Greetings

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Greetings
Quem anda cantando nossas mulheres / Saudações (BRA)
 Estados Unidos
1968 •  cor •  88 min 
Direção Brian De Palma
Roteiro Brian De Palma
Charles Hirsch
Elenco Jonathan Warden
Robert De Niro
Gerrit Graham
Género comédia
Música Eric Kaz
J. Stephen Soles
Artie Traum
Idioma inglês

Greetings (br.: Quem anda cantando nossas mulheres / Saudações) é um filme de comédia estadunidense de 1968, dirigido por Brian De Palma. O roteiro através de humor negro satiriza a Guerra do Vietnã, a moda do amor livre e a investigação do assassinato de Kennedy. E traz alguns elementos que seriam desenvolvidos pelo diretor no seguimento de sua carreira: numa cena aparece o livro de Truffaut sobre Hitchcock (uma das maiores influências de De Palma), um personagem amplia fotos de um crime e cita Blow-Up (tema de Blow Out de 1981); e um outro se diz voyerista (tema retomado em Body Double de 1984) e lê livros e faz filmes amadores sobre o assunto (e mantém esse gosto em plena guerra, na surpreendente cena final). Robert De Niro aparece em seu primeiro papel de protagonista e repetiu o personagem de Jon Rubin, em outra colaboração com De Palma, no filme de 1970 Hi, Mom!.

De Palma faz uma figuração aparecendo como o homem fumando em frente ao escritório de recrutamento do Exército.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O filme começa com um discurso do Presidente Johnson afirmando que iria continuar com a Guerra do Vietnã e que a vida do cidadão americano, em geral, melhorara. Logo a seguir, três jovens amigos novaiorquinos (Paul, Jon e Lloyd) se encontram e discutem formas de enganar os recrutadores do Exército e não irem para a Guerra. Paul é aconselhado a se fingir de homossexual e Jon resolve passar por um tipo nazista, que odeia as minorias e não conseguiria lutar ao lado de negros, judeus e homossexuais. Enquanto aguardam pelos resultados dos exames analisados pelos psiquiatras militares, os três continuam a desenvolver seus interesses: Paul entra para um serviço de encontros amorosos marcados por computador e conhece várias mulheres; Lloyd investiga o assassinato de Kennedy, ampliando as fotos do crime, colecionando material e falando com testemunhas; e Jon cultiva seu voyeurismo.

Premiação[editar | editar código-fonte]

  • O filme participou do 19º Festival de Cinema Internacional de Berlim e ganhou o Urso de Prata [1]

Referências

  1. «Berlinale 1969: Prize Winners». berlinale.de. Consultado em 6 de março de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]