Hispano HA-200

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
HA-200 Saeta
Picto infobox Mig 29.png
Descrição
Tipo / Missão Caça a jato treinador avançado
País de origem Flag of Spain.svg Espanha
Fabricante Hispano Aviación
Quantidade produzida 212 (90 no Egito) unidade(s)
Primeiro voo em 1955 (61 anos)
Introduzido em 1962
Variantes
Tripulação 2
Especificações (Modelo: HA-200E)
Dimensões
Comprimento 8,92 m (29,3 ft)
Envergadura 11,02 m (36,2 ft)
Altura 3,26 m (10,7 ft)
Área das asas 17,40  (187 ft²)
Peso(s)
Peso vazio 1 990 kg (4 390 lb)
Peso carregado 3 450 kg (7 610 lb)
Propulsão
Motor(es) 2 x turbojato Turbomeca Marboré VI
Força de empuxo (por motor) 479 kgf (4 700 N)
Performance
Velocidade máxima 805 km/h (434 kn)
Velocidade de cruzeiro 600 km/h (324 kn)
Alcance (MTOW) 1 400 km (870 mi)
Teto máximo 13 000 m (42 700 ft)
Razão de subida 17 m/s
Armamentos
Metralhadoras / Canhões Provisão para um canhão de 20 mm (0,787 in) na fuselagem
Notas
Outros: Pontos duros sob as asas para alocação de casulos de armas ou foguetes/mísseis.
Dados de: Jane's All The World's Aircraft 1965-66[nota 1]

O Hispano HA-200 Saeta é uma aeronave de treinamento a jato, fabricada na Espanha e no Egito (sob licença) entre 1955 a 1965 pela empresa Hispano Aviación. O Saeta foi a primeira aeronave a jato projetada e construída pela indústria aeronáutica espanhola.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Após a Segunda Guerra Mundial, muitos cientistas, técnicos e engenheiros da indústria aeronáutica alemã fugiram para a península Ibérica e de lá para a América, tentando evitar a captura pelos aliados (principalmente os soviéticos). Ao contrário de seus colegas, Willy Messerschmit (proeminente engenheiro e empresário) acabou permanecendo na Alemanha. Após o fim da guerra, foi preso pelos aliados e condenado em um tribunal de desnazificação em 1948, por ser tido como um simpatizante do nazismo e por ter se utilizado de trabalho escravo durante a guerra. Libertado em meados de 1950, não pôde retomar a produção de aeronaves por conta da Alemanha ter sido proibida de fabricá-las até 1955. Assim, reorganizou sua indústria e passou a fabricar construções pré moldadas, máquinas de costura e automóveis.

Enquanto isso, a Espanha continuava investindo na fabricação de aeronaves, baseada em projetos e com apoio de técnicos e cientistas alemães, porém o fim da guerra causou um breve congelamento dos projetos. No inicio da década de 1950, muitos países ingressavam na era a jato, enquanto que a Espanha ainda operava obsoletas aeronaves a pistão. Para continuar o desenvolvimento de sua indústria aeronáutica, a Espanha contratou os serviços de Messerschmitt em 1952.[2]

Messerschimitt apresentou três projetos: uma aeronave leve de treinamento e motor a pistão (Hispano HA-100 Triana), uma aeronave de treinamento a jato (HA-200 Saeta) e uma aeronave supersônica de caça (HA-300). Desses projetos, apenas o HA-200 obteve um relativo sucesso.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Protótipo do HA-200 apresentado na Feira de aviação de Le Bourget (1957).

Após o abandono do projeto do HA 100 Triana, a Hispano voltou-se para o desenvolvimento do HA-200 Saeta. Utilizando parte do projeto do Triana, Messerschimitt concebeu o projeto de uma aeronave a jato, equipada com duas turbinas francesas Turbomeca Marboré, de 3.91 kN de empuxo cada. Sua fuselagem era inteiramente constituída de aço, tendo uma configuração de assentos em tandem. As asas eram de perfil baixo, tipo cantilever e foram herdadas do HA 100 Triana. Configurada para voar em uma altitude de 13 mil pés, a aeronave exigiu o desenvolvimento de um sistema de pressurização da cabine. Esse sistema foi projetado e fornecido por empresas espanholas, permitindo a aquisição de conhecimento e tecnologia necessários para os futuros projetos aeronáuticos espanhóis.[1]

O primeiro voo de testes ocorreu no dia 12 de agosto de 1955. Os dois protótipos construídos foram aperfeiçoados e testados até o final dessa década. Após o sucesso dos testes, o governo espanhol autorizou a compra de 55 aeronaves.[1]

Operação[editar | editar código-fonte]

Espanha[editar | editar código-fonte]

HA 220 Super Saeta, equipado com com lança foguetes.

O HA-200 Saeta entrou em serviço em 1963, equipando dois esquadrões do Ejército del Aire. O Saeta foi empregado inicialmente como treinador a jato. Na década de 1970, durante a guerra travada pela Espanha contra a frente Polisário no Saara Ocidental, o Saeta foi utilizado pela primeira vez em combate. Para atuar na função de ataque ao solo e apoio a tropas em terra, quarenta Saetas foram modificados, recebendo 4 cabides para bombas ou foguetes e receberam o nome HA-220 Super Saeta.

O Saeta e o Super Saeta foi utilizados até 1981 quando foram substituídos pelo CASA C-101 Aviojet.[1]

Egito[editar | editar código-fonte]

Visando desenvolver sua indústria aeronáutica, o Egito adquiriu licenças do Saeta e construiu uma fábrica em Helwan, nos arredores do Cairo. A Helwan produziu 90 aeronaves, batizadas de Al-Kahira, que equiparam um esquadrão de treinamento da força aérea egípcia no início dos anos 1960. Durante a Guerra dos Seis Dias, as aeronaves foram equipadas com foguetes e entraram em combate pela primeira vez, apoiando a infantaria egípcia no Sinai.[1] O Helwan Al-Kahira foi retirado de serviço no início dos anos 1990, quando foi substituído pelo Dassault-Dornier Alpha-Jet.

Versões[editar | editar código-fonte]

  • HA-200R Saeta: Dois protótitpos;
  • HA-200A Saeta: produção inicial;
  • HA-200B Saeta: Dez aviões de pré série produzidos para o Egito;
  • HA-200D Saeta
  • HA-200E Super Saeta
  • HA-200D equipado com turbinas Marbore VI e melhorias nos aviônicos
  • HA-220 Super Saeta: Versão de ataque ao solo do HA-200 E[3]
  • E.14 Saeta:designação militar espanhola da versão monoplace do HA-200
  • C.10 Super Saeta:designação militar espanhola da versão monoplace de ataque ao solo HA-220D e HA-220E;
  • Helwan HA-200B Al-Kahira: Versão construída pela Helwan, no Egito

Utilizadores[editar | editar código-fonte]

Ex Utilizadores[editar | editar código-fonte]

  • Flag of Spain.svg Espanha (1963-1982) - Ejército del Aire : 117 aeronaves utilizadas, incluindo a versão Super Saeta.
  •  Egito (1960-c.1990) - Força Aérea do Egito: 90 aeronaves utilizadas, construídas no país pela Helwan Aviation sob licença da Hispano Aviación.
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Hispano HA-200

Ver também[editar | editar código-fonte]

Aeronaves similares:

Notas

  1. Taylor 1965, pp. 119–120.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Taylor, John W. R. (1965). Jane's All The World's Aircraft 1965-66. London: Sampson Low, Marston.

Referências

  1. a b c d e "Hispano Aviación HA-200 Saeta". Ejército del Aire. Consult. 29 de junho de 2014. 
  2. Werner Zwick (UPI) (19 de julho de 1968). "Hitler joined the jet set too late". The Milwaukee Jornal, Ano 68, página 16. Consult. 28 de junho de 2014. 
  3. "CASA surpreendeu visitantes no Anhembi". Folha de S.Paulo, Ano LIV, edição 16422, Caderno de Transportes, página 18. 5 de junho de 1974. Consult. 29 de junho de 2014.