Jeanne Marie Gagnebin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jeanne Marie Gagnebin
Nascimento 1949 (71 anos)
Lausanne, Suíça

Jeanne Marie Gagnebin de Bons (Lausanne, 1949) é uma professora, filósofa e escritora suíça, residente no Brasil desde 1978.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Deixou a Suíça aos 18 anos para estudar em Tübingen, na Alemanha, onde participou de uma experiência educativa libertária. Os estudantes praticavam a autogestão. "Isto foi em 1968, a gente fazia passeata, ia ver o túmulo do Hölderlin, era realmente muito bonito." Posteriormente voltou à Suíça para estudar Letras e Filosofia. Graduou-se na Universidade de Genebra, com Philosophie de l'Histoire chez Walter Benjamin. Três anos depois, iniciou o doutorado em Universidade de Heidelberg, na Alemanha, concluído 1978, com Zur Geschichtsphilosophie Walter Benjamins. Die Unabgeschlossenheit des Sinnes ("Sobre a Filosofia da História de Walter Benjamin. O Inacabamento do Sentido.").

Gagnebin tem cinco títulos de pós-doutorado (da École des Hautes Études en Sciences Sociales, 1986-1988; da Universität Konstanz, 1989-1990; da Freie Universität Berlin, 1996-1996; do Zentrum für Literatur- und Kulturforschung de Berlim, 2000, e da École Normale Supérieure de Paris, 2006).[1]

É casada com o filósofo e professor brasileiro Marcos Lutz Müller, que conheceu quando ambos estudavam na Alemanha. Em janeiro de 1978, o casal se instalou em Campinas, já que ele fora contratado pela Unicamp. "Ganhei uma nova consciência social ao sair da Suíça... Hoje, minha casa é o Brasil, mesmo me sentindo tão estrangeira no Brasil quanto na Suíça. Na verdade, eu me sinto estrangeira em todos os lugares", diz Gagnebin. [2]

Em 1979, foi convidada por Bento Prado para lecionar na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Atualmente é professora de Filosofia da PUC-SP e livre-docente da Unicamp, atuando na área de teoria e crítica literárias

Trabalhos publicados[editar | editar código-fonte]

Especialista na obra de Walter Benjamin, é autora ou co-autora de vários livros; escreveu inúmeros artigos e organizou diversas coletâneas de textos.

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Lembrar escrever esquecer. São Paulo: Editora 34 Ltda., 2006. [3]
  • Sete Aulas sobre Linguagem, Memória e História. Rio de Janeiro: Imago, 1997.
  • Histoire et Narration chez Walter Benjamin Paris: Ed. de l'Harmattan, 1994.
  • História e narração em Walter Benjamin (Perspectiva, 1994)
  • Walter Benjamin: Os Cacos da História. São Paulo: Brasiliense, 1982.
  • Zur Geschichtsphilosophie Walter Benjamins. Die Unabgeschlossenheit des Sinnes. Erlangen: Verlag Palm & Enke, 1979.

Alguns artigos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências