Gruta do Escoural

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Na foto vê-se a ante-câmara construida numa das entradas (acesso A) da Gruta do Escoural. É por aqui que começam as visitas à gruta.

A Gruta do Escoural é uma cavidade natural conhecida pela arte rupestre paleolítica e enterros, localizada no município alentejano de Montemor-o-Novo, em Portugal.

Está classificada como Monumento Nacional desde 1963.

Características[editar | editar código-fonte]

Contra-capa do livro de António Carlos Silva: "Uma gruta pré-histórica no Alentejo - Escoural"

Geologicamente, o sítio está localizado entre as bacias hidrográficas do Tejo, o rio Sado, e da região das planícies alentejanas, na Serra de Monfurado de onde ainda é possível avistar a Serra da Arrábida.

Parcialmente selada por um espesso manto de estalagmites, a gruta é composta de várias salas e galerias. A primeira ocupação da gruta remonta ao Paleolítico Médio, quando grupos de caçadores-coletores neadertais a usaram como abrigo na a prática da caça. Com base em provas ósseas no interior da gruta, estes grupos caçavam nas proximidades auroques, cervos e cavalos. Mais tarde, durante o período Paleolítico Superior (35000-8000 a.C.), os residentes, constituídos por grupos anatomicamente considerados modernos, deixaram importantes vestígios na caverna.

A sua influência é evidenciada por uma rocha-santuário contendo pinturas de animais do período Paleolítico Superior. Mais tarde, quando da emergência do Neolítico (5000-3000 a.C.), as comunidades de agricultores e pastores aproveitaram esta cavidade natural para sepultar os seus mortos.

No final do Neolítico a gruta ficou encerrada mas as populações do Calcolítico (3000 a.C.) continuaram na região. A cerca de 600 metros existem restos de um povoado fortificado, bem como de outros povoados calcolíticos, e ainda um tolo megalítico.

A gruta do Escoural e a Furninha, em Peniche, são considerados monumentos geológicos e arqueológicos afins e de importância universal.

Actualidade[editar | editar código-fonte]

Em 2009 foi sujeita a obras de requalificação num investimento de 350 mil euros ficando então suspensas as visitas às grutas e ao centro interpretativo.

As obras dotaram as grutas de um conjunto de condições, a nível ambiental, para preservação dos vestígios gráficos de gravura e pintura. Será construído um centro de acolhimento, que desemboca no monumento, protegendo as condições ambientais dentro das grutas.

No interior das grutas, o plano de requalificação previu uma reestruturação dos passadiços e da iluminação, sendo que no espaço envolvente ao monumento foi construido um novo parque de estacionamento.[1]

A reabertura ao público ocorreu no dia 30 de Julho de 2011.[2]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Diário Digital / Lusa (22 de Julho de 2009). «Grutas do Escoural vão ser requalificadas» 
  2. Alentejo Popular (5 de Agosto de 2011). «Gruta do Escoural reabre ao público» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gruta do Escoural

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.