Happy Death Day

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Happy Death Day
Feliz Dia Para Morrer (PRT)
A Morte Te Dá Parabéns (BRA)
 Estados Unidos
2017 •  cor •  96 min 
Direção Christopher B. Landon
Produção Jason Blum
Angela Mancuso
Ryan Turek
John Baldecchi
Seth William Meier
Roteiro Christopher B. Landon
Scott Lobdell
Elenco Jessica Rothe
Israel Broussard
Ruby Modine
Rachel Matthews
Charles Aitken
Phi Vu
Laura Clifton
Jason Bayle
Rob Mello
Cariella Smith
Caleb Spillyards
Blaine Kern III
Gênero Terror
Comédia
Música Bear McCreary
Cinematografia Toby Oliver
Edição Gregory Plotkin
Companhia(s) produtora(s) Blumhouse Productions
Distribuição Universal Pictures
Lançamento Estados Unidos 13 de outubro de 2017
Brasil 12 de outubro de 2017
Portugal 12 de outubro de 2017
Idioma Inglês
Orçamento US$ 4.8 milhões
Receita US$ 122.6 milhões
Cronologia
Happy Death Day 2U
(2019)
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Happy Death Day é um filme norte-americano de comédia de terror dirigido por Christopher B. Landon, escrito por Cancerman Landon e Scott Lobdell[1] e estrelado por Jessica Rothe, Israel Broussard e Ruby Modine.

O filme foi produzido pela Blumhouse Productions e lançado em 12 de outubro de 2017 pela Universal Pictures.[2] O filme arrecadou US$115 milhões em todo o mundo sobre um orçamento de US$4,8 milhões e recebeu críticas positivas, com críticos considerando o filme divertido enquanto reconhece a premissa familiar,[3] e descrevendo-o como um encontro entre Groundhog Day e Scream.[4] Uma continuação, Happy Death Day 2U, estreia em 2019.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Depois de se embebedar na noite anterior, a estudante universitária Theresa "Tree" Gelbman (Jessica Rothe) acorda em seu aniversário no dormitório de seu colega Carter Davis (Israel Broussard). Ela ignora um telefonema de seu pai, David, e repreende Carter, deixando seu quarto e joga fora um cupcake de aniversário dado a ela por sua companheira de fraternidade Lori Spengler (Ruby Modine). Tree também se encontra com seu professor casado, Gregory Butler, com quem ela está tendo um caso. A noite, a caminho de uma festa, Tree é atraída para um túnel e assassinada por uma figura usando uma máscara do mascote do campus.

Tree imediatamente acorda novamente na cama de Carter e fica nervosa ao descobrir os eventos do dia anterior se repetindo. Confusa, ela ainda assim revive o dia e usa essa segunda chance para evitar o túnel e chegar à festa. No entanto, o assassino mascarado segue-a para a festa e mata-a novamente. Tree novamente acorda na cama de Carter, percebe que ela está em um loop de tempo e se barricada em seu quarto para evitar a morte. O assassino, no entanto se esconde no banheiro e a mata pela terceira vez.

Ao acordar, Tree relata sua história para Carter. Ele sugere aproveitar o loop para identificar seu assassino. Ela passa as próximas loops rastreando pessoas que ela considera suspeitas e sendo morta a cada vez. Depois de acordar de um loop onde ela é espancada, Tree desmaia e desperta no hospital do campus. Seu corpo mostra evidências de recuperação de múltiplas lesões traumáticas, indicando que ela reteve danos físicos de suas mortes anteriores. Pouco depois de escapar do hospital, Tree é perseguida e morta novamente.

Acordando na cama de Carter novamente, Tree convence Carter de sua situação, demonstrando seu conhecimento dos eventos do dia. Tree admite ter um tremendo caso de auto-aversão, particularmente por se afastar seu pai após a morte de sua mãe anos antes. Mais tarde, Tree vê uma reportagem local sobre John Tombs, um serial killer sendo internado no hospital do campus. Concluindo que Tombs é seu assassino, Tree corre para o hospital para alertar sobre sua fuga. Porém Tombs se libertam e quase mata Tree, mas Carter a segue e a resgata. Tombs mata Carter antes de perseguir Tree para uma torre sineira próxima, onde ela o golpeia com um pé de cabra. Percebendo que Carter permanecerá morto se ela terminar o ciclo, Tree se suicida.

Acreditando que ela tenha resolvido o assassinato, Tree está mais feliz e mais relaxada durante o próximo ciclo. Tree termina seu caso com o Dr. Butler. Ela encontra seu pai para o almoço e os dois começam a se reconciliar. Naquela noite, ela vai para o hospital, onde ela aprisiona e mata Tombs. Aliviada por finalmente estar livre, ela comemora seu aniversário no quarto de Carter e come o cupcake dado a ela por Lori.

