Isabel de Aragão, Rainha da Germânia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Isabel
Infanta de Aragão
Duquesa da Áustria e Estíria
Retrato por Antoni Boys, localizado no Museu de História da Arte em Viena.
Rainha da Germânia
Reinado 19 de outubro de 131513 de janeiro de 1330
Coroação 1315 em Basileia
Antecessor(a) Margarida de Brabante
Sucessor(a) Beatriz da Silésia
 
Cônjuge Frederico, o Belo
Descendência Frederico
Isabel
Ana, Duquesa da Alta Baviera
Casa Barcelona (por nascimento)
Habsburgo (por casamento)
Nascimento 1300
  Barcelona, Espanha
Morte 12 de julho de 1330 (30 anos)
Enterro Minoritenkirche, Viena, Áustria
Pai Jaime II de Aragão
Mãe Branca de Anjou

Isabel de Aragão (em alemão: Elisabeth; Barcelona, 130012 de julho de 1330)[1][2] foi uma infanta de Aragão por nascimento e rainha consorte da Germânia pelo seu casamento com Frederico, o Belo.

Família[editar | editar código-fonte]

Isabel foi a terceira filha e sexta criança nascida do rei Jaime II de Aragão e de sua segunda esposa, Branca de Anjou. Os seus avós paternos eram o rei Pedro III de Aragão e Constança de Hohenstaufen. Os seus avós maternos eram o rei Carlos II de Nápoles e Maria da Hungria.

Ela teve nove irmãos, entre eles: Jaime, marido da infanta Leonor de Castela; o rei Afonso IV de Aragão; Maria, esposa do infante Pedro de Castela; Juan de Aragón y Anjou, arcebispo de Toledo e Patriarca Latino de Alexandria, etc.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 1312 ou 1313, em troca de relíquias religiosas de Santa Tecla, localizadas na cidade de Sis, na Armênia, Jaime II arranjou o noivado da filha com o rei Oshin da Armênia. Ele tinha a intenção de colocá-las na Catedral de Tarragona.

Selo da rainha Isabel.

Contudo, as negociações para as núpcias falharam devido a oposição armênia que se recusava a desenvolver um laço mais forte com os poderes católicos do Ocidente.

Em 1313, a infanta casou-se por procuração com Frederico, então duque da Áustria e Estíria, na cidade de Barcelona, e mais tarde, em janeiro de 1315, se casaram pessoalmente, em Judenburg, na atual Áustria. Ele era filho do rei Alberto I da Germânia e de Isabel de Gorizia-Tirol.

Isabel foi coroada rainha dos Romanos no ano de 1315, em Basileia. De 1315 a 1322, dividiu seu título com Beatriz da Silésia, primeira esposa de Luís IV do Sacro Império Romano-Germânico, e de 1324 a 1330, com Margarida II, Condessa de Hainaut, segunda esposa de Luís IV.

O casal teve três filhos, duas meninas e um menino. Frederico faleceu em 13 de janeiro de 1330, com cerca de 40 anos de idade.

A rainha viúva faleceu no dia 12 de julho de 1330, com aproximadamente 30 anos de idade, e foi sepultada em Minoritenkirche, em Viena.

Descendência[editar | editar código-fonte]

  • Frederico da Áustria (1316 – 1322);
  • Isabel da Áustria (1317 – 23 de outubro de 1336), não se casou e nem teve filhos;
  • Ana da Áustria (1318 – 14 de dezembro de 1343), primeiro foi esposa do duque Henrique XV da Baviera, e depois foi casada com o conde João Henrique IV de Gorizia. Tornou-se uma freira no Convento de Santa Clara. Sem descendência.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Isabel de Aragão, Rainha da Germânia

Referências