Gunhilda da Dinamarca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gunhilda da Dinamarca
Rainha da Germânia
Reinado Junho de 103618 de julho de 1038
Antecessor(a) Gisela da Suábia
Sucessor(a) Inês da Aquitânia
 
Marido Henrique III do Sacro Império Romano-Germânico
Descendência Beatriz I de Quedlimburgo
Casa Knýtlinga (por nascimento)
Saliana (por casamento)
Nascimento c. 1020
Morte 18 de julho de 1038 (18 anos)
Sepultamento Mosteiro de Limburgo, Bad Dürkheim, Alemanha
Pai Canuto II da Dinamarca
Mãe Ema da Normandia

Gunhilda da Dinamarca (em dinamarquês: Gunhild; c. 102018 de julho de 1038) foi rainha consorte da Germânia como a primeira esposa de Henrique III do Sacro Império Romano-Germânico.

Família[editar | editar código-fonte]

Gunilda era filha do rei Canuto II da Dinamarca e Ema da Normandia. Os seus avós maternos eram Ricardo I da Normandia e sua segunda esposa Gunora de Crépon.

Era irmã de Canuto III da Dinamarca. Do lado paterno era meia-irmã de Sueno da Noruega e Haroldo I de Inglaterra. Do lado materno era meia-irmã de Alfredo Atelingo e Eduardo, o Confessor, rei dos Inglaterra.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 1036, Gunhilda casou-se com o imperador Henrique III. Ele era o filho e herdeiro de Conrado II do Sacro Império Romano-Germânico e Gisela da Suábia. Depois do casamento adotou o nome de Cunegunda. Tiveram só uma filha, Beatriz (1037 - 13 de julho de 1061), abadessa de Quedlimburgo e Gandersheim.

O seu casamento fazia parte do pacto entre seu pai Canuto e Conrado II, para a pacificação das fronteiras na área de Kiel. O acordo tinha sido feito antes da morte de Canuto em 1035[1]. Na altura do casamento ela vivia na corte germânica desde 1025.

De acordo com as crónicas de Alberico de Trois-Fontaines e Guilherme de Malmesbury, Gunhilda foi acusada de adultério e defendida num tribunal por combate, mas depois da vitória do seu campeão, ela desdenhou o acontecido e tornou-se freira.[2][3] Mais tarde parede ter-se reconciliado com o marido.

Em 1038 Conrado II foi convidado a intervir em Itália e tanto Henrique III como Gunhilda participaram nessa campanha.

Na viagem de regresso à Alemanha, uma epidemia eclodiu entre as tropas imperiais e Gunhilda foi uma das vítimas.[4]

Referências

  1. M. K. Lawson, Cnut: England's Viking King (2004), p. 104.
  2. Chronica Albrici Monachi Trium Fontium 1041, MGH SS XXIII, p. 787.
  3. Malmesbury II, 188, p. 179.
  4. Fuhrmann, H., trans. Reuter, T. (1995) Germany in the high middle ages c.1050-1200 (Cambridge University Press), p. 40.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gunhilda da Dinamarca


Precedido por
Gisela da Suábia
Rainha da Germânia
Junho de 103618 de julho de 1038
Sucedido por
Inês da Aquitânia