stuck Shadow-Ford 0 Acidente 17
Ret 30 Estados Unidos Brett Lunger McLaren-Ford 0 Acidente 21
Ret 19 Itália Vittorio Brambilla Surtees-Ford 0 Acidente 23
DNQ 25 México Hector Rebaque Lotus-Ford
DNQ 10 Áustria Harald Ertl ATS-Ford
DNQ 9 Países Baixos Michael Bleekemolen ATS-Ford
DNQ 18 Itália Carlo Franchi Surtees-Ford
DNPQ 23 Áustria Harald Ertl Ensign-Ford
DNPQ 32 Finlândia Keke Rosberg Wolf-Ford
DNPQ 36 Alemanha Ocidental Rolf Stommelen Arrows-Ford
DNPQ 38 Itália Alberto Colombo Merzario-Ford

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas. As dezesseis etapas de 1978 foram divididas em dois blocos de oito e neles cada piloto podia computar sete resultados válidos. Dentre os construtores era atribuída apenas a melhor pontuação de cada equipe (mesmo as particulares) por prova e os campeões da temporada surgem grafados em negrito.

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Pole position: Mario Andretti - 1:37.520
  • Volta mais rápida: Mario Andretti - 1:38.23
  • Voltas a líder: Jean Pierre Jabouille 5 voltas (1-5); Niki Lauda 35 voltas (6-40).
  • Mario Andretti e Gilles Villeneuve acabaram a prova respectivamente em primeiro e segundo lugar, mas receberam, cada um, um minuto de penalidade no tempo final de corrida, por queimarem a largada.
  • Devido ao grande tempo necessário após o grave acidente ocorrido a primeira volta para limpar a pista, a prova teve apenas 40 voltas, em vez das 52 previstas.
  • O início da prova sofreu longo atraso pois, na formação do grid para o reinício da corrida, o piloto Jody Scheckter perdeu a roda do carro e bateu forte. Por sorte, o piloto saíu sem maiores complicações do local do acidente, mas as barreiras de pneus onde ele se chocou ficaram completamente destruídas. Um outro grande atraso decorreu da reorganização destas barreiras, e a corrida somente reiniciou por volta das 6 horas da tarde (18 horas), horário local.
  • Foi exatamente nesta corrida que estreou na F-1 o semáforo, em substituição ao antigo método de largada em que se baixava uma bandeira com as cores do país-sede do GP.
  • No entanto, o diretor da prova, Gianni Restelli, atrapalhou-se com a novidade: antes que os carros das últimas filas do grid houvessem parado, foi acionada a luz verde. Os pilotos que vinham de trás, portanto, arrancaram em maior velocidade, o que fez com que todos os carros chegassem juntos ao ponto em que a reta se estreitava antes da Chicane Goodyear. Alguns carros se tocaram, e o Lotus de Ronnie Peterson foi jogado para fora da pista, de encontro ao guard-rail. O choque danificou seriamente a parte dianteira do Lotus e rompeu os tanques de combustível, causando um grande incêndio. Peterson foi tirado do carro com graves ferimentos nas pernas, por bombeiros e outros pilotos, e foi internado. Os primeiros procedimentos médicos no atendimento incluíram a amputação do pé esquerdo do piloto. No dia seguinte, ele faleceu, vítima de embolia causada pelas fraturas.
  • Nas entrevistas dos pilotos após a prova, o inglês James Hunt declarou que, pelo som que emitia no momento da largada, o antigo Lotus reserva que Peterson estava usando parecia ter problemas e não acelerar devidamente, o que teria contribuído para o desastre. No mesmo acidente foi seriamente ferido o piloto italiano Vittorio Brambilla, atingido na cabeça por uma roda solta de um dos carros envolvidos (provavelmente de Schekter), e alguns meses depois outro piloto italiano, Riccardo Patrese, foi colocado em sursis pela FIA, sob a acusação de ter sido elemento culposo do acidente. Por conta da confusão ocorrida com o uso do semáforo no GP da Itália, determinou-se que a largada só poderia ser dada depois que um fiscal atravessasse o grid com uma bandeira na mão, sinalizando que todos os carros haviam parado. * Mario Andretti é campeão mundial de pilotos

Referências

Precedido por
Grande Prêmio dos Países Baixos de 1978
Campeonato mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1978
Sucedido por
Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1978
Precedido por
Grande Prêmio da Itália de 1977
Grande Prêmio da Itália
49ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio da Itália de 1979