Henry Wadsworth Longfellow

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Henry Wadsworth Longfellow
Nome nativo Henry Wadsworth Longfellow
Nascimento 27 de fevereiro de 1807
Portland
Morte 24 de março de 1882
Cambridge
Residência Cambridge, Portland, Maine
Cidadania Estados Unidos
Progenitores Pai:Stephen Longfellow
Filho(s) Alice Mary Longfellow, Ernest Wadsworth Longfellow
Alma mater Bowdoin College
Ocupação escritor, poeta, romancista, professor
Influências Dante Alighieri, John Keats, Charles Dickens
Prêmios Ordem do Mérito para as Artes e Ciência, Pour le Mérite
Empregador Universidade Harvard
Movimento estético romantismo
Causa da morte Peritonite
Assinatura
Henry Wadsworth Longfellow Signature.svg

Henry Wadsworth Longfellow (Portland, Maine, Estados Unidos, 27 de fevereiro de 1807Cambridge, Massachusetts, Estados Unidos, 24 de março de 1882) foi um poeta estadunidense.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Longfellow graduou-se em 1825, após o que percorreu a Europa. Na Alemanha, familiarizou-se com o romantismo.

Iniciou sua carreira com a tradução das "Coplas", de Jorge Manrique. Em 1836, voltando aos Estados Unidos, lecionou francês e espanhol em Harvard. Alcançou sucesso ao publicar o livro de poesia “Vozes da Noite” (Voices of the Night), em 1839, onde se encontra o célebre poema “O salmo da vida” (The Psalm of Life).

Em 1854 abandonou o ensino e passou a se dedicar à literatura, publicando uma série de poemas narrativos, tais como “O Canto de Hiawatha” (The Song of Hiawatha, 1855), visão idealizada da vida indígena e “O Namoro de Miles Standish” (The Courtship of Miles Standish, 1858), narrando o romance de um seu antepassado.

Em 1872, publicou uma trilogia sobre o cristianismo, “Cristo: um Mistério” (Christus: a Mistery).

Em 1876, publicou uma tradução de "A Divina Comédia" de Dante Alighieri.

Encontra-se colaboração da sua autoria na revista O paquete do Tejo[1] (1866).

Foi amigo de Dom Pedro II.[2]

Obras principais[editar | editar código-fonte]

  • Voices of the Night, 1839 – (Vozes da Noite)
  • Baladas, 1841
  • Poems on Slavery, 1842 – (Poemas sobre a Escravidão)
  • Evangeline, 1847, seu poema mais popular.
  • The Song of Hiawatha, 1855 – (O canto de Hiawatha)
  • The Courtship of Miles Standish, 1858 – (O Namoro de Miles Standish)
  • Christus: a Mistery, 1872 – (Cristo: um Mistério)
  • Tradução de A Divina Comédia, de Dante Alighieri, 1876

Referências literárias[editar | editar código-fonte]

  • VÁRIOS (2000). Nova Enciclopédica Barsa. Encyclopaedia Britannica do Brasil, Vol. 9, ISBN 85-7026-489-5. [S.l.: s.n.] 

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. O paquete do Tejo : publicação mensal (1866) [cópia digital, Hemeroteca Digital]
  2. The Emperor and the Poet: Longfellow House’s Brazilian Connection, Longfellow House Bolletin, Volume 4, No. 2, A Newsletter of the Friends of the Longfellow House and the National Park Service, December2000. (texto em inglês).


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.