Hijab

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Diferentes formas de hijab.
Mulher utilizando o hijab na Gâmbia.

Hijabe ou hijab (do árabe: حجاب, translit. ħijāb, 'cobertura'; "esconder os olhar"; pron.: [ħiˈdʒæːb]) é o conjunto de vestimentas preconizado pela doutrina islâmica. No Islã, o hijab é o vestuário que permite a privacidade, a modéstia e a moralidade, ou ainda "o véu que separa o homem de Deus".[1] O termo "hijab" é, por vezes, utilizado especificamente em referência às roupas femininas tradicionais do Islã, ou ao próprio véu.

O hijab é usado pela maioria das muçulmanas que vivem em países ocidentais. A depender da escola de pensamento islâmica, o hijab pode se traduzir na obrigatoriedade do uso da burca, que é o caso do Talibã afegão, até apenas uma admoestação para o uso do véu, como ocorre na Turquia. Na atualidade, o hijab é obrigatório na Arábia Saudita e na República Islâmica do Irã, além de governos regionais noutros países, como na província indonésia de Achém.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

حجاب significa em árabe "cobertura". A palavra vem de حجب, que significa "cobrir, proteger".

Uso do hijab[editar | editar código-fonte]

Estudiosos islâmicos afirmam que o Islã preserva a dignidade da mulher e recusa que ela seja possuída por estranhos. Para eles o hijab foi decretado para proteger a sua modéstia e honra pois Deus, o Altíssimo, diz no Alcorão Sagrado:

Cquote1.svg Ó profeta, dizei a vossas esposas, vossas filhas e às mulheres dos crentes que quando saírem que se cubram com as suas mantas; isso é mais conveniente, para que se distingam das demais e não sejam molestadas; sabei que Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo Cquote2.svg
33.ª Surata, Al-Ahzab, versículo 59

Deus revelou este versículo ao seu Mensageiro, o Profeta Maomé, ordenando a mulher crente a se cobrir com sua manta quando saísse de seu lar, de tal maneira que nenhum de seus atrativos ficasse visível; porque desta maneira sua aparência se tornaria claro a todos, de que ela era uma muçulmana, honrada, casta, pelo que nenhum hipócrita ousaria molestá-la.[2]

O uso ou não do hijab pouco preocupa muçulmanos de certas correntes. Muitas mulheres não usam o véu sequer para a celebração religiosa de sexta-feira, o dia sagrado dos muçulmanos. Elas contam que usar ou não usar o véu é uma questão pessoal, e que o mais importante não é usar ou não usar, mas o motivo que leva a mulher a querer usar.[3]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Hijab

Referências

  1. Glasse, Cyril, The New Encyclopedia of Islam, Altamira Press, 2001, p.179-180
  2. Liga da Juventude Islâmica do Brasil, O Significado do Hijab
  3. BBC Brasil, Muçulmanos em São Paulo dizem que não são radicais