Tree acorda ainda no loop confusa e irritada com sua situação, ela retorna ao seu quarto, onde Lori oferece a ela o cupcake novamente. Tree percebe que o dia anterior foi a única vez em que ela havia comido o cupcake e dduz que tenha morrido durante o sono. Tree percebe que Lori é a verdadeira assassina. Lori tinha envenenado o cupcake, mas quando Tree não conseguiu comer, Lori utilizou seu trabalho como enfermeira no hospital para incriminar Tombs pela morte de Tree. Tree fala que levará o cupcake para a polícia. Lori então ataca Tree e admite ter um caso com o Dr. Butler, cuja preferência por Tree levou ao plano assassino de Lori. Uma briga começa e Tree cocloca o cupcake envenenado na boca de Lori e depois a chuta através de uma janela para a sua morte.

Em um restaurante, Tree e Carter refletem sobre os eventos do dia, e ele oferece a ela seu quarto para a noite. No dia seguinte, como resultado de uma brincadeira jogada por Carter, Tree acorda acreditando que ela ainda está no ciclo do tempo, mas Carter rapidamente revela que é no dia seguinte, e os dois se beijam.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Jessica Rothe como Theresa "Tree" Gelbman
  • Israel Broussard como Carter Davis
  • Ruby Modine como Lori Spengler
  • Rachel Matthews como Danielle Bouseman
  • Charles Aitken como Gregory Butler
  • Phi Vu como Ryan Phan
  • Laura Clifton como Stephanie Butler
  • Jason Bayle como David Gelbman
  • Rob Mello como Joseph Tombs
  • Cariella Smith como Becky Shepard
  • Caleb Spillyards como Tim Bauer
  • Blaine Kern III como Nick Sims
  • Brody Lang como Ezequiel
  • Annika Harris como Jodie
  • Gigi Erneta como Repórter
  • Dona Duplantier como Enfermeira Deena
  • Missy Yager como Sra. Gelbman
  • Dane Rhodes como Oficial Santora
  • Tenea Intriago como Estudante Protestante
  • Billy Slaughter como Dr. Winter
  • Brady Lewis como Frat Brother
  • Emily LaGroue como Monica
  • Jimmy Gonzales como Policial
  • Lindsey G. Smith como Garçonete
  • Ramsey Anderson como Keith Lumbly

Produção[editar | editar código-fonte]

O filme foi inicialmente anunciado como Half to Death em 2007, estrelado por Megan Fox e produzido por Michael Bay.[5] Após Christopher B. Landon ser contratado para reescrever o roteiro de Scott Lobdell, o estúdio decidiu não prosseguir com o projeto. Anos depois, quando Landon almoçou com a produtora Angela Mancuso, ela se lembrou de Half to Death, inspirando Landon a encaminhar seu texto para Jason Blum, com quem trabalhou nas continuações de Paranormal Activity. Blum aprovou e o projeto logo começou na Universal Pictures.[6]

No dia 11 de outubro de 2016, a Blumhouse Productions anunciou que Jessica Rothe foi escalada para o papel principal do filme, com Christopher B. Landon escrevendo e dirigindo o longa e Jason Blum na produção.[7] No dia 8 de novembro de 2016 foi anunciado que Ruby Modine, Charles Aitken e Rachel Matthews se uniram ao elenco do filme ao lado de Jessica Rothe e Israel Broussard.[7]

Filmagens[editar | editar código-fonte]

As filmagens ocorreram na Universidade Loyola em Nova Orleans, Louisiana,[8] e duraram 5 semanas.[9] As cenas em que Tree acorda na cama de Carter após sua morte foram filmadas em um período de dois dias.[10] A cena após a morte de Lori deveria ser na casa de irmandade, mas a permissão para filmagens havia acabado antes da produção ser capaz de filmar lá, forçando a mudarem a locação para um restaurante de Los Angeles que aparece em outra produção da Blumhouse, Fragmentado.[11]

Final alternativo[editar | editar código-fonte]

No final original do filme, Tree é levada para o hospital depois de seu encontro com Lori. O médico a instrui a ficar longe de medicação para dor por pelo menos um dia, devido à extensão de seus ferimentos. Depois que ele sai, uma enfermeira chega e diz a Tree que ela está dando à Tree algo para a dor e Tree a informa das ordens do médico. A enfermeira se revela a esposa do Dr. Butler, Stephanie, que diz que o remédio é para sua própria dor e depois mata Tree como vingança pelo caso amoroso entre ela e o doutor.

Esta versão foi mostrada nas sessões de teste para o filme, e foi recebida negativamente pelo público, forçando os escritores a criarem o final que foi utilizado. O diretor Christopher Landon também revelou que Lori e o Dr. Butler eram os assassinos nos rascunhos do roteiro, algo que mais tarde inspirou a ideia do cupcake envenenado.[12]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Performance comercial[editar | editar código-fonte]

Happy Death Day foi lançado no dia 12 de outubro de 2017 pela Universal Pictures.[2] Arrecadou US $ 55,7 milhões nos Estados Unidos e no Canadá, e US $ 67 milhões em outros territórios, para um total mundial de US $ 122,6 milhões, contra um orçamento de produção de US $ 4,8 milhões.

