José María Caro Rodríguez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José María Caro Rodríguez
Cardeal da Igreja Católica
Arcebispo de Santiago do Chile
José María Caro foi o primeiro cardeal chileno.
Atividade eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Santiago do Chile
Nomeação 28 de agosto de 1939
Predecessor José Horacio Campillo Infante
Sucessor Raúl Silva Henríquez, S.D.B.
Mandato 1939 - 1958
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 20 de dezembro de 1890
Roma, Itália
por Giulio Lenti
Nomeação episcopal 5 de janeiro de 1912
Ordenação episcopal 28 de abril de 1912
Santiago, Chile
por Enrico Sibilia
Nomeado arcebispo 20 de maio de 1939
Cardinalato
Criação 18 de fevereiro de 1946
por Papa Pio XII
Ordem cardeal-presbítero
Título Santa Maria da Escada
Brasão
Escudo de José María Caro.svg
Lema VIRTUS NOSTRUM ET DEUS REFUGIUM
Dados pessoais
Nascimento Pichilemu
23 de junho de 1866
Morte Santiago
4 de dezembro de 1958 (92 anos)
Progenitores Mãe: Rita Rodríguez Cornejo
Pai: José María Martínez Caro
Funções exercidas Vigário Apostólico de Taparacá (1911-1925)
Bispo de La Serena (1925-1939)
Arcebispo de La Serena (1939)
Títulos anteriores Bispo Titular de Milasa (1911-1925)
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

José María Caro Rodríguez (Los Valles, 23 de junho de 18664 de dezembro de 1958) foi cardeal chileno da Igreja Católica Romana. Ele serviu como arcebispo de Santiago de 1939 até sua morte, e foi elevado ao cardinalato em 1946, pelo Papa Pio XII.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Juventude e ordenação[editar | editar código-fonte]

José María Caro nasceu em Los Valles, Pichilemu, como o quarto dos nove filhos de Rita Rodríguez Cornejo e de José María Martínez Caro, ex-prefeito de Pichilemu. Depois de frequentar uma escola local, ele entrou para o seminário em Santiago em 1881. Em seguida foi para Roma, em 1887, para estudar no Pontifício Colégio Pio-latino-americano e na Pontifícia Universidade Gregoriana até 1891. Ordenado sacerdote em 20 de dezembro de 1890, retornou ao Chile em outubro de 1891 e então ensinou estudos preparatórios e filosofia no Seminário de Santiago.

Trabalho pastoral[editar | editar código-fonte]

Caro exerceu seu ministério pastoral