Ana Maria de Orleães

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ana Maria
Rainha Consorte da Sardenha
Reinado 17 de fevereiro de 1720
a 26 de agosto de 1728
Predecessora Isabel Cristina de Brunsvique-Volfembutel
Sucessora Polixena de Hesse-Rotemburgo
Rainha Consorte da Sicília
Reinado 22 de setembro de 1713
a 17 de fevereiro de 1720
Predecessora Maria Luísa de Saboia
Sucessora Isabel Cristina de Brunsvique-Volfembutel
Duquesa Consorte de Saboia
Reinado 10 de abril de 1684
a 26 de agosto de 1728
Predecessora Maria Joana Batista de Saboia
 
Marido Vítor Amadeu II da Sardenha
Descendência Maria Adelaide de Saboia
Maria Luísa de Saboia
Vítor Amadeu, Príncipe de Piemonte
Carlos Emanuel III da Sardenha
Casa Orleães (por nascimento)
Saboia (por casamento)
Nascimento 27 de agosto de 1669
  Castelo de Saint-Cloud, Saint-Cloud, França
Morte 26 de agosto de 1728 (58 anos)
  Villa della Regina, Turim, Sardenha
Enterro Basílica de Superga, Turim, Itália
Pai Filipe I, Duque de Orleães
Mãe Henriqueta Ana da Inglaterra
Religião Catolicismo
Assinatura Assinatura de Ana Maria

Ana Maria de Orleães (Saint-Cloud, 27 de agosto de 1669Turim, 26 de agosto de 1728) foi uma princesa francesa por nascimento e sucessivamente Rainha da Sicília e Rainha da Sardenha em decorrência de seu casamento com Vítor Amadeu II de Saboia. Era filha de Filipe I, Duque de Orleães, e sua esposa Henriqueta Ana da Inglaterra.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ana Maria de Orleães nasceu em no Castelo de Saint-Cloud. Era filha de Filipe I, Duque de Orleães, irmão do rei Luís XIV da França, e sua esposa Henriqueta Ana da Inglaterra. Seus avós paternos eram o rei Luís XIII da França e a rainha Ana da Áustria. Seus avós maternos eram o rei Carlos I da Inglaterra e a rainha Henriqueta Maria de França.

Na altura de seu nascimento Ana Maria tinha uma irmã mais velha, a princesa Maria Luísa de Orleães, que viria a ser rainha consorte da Espanha como consorte do rei Carlos II da Espanha.

Com a morte de sua mãe, seu pai se casou-se pela segunda vez com a princesa Isabel Carlota do Palatinado que lhe deu mais dois meios-irmãos, Filipe II, Duque de Orleães e Isabel Carlota de Orleães.

Sua mãe morreu aos 26 anos em decorrência de um parto. Foi a segunda esposa de seu pai, Isabel Carlota do Palatinado, chamada de "Princesa Palatina," famosa na corte francesa, que se comprometeu a tirar Ana Maria de uma profunda depressão que a mesma tinha desenvolvido com a perda da mãe.

Ana Maria se casou em 1684 com seu primo Vítor Amadeu II, Príncipe de Piemonte e Duque de Saboia, Rei da Sicília e do Rei da Sardenha. O duque de Saboia tinha origens francesas por via materna de Maria Joana-Nemours, e por via de sua avó paterna, Cristina da França. O marido tinha uma amante a Condessa de Verrue, também de origem francesa.

Durante a Guerra dos Nove Anos, o duque tomou partido contra a França e invadiu o Delfinado. Caçado pelo exército francês, ele teve que assinar uma paz separada e dar a sua filha mais velha em casamento ao duque de Borgonha, filho mais velho, neto de Luís XIV de França.

Durante a Guerra da Sucessão Espanhola, sua filha mais jovem casou-se com o rei Filipe V de Espanha, também um neto de Luís XIV, o campo Duke mudou várias vezes para atender seus interesses. Turim, a capital foi sitiada pelo exército francês e da duquesa e sua família teve de fugir para Vercelli. Em 1713, o Tratado de Utrecht faz com que o seu marido subisse ao trono da Sicília, que no entanto o trocou em 1720 pelo o trono da Sardenha.

Enquanto isso, a Duquesa de Borgonha e a Rainha da Espanha suas filhas tinham morrido com a idade de 26, como sua avó e tia. A duquesa de Saboia tornou-se rainha da Sicília, perdeu seu filho mais velho em 1715. Sua madrasta morreu aos 80 anos em 1724, em meio a tantas tragédias a própria rainha morreu quatro anos depois na véspera de seu aniversário de 59 anos. Seu marido se casou novamente com uma de suas amantes, abdicou em favor de seu filho sobrevivente.

Descendência[editar | editar código-fonte]

  1. Maria Adelaide (Turim, 6 de dezembro de 1685-12 de fevereiro de 1712 em Versalhes, casada em Versalhes em 7 de dezembro de 1697 com Luís de Bourbon ou de França (Versailhes, 6 de agosto de 1682-18 de fevereiro de 1712 Versalheses), Duque de Borgonha, Delfim do Viennois. Foram pais do rei de França Luís XV.
  2. Maria Ana (Turim 14 de agosto de 1687-18 de agosto de 1690, Turim)
  3. Maria Luísa Gabriela (Turim 17 de setembro de 1688-14 de fevereiro de 1714 Madrid). Rainha da Espanha, Rainha de Nápoles, Rainha da Sicília, Rainha titular de Jerusalem, Rainha da Sardenha, Rainha dos Países Baixos porque casou em 1701 com Filipe V de Espanha (Versailhes 19 de dezembro de 1689 -9 de julho de 1746, Buen Retiro). Foram pais dos reis da Espanha Luís I e Fernando VI.
  4. Vitor Amadeu Filipe José (Turim, 6 de maio de 1699 - 22 de março de 1715, varíola), Príncipe do Piemonte.
  5. Carlos Manuel III (1701-1766) Príncipe do Piemonte, duque de Saboia, Rei da Sardenha.
  6. Manuel Filiberto (1 de dezembro de 1705 - 19 de dezembro de 1705), Duque de Chablais.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ana Maria de Orleães
  • Storrs, Christopher (1999). War, Diplomacy and the Rise of Savoy 1690-1720. [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 0521551463 
Ana Maria de Orleães
Casa de Orleães
Ramo da Casa de Bourbon
27 de agosto de 1669 – 26 de agosto de 1728
Precedida por
Isabel Cristina de Brunsvique-
Volfembutel
Arms of Anne Marie d'Orléans (1669-1728), Duchess of Savoy.jpg
Rainha Consorte da Sardenha
17 de fevereiro de 1720 – 26 de agosto de 1728
Sucedida por
Polixena de Hesse-Rotemburgo
Precedida por
Maria Luísa de Saboia
Rainha Consorte da Sicília
22 de setembro de 1713 – 17 de fevereiro de 1720
Sucedida por
Isabel Cristina de Brunsvique-
Volfembutel
Precedida por
Maria Joana Batista de Saboia
Duquesa Consorte de Saboia
10 de abril de 1684 – 26 de agosto de 1728
Sucedida por
Título novo