Nos Estados Unidos e no Canadá, o filme foi lançado junto a Marshall, O Estrangeiro e Professor Marston e as Mulheres-Maravilhas, e esperava-se arrecadar de 15 a 20 milhões de dólares em 3.130 cinemas em seu fim de semana de abertura.[13] O filme arrecadou US$1 milhão em prévias na noite de quinta-feira, em 2.450 salas, semelhante ao outro lançamento da Blumhouse, A Visita (US $ 1,05 milhão em 2015)[14] e US$11,6 milhões no primeiro dia, aumentando as projeções para US$26 milhões. O filme de fato conseguiu US$26 milhões, chegando ao topo das bilheterias, tornando-se o terceiro filme da Blumhouse Productions em 2017 (depois de Fragmentado e Corra!) a conseguir tal feito.[15] Caiu 64% em seu segundo fim de semana para US$9,4 milhões, terminando em terceiro lugar atrás dos novatos Boo 2! Um Madea Halloween e Tempestade: Planeta em Fúria.[16]

Recepção crítica[editar | editar código-fonte]

No site agregadores de resenhas Rotten Tomatoes, o filme tem uma classificação de aprovação de 71% com base em 119 avaliações, com uma classificação média de 6/10. O consenso crítico do site diz, "Happy Death Day coloca uma aposta de humor negro sci-fi sobre convenções slasher, com atuação estelar e afiada cortesia de Jessica Rothe".[17] No Metacritic, o filme tem uma pontuação média ponderada de 57 de 100, com base em 26 resenhas, indicando "críticas mistas ou médias".[18] As audiências pesquisadas pelo CinemaScore deram ao filme uma nota média de "B" em uma escala A+ a F, enquanto os fãs noticiados pelo PostTrak deram 52% de "recomendação definida".

Referências

  1. «Chistopher Landon Scares Cast Half to Death - Dread Central». Dread Central (em inglês). 8 de novembro de 2016 
  2. a b «Get Scared 'Half to Death' This October - Bloody Disgusting!». bloody-disgusting.com (em inglês). Consultado em 17 de junho de 2017 
  3. Giles, Jeff (12 de outubro de 2017). «Happy Death Day Is Familiar but Fun». Rotten Tomatoes. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  4. D'Alessandro, Anthony. «Blumhouse Has Plenty To Smile About As 'Happy Death Day' Scares Up $26M+ Opening». Deadline Hollywood. Consultado em 15 de outubro de 2017 
  5. «EXCLUSIVE: Megan Fox Joins Half to Death». Beyond Hollywood. 15 de julho de 2007. Consultado em 27 de setembro de 2017. Arquivado do original em 28 de setembro de 2017 
  6. «How it took nearly 10 years to make the horror movie 'Happy Death Day'». 4 de outubro de 2017 
  7. a b McNary, Dave (11 de outubro de 2016). «Jessica Rothe Starring in Horror Movie 'Half to Death' (EXCLUSIVE)». Variety (em inglês) 
  8. Production Notes for Happy Death Day
  9. «Happy Death Day's Jessica Rothe On What It Means To Be A Scream Queen in 2017» 
  10. Philip, Tom (18 de outubro de 2017). «Happy Death Day Star Jessica Rothe Explains What It's Like to Die a Dozen Times in the Same Movie». GQ. Consultado em 19 de outubro de 2017 
  11. The director of 'Happy Death Day' answers all the questions you have after watching the movie, Insider
  12. «Happy Death Day Shot An Original Ending That Made Test Audiences Furious». Cinema Blend. 16 de outubro de 2017. Consultado em 21 de janeiro de 2018 
  13. «'Happy Death Day' expected to unseat 'Blade Runner 2049' at the box office». Los Angeles Times. 11 de outubro de 2017. Consultado em 11 de outubro de 2017 
  14. «Blumhouse Makes a Wish for Another #1 Opener with 'Happy Death Day'». Box Office Mojo. 12 de outubro de 2017. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  15. D'Alessandro, Anthony. «Blumhouse Has Plenty To Smile About As 'Happy Death Day' Scares Up $26M+ Opening». Deadline Hollywood. Consultado em 15 de outubro de 2017 
  16. D'Alessandro, Anthony. «'Boo 2! A Madea Halloween' Reaps $21M+ During October Dumping Ground At The B.O.». Deadline Hollywood. Consultado em 22 de outubro de 2017 
  17. Fandango Media (ed.). «Happy Death Day (2017)». Rotten Tomatoes. Consultado em 18 de março de 2018 
  18. CBS Interactive (ed.). «Happy Death Day Reviews». Metacritic. Consultado em 21 de outubro de 2017