Jiro Taniguchi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jiro Taniguchi
Jiro Taniguchi no festival Lucca Comics and Games em  2011
Nascimento 14 de agosto de 1947
Tottori, Tottori, Japão
Morte 11 de fevereiro de 2017 (69 anos)
Tóquio, Japão
Magnum opus O Homem Que Passeia

Jiro Taniguchi (谷口 ジロー, Taniguchi Jirō?, 14 de agosto de 1947 – 11 de fevereiro de 2017) foi um roteirista e desenhista japonês de mangá.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Taniguchi começou a sua carreira como assistente do artista de mangá Kyota Ishikawa. Fez sua estreia  nos mangás em 1970, com Kareta Heya (Um Verão Ressecado), publicado na revista Young Comic.

De 1978 a 1986, ele criou vários quadrinhos policiais com o roteirista Natsuo Sekigawa, tais como Cidade Sem Defesa, O Vento do Oeste é Branco e Lindo 3. De 1987 a 1996, Taniguchi e Natsuo Sekigawa produziram a série em 5 volumes Botchan no Jidai. Em 1990, ele lançou  vários álbuns, entre os quais Aruku Hito (歩くひと?)

Em 1980-1983, colaborou com Garon Tsuchiya nos mangás Blue Fighter (青の戦士, Ao no Senshi?) , Knuckle Wars (ナックル・ウォーズ, Nakkuru Wōzu?) (ナックル・ウォーズ, Nakkuru Wōzu') e Live! Odyssey (LIVE! オデッセイ?) .


Taniguchi ilustrou as obras de Baku Yumemakura', Garouden de 1989-1990 e Kamigami no itadaki (A Cúpula dos Deuses) de 2000 a 2003. Mais tarde recebeu prêmios no  Festival Internacional de banda desenhada de Angoulême  em 2002 e 2005.

Em 1997, criou a série Ikaru (Ícaro), com textos de Mœbius.

Jiro Taniguchi ganhou vários prêmios por seu trabalho; entre outros, o Prêmio Cultural Osamu Tezuka (1998) pela série Botchan no Jidai, o prêmio Shogakukan com Inu o Kau, e em 2003, o Alph Art de melhor roteiro no Festival de Angouleme por Um Bairro Distante. A sua obra tem sido traduzida para muitos idiomas. O cineasta mexicano Guillermo del Toro elogiou seu trabalho, afirmando que "Taniguchi foi um poeta do mangá. O Kieslowski das páginas. Um sereno e profundo observador do mundo."[2]

Taniguchi morreu em 11 de fevereiro de 2017, em Tóquio, com a idade de 69 anos.[3]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

fonte[4]

Da década de 1980 e anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 1979 - Lindo 3!
  • 1980 - Muboushi Toshi
  • 1980 - Ooinaru Yasei
  • 1981/03 - Jiken Ya Kagyou - Trouble is my Business
  • 1982/03 - Blue Fighter (Ao no Senshi)
  • 1982/03 - Hunting Dog
  • 1983/08 - Knuckle Wars – The Fist of Rebellion (Nakkuru Wōzu – Ken no Ran)
  • 1983/03 - Shin Jiken Ya Kagyou - New Trouble is my Business
  • 1983/09 - Live! Odyssey
  • 1984/02 - Seifuu Ha Shiroi
  • 1984/12 - Rudo Boy
  • 1985/10 - Enemigo
  • 1986/01 - Hotel Harbour View
  • 1986/10 - Blanca
  • 1987/06 - Botchan no Jidai (坊っちゃんの時代?), baseado em  Botchan, um romance de  1906 por Natsume Sōseki
  • 1988/05 - K
  • 1988/06 - Ice Age Chronicle of the Earth

Anos 1990[editar | editar código-fonte]

  • 1990/01 - Hara Shishi Jiten
  • 1990/09 - Garouden )
  • 1991/06 - Samurai Non Grata
  • 1992/04 - Aruku Hito -(歩くひと,  ed. portuguesa: O Homem que Caminha; colecção Clássicos da Banda Desenhada-Série Ouro. Correio da Manhã, 2005)
  • 1992/09 - Kaze no Sho (traduzido em inglês como Samurai Legend)
  • 1992/10 - Inu wo Kau
  • 1993/09 - Keyaki no Ki (traduzido em francês L'orme du Caucase)
  • 1994/09 Mori He - Na Floresta
  • 1994/11 - Chichi no Koyomi ( ed. portuguesa: O Diário do Meu Pai, coleção Novela Gráfica, Levoir/Público, 2015)
  • 1996/04 - Benkei in New York (N.Y.の弁慶?) (N.Y.の弁慶 Benkei in New York?)
  • 1996/07 - Blanca II (Cão de Deus)
  • 1997/10 - Kodoku no Gourmet (ed. brasileira:Gourmet. Ed. Conrad, 2009)
  • 1998/09 - Haruka na Machi e (traduzido em inglês como Um Bairro Distante - traduzido em francês, como Quartier Lointain)
  • 1999/01 - Tóquio Genshi Gyou
  • 1999/12 - Sousaku Sha - Quest para a Menina desaparecida

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

  • 2000/11/30 - Ikaru
  • 2000/12 - Kamigami no Itadaki (A Cúpula dos Deuses)
  • 2002/09 - Ten no Taka - Sky Hawk
  • 2004/11 - Toudo noTabibito - O Gelo Wanderer
  • 2005/03 - Seton
  • 2005/12 - Hare Yuku Sora (晴れゆく空?) - Um Céu Azul Brilhante[5] (traduzido em francês, como Un ciel radieux)
  • 2006/03 - Sampo Mono
  • 2007/09 - Mahou no Yama (A Montanha Mágica)
  • 2008/03 - Fuyu no Doubutsuen (Um Zoológico no Inverno)

2010[editar | editar código-fonte]

  • 2013 - Tomoji (とも路)[6]
  • 2013 - My Year

Referências

  1. «Morre o autor de mangás Jiro Taniguchi, aos 69 anos». O Globo. 11 de fevereiro de 2017 
  2. Guillermo del Toro [RealGDT] (14 February 2017). «Jiro Taniguchi was a manga poet. The Kieslowski of the page. A serene, profound observer of the world.» (Tweet). Consultado em 20 February 2017 – via Twitter  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda) Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  3. «Japanese Manga Legend Jiro Taniguchi Dies at 69». Variety. Variety 
  4. «Bibliographie de Jirô Taniguchi / 谷口ジロー» (em francês) 
  5. A fonte para o título inglês: http://tvtropes.org/pmwiki/pmwiki.php/Manga/ABrightBlueSky
  6. MyAnimeList

Ligações externas[editar | editar código-fonte]