Branca Maria Sforza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Branca Maria Sforza
Branca em pintura de Giovanni Ambrogio de Predis, c. 1493.
Imperatriz do Sacro Império Romano-Germânico
Reinado 4 de fevereiro de 150831 de dezembro de 1510
Rainha consorte da Germânia
Duquesa consorte da Áustria, Estíria, Caríntia e Carníola
Reinado 16 de março de 149431 de dezembro de 1510
Duquesa consorte de Saboia
Reinado Janeiro de 147422 de setembro de 1482
 
Cônjuge Felisberto I, Duque de Saboia
Maximiliano I do Sacro Império Romano-Germânico
Casa Sforza
Saboia
Habsburgo
Nascimento 5 de abril de 1472
  Pavia, Lombardia, Itália
Morte 31 de dezembro de 1510 (38 anos)
  Innsbruck, Tirol, Áustria
Enterro Stams, Tirol, Áustria
Pai Galeácio Maria Sforza
Mãe Bona de Saboia

Branca Maria Sforza (em italiano: Bianca Maria Sforza; Pavia, 5 de abril de 1472Innsbruck, 31 de dezembro de 1510)[1] [2] foi duquesa consorte de Saboia por seu casamento com Felisberto I, Duque de Saboia. Após sua morte, se casou com o imperador Maximiliano I do Sacro Império Romano-Germânico, como sua terceira esposa, e assim se tornou imperatriz do Sacro Império Romano-Germânico e rainha consorte da Germânia.

Família[editar | editar código-fonte]

Ela era a filha de Galeácio Maria Sforza, duque de Milão, e de sua segunda esposa, Bona de Saboia.

Seus avós paternos eram o condotiero Francisco I Sforza e Branca Maria Visconti, de quem recebeu o nome. Sua avó era filha ilegítima de Filipe Maria Visconti, duque de Milão, com sua amante, Inês del Maino.

Seus avós maternos eram Luís, Duque de Saboia e Ana de Lusignan.

Tinha dois irmãos e uma irmã por parte de pai e mãe: João Galeácio Sforza, sucessor do pai, que foi marido de Isabel de Aragão, filha de sua tia, Hipólita Maria Sforza; Hermes Maria Sforza, marquês de Tortona, e Ana Sforza, esposa de Afonso I d'Este, que após sua morte, se casou com Lucrécia Bórgia.

Com a sua amante, Lucrécia Landriani, Galeácio foi pai da famosa Catarina Sforza, sendo assim meia-irmã de Branca.

Seu pai morreu assassinado em 1476, um dia depois do natal, no dia de Santo Estêvão.

Casamentos e noivado[editar | editar código-fonte]

Branca se casou com seu primo Felisberto de Saboia, em janeiro de 1474. Ele era filho de Amadeu IX, Duque de Saboia e de Iolanda da França. A noiva tinha menos de dois anos de idade, e o noivo, nove anos. Ele morreu em 22 de setembro de 1482. A jovem viúva retornou a Milão, passando a viver sob a tutela do tio, Ludovico Sforza.

Mais tarde, em 31 de julho de 1485, ela ficou formalmente noiva de João Corvino, duque de Silésia e Troppau, filho ilegítimo do rei Matias I da Hungria, com Barbara Edelpöck. Porém, o casamento não ocorreu devido às intrigas da rainha Beatriz de Nápoles.

Em março de 1492, uma união entre Branca e o rei Jaime IV da Escócia foi considerada, mas logo descartada.

Branca na década de 1490, em retrato de autor desconhecido.

Seu tio Ludovico arranjou o seu casamento com o imperador Maximiliano, em troca de ter o título de duque reconhecido. Assim, em 16 de março de 1494, Branca se casou com o imperador, na cidade austríaca de Hall, em Tirol. Sua primeira esposa havia sido Maria, Duquesa da Borgonha, que morreu aos 25 anos de idade, e depois foi marido de Ana, Duquesa da Bretanha, cujo casamento foi anulado.

No cerimônia de casamento, ela usou um corselet (um tipo de espartilho) com 80 pedaços de joias presos, sendo que cada pedaço era composto por um rubi e quatro pérolas. [3]

Ela trouxe ao marido um dote de 400.000 ducados, além de ter lhe proporcionado a reivindicação de seu direito sobre o estado de Milão.[3]

A união não foi feliz, e o imperador reclamava que apesar de ter sido mais bonita do que Maria, sua primeira esposa, Branca não era tão sábia quanto ela.

Apesar de suas gravidezes, a rainha não teve nenhum filho. Seus enteados eram Filipe I de Castela, marido da soberana Joana de Castela e a arquiduquesa Margarida de Áustria, governadora dos Países Baixos.

Morte[editar | editar código-fonte]

A rainha morreu em Innsbruck, na data de 31 de dezembro de 1510, e foi enterrada na cidade de Stams.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Branca Maria Sforza

Referências

  1. Foundation for Medieval Genealogy
  2. The Peerage
  3. a b Merek, George Richard (1976). The Bed and the Throne: The Life of Isabella D'Este. [S.l.]: Harper & Row. p. 42