Maria Adelaide de Saboia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Adelaide
Princesa de Saboia
Retrato por Jean Baptiste Santerre, 1709
Delfina de França
Reinado 14 de abril de 171112 de fevereiro de 1712
Antecessor(a) Maria Ana Vitória de Baviera
Sucessor(a) Maria Teresa Rafaela de Espanha
 
Marido Luís, Duque de Borgonha
Descendência Luís, Duque de Bretanha
Luís XV de França
Casa Saboia (por nascimento)
Bourbon (por casamento)
Nascimento 6 de dezembro de 1685
  Palácio Real de Turim, Turim, Saboia
Morte 12 de fevereiro de 1712 (26 anos)
Enterro Basílica de Saint-Denis,, Saint-Denis, França
23 de fevereiro de 1712
Pai Vítor Amadeu II, Duque de Saboia
Mãe Ana Maria de Orleães


Maria Adelaide de Saboia (em francês: Marie Adélaïde de Savoie; Turim, 6 de dezembro de 1685Versalhes, 12 de fevereiro de 1712) foi uma princesa de Saboia e delfina de França. Primogênita de Vítor Amadeu II, Duque de Saboia, e da duquesa Ana Maria de Orleães, casou-se em dezembro de 1697, aos doze anos de idade, com o então duque de Borgonha, numa tentativa de estreitar os laços entre França e Saboia, que tinham ficado de lados opostos na Guerra dos Nove Anos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A infância[editar | editar código-fonte]

Nascida no Palácio Real de Turim em 6 de dezembro de 1685, Maria Adelaide era a primogênita de Vítor Amadeu II, duque de Saboia,[1] e da princesa francesa Ana Maria de Orleães, sobrinha de Luís XIV de França, e filha de Filipe I, duque de Orleães e Henriqueta Ana de Inglaterra. Seu parto quase custou a vida de sua mãe, que na altura, tinha somente dezesseis anos.[2][3] Maria Adelaide desfrutou de uma relação particularmente estreita com a sua avó, bem como com a mãe, que, apesar do protocolo, estava a criar os seus próprios filhos, o que era bastante incomum entre a realeza da época.[4] Quando crianças, ela e sua irmã Maria Luísa frequentavam frenquentemente o Vigno di Madama fora de Turim e faziam visitas semanais à sua avó no Palazzo Madama, também em Turim.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Vítor Amadeu tinha proposto inicialmente Maria Adelaide como uma noiva em potencial ao arquiduque José, mas o imperador Leopoldo I do Sacro Império Romano-Germânico tinha rejeitado a proposta por conta de sua pouca idade.[5] O Tratado de Turim foi negociado sob a influência do marechal de Tessé que sugeriu que Maria Adelaide fosse enviada a França para terminar sua educação afim de casá-la com o duque de Borgonha.[6]

Ao chegar à França, Luís XIV, que viera para recebê-la, encontrou-a em Montargis, em 4 de novembro de 1696,[7] e ficou muito satisfeito com a "Princesa".[8] Como ainda era uma menina de onze anos, o casamento não ocorreu imediatamente e, em vez disso, três dias por semana, Maria Adelaide era submetida a aulas na Maison royale de Saint-Louis, a escola de meninas que Madame de Maintenon tinha fundado em 1684 em Saint-Cyr, nos arredores de Versalhes.

Em 6 de dezembro de 1697, em seu décimo segundo aniversário, a princesa Maria Adelaide casou-se formalmente com o Luís, duque de Borgonha no Palácio de Versalhes. O evento ocorreu após a assinatura do Tratado de Rijswijk que pôs fim a Guerra dos Nove Anos. Seu marido era o filho mais velho e herdeiro aparente de Luís, delfim de França e Maria Ana Vitória da Baviera.[9]

O casamento do Maria Adelaide com o duque de Borgonha em 7 de dezembro de 1697 no Palácio de Versalhes.

Duquesa de Borgonha[editar | editar código-fonte]

A nova duquesa de Borgonha tinha uma estreita relação com o rei Luís XIV e com Madame de Maintenon. Sua chegada a Versalhes foi descrita como "uma lufada de ar fresco", revivendo o pátio opaco da corte.[10] Maria Adelaide também maninha estreita correspondência com seus pais e avó.

Ela usou sua influência sobre o velho rei para impedir que seus inimigos políticos promovessem suas causas. Sua grande inimiga era a duquesa de Orleãns, filha ilegítima de Luís XIV e sua amante, Madame de Montespan. A duquesa de Orleãns queria que sua filha, Maria Luísa de Orleães, se casasse com Carlos, Duque de Berry, filho mais novo de Luís, delfim de França. Para manter sua influência sobre seu avô, a duquesa de Borgonha organizou o casamento do duque de Berry com Maria Luísa de Orleães.[11] A influente Maria Adelaide também trouxe a desgraça para Luís José, Duque de Vendôme, um grande militar da época.[12]

Maria Adelaide de Saboia, duquesa de Borgonha.

A duquesa de Borgonha deu à luz seu primeiro filho em 1704. A criança, um menino que viveu por pouco tempo, recebeu o título de duque de Bretanha[13] antes de sua morte em 1705. Maria Adelaide teve mais duas crianças em 1707 e 1710. Seu filho mais novo, a única criança a sobreviver a primeira infância, mais tarde tornou-se o rei Luís XV de França.

Delfina de França[editar | editar código-fonte]

No início de abril de 1711, seu sogro Luís, delfim de França pegou varíola e morreu no dia 14 de abril de 1711 no Castelo de Meudon.[14] Após a morte de Luís, Maria Adelaide e seu marido tornaram-se delfim e delfina de França.

A corte de luto viajou a Fontainebleau em fevereiro de 1712. Em Fontainebleau, Maria Adelaide pegou uma febre que se acometeu em sarampo.[15] Tendo sido sangrada e dada emética, ela morreu em Versalhes aos vinte e seis anos de idade. Luís XIV e Madame de Maintenon mergulharam-se em tristeza. Madame disse mais tarde que Maria Adelaide era uma das duas únicas pessoas que Luís XIV amara verdadeiramente em sua vida, sendo a outra Ana de Áustria, a mãe do rei. Após a morte da delfina, a família real se mudou para o Castelo de Marly para evitar a propagação da infecção. Foi em Marly que o próprio delfim morreu seis dias depois, tendo apanhado o sarampo de sua esposa.[16]

O casal foi enterrado na Basílica de Saint-Denis em 23 de fevereiro de 1712.[17] Seu filho, o duque de Bretanha morreu em março daquele ano com sarampo. O único filho a sobreviver à epidemia foi o futuro Luís XV de França que estava trancado dentro de seus apartamentos com sua governanta Madame de Ventadour para evitar ser sangrado até a morte por médicos como o seu irmão mais velho. Madame de Ventadour ficou famosa por ter salvado a vida do pequeno príncipe. Luís XV posteriormente nomeou sua quarta filha Maria Adelaide em honra de sua mãe.[17]

Descendência[editar | editar código-fonte]

Maria Adelaide e seus Dois Filhos, Duque de Bretanha e Duque de Anjou por Pierre Gobert em 1711.
Nome Nascimento Morte Notas
Luís, Duque de Bretanha 25 de junho de 1704 13 de abril de 1705 Morreu aos 10 meses.
Louis de bourbon (1707-1712).jpg Luís, Duque de Bretanha 8 de junho de 1707 8 de março de 1712 Morreu aos 4 anos.
LouisXV-Rigaud1.jpg Luís XV de França 15 de fevereiro de 1710 10 de maio de 1774 Casou-se com Maria Leszczyńska, com descendência.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]