Hazorasp

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Bandeira do Uzbequistão Hazorasp

Khazarasp • Hazarasp • Khazorasp

 
  Cidade  
Localização
Hazorasp está localizado em: Uzbequistão
Hazorasp
Localização de Hazorasp no Usbequistão
Coordenadas 41° 19' N 61° 04' E
País Uzbequistão
Província Corásmia
Distrito Hazorasp
Características geográficas
População total (2005) 16 700 hab.
Altitude 100 m

Hazorasp (em russo: Ҳазорасп), também conhecida como Khazarasp (Хазарасп), Khazorasp ou pelo seu nome mais antigo Hazārasp (em persa: هزار اسپ‎; "mil cavalos"),[1] é um cidade do Usbequistão situada junto à margem esquerda do Amu Dária, junto à fronteira com o Turquemenistão. É capital do distrito homónimo da província da Corásmia. Em 2005 tinha 16 700 habitantes.[carece de fontes?] Desde 2008 que é candidata a Património Mundial da UNESCO.[2]

Fica cerca de 50 km a sudeste de Urguenche, 60 km a leste de Quiva, 200 km a sudeste de Nucus, 350 km a noroeste de Bucara e 900 km a oeste de Tasquente (distâncias por estrada).

História[editar | editar código-fonte]

É considerada uma das cidades mais antigas da Ásia Central — os estudos arqueológicos atestam a sua existência em meados do 1.º milénio a.C. Durante a Idade Média foi um importante centro de comércio da Rota da Seda e no século VIII d.C. era uma das três cidades mais fortificadas da Corásmia.[2]

Ao longo da sua história foi palco de várias batalhas. Em 1017, o sultão gasnévida Mamude de Gásni derrotou o mamúnida Abu'l-Harith Muhammad do Império Corásmio. Em 1147, sultão seljúcida Amade Sanjar conquistou a cidade após dois meses de cerco durante a guerra com o xá corásmio Aladino Atsiz, que ali se tinha refugiado. Em 1204, o xá corásmio Aladino Maomé derrotou o sultão gúrida Muizadim Maomé. No final da década de 1210 a cidade foi destruída por mongóis de Gêngis Cã.[1]

Hazarasp foi depois reconstruída e ganhou novamente alguma importância, nomeadamente durante os séculos em que pertenceu ao Canato de Quiva (séculos XVI a XI). A família real do de Quiva chegou a ter residência na cidade. Foi tomada pelo russos durante a conquista russa da Ásia Central.[1]

Segundo os dados apresentados na candidatura a Património Mundial, ao contrário de grande parte das cidades mais antigas que chegaram aos nossos dias, a parte antiga de Hazorasp não resulta dum desenvolvimento gradual espontâneo, tendo sido construída duma só vez seguindo um plano. Era completamente cercada por muralhas fortificadas por torres, das quais só sobreviveram doze. No canto sudeste do recinto muralhado ergue-se a torre Dev-Solgan da cidadela. As muralhas, construídas em pahsa (espécie de taipa) e tijolos de adobe, têm atualmente 12 metros de altura nos locais onde a parte superior ainda existe e 10 metros nos restantes locais; em alguns locais estão totalmente destruídas.[2]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  • Parte do texto foi inicialmente baseado na tradução do artigo «Hazorasp» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão).
  1. a b c Spuler 1971, p. 336.
  2. a b c Khazarasp. UNESCO World Heritage Centre - Tentative Lists (whc.unesco.org). Em inglês ; em francês. Páginas visitadas em 14 de dezembro de 2020.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Howorth, Henry Hoyle (1880), History of the Mongols, from the 9th to the 19th Century. Part II division II — The so-called tartars of Russia and Central Asia (em inglês), Londres: Longmans, Green and Co.  Cópia em archive.org. Consulta em Google Books.
  • Spuler, B. (1971), «Hazārasp», in: Lewis, B.; Ménage, V. L.; Pellat, Ch.; Schacht, J., Encyclopaedia of Islam, Second Edition, Volume III: H–Iram, ISBN 90-04-08118-6 (em inglês), Leida: E. J. Brill, OCLC 495469525.  Cópia em archive.org. Consulta online em brillonline.com.
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Uzbequistão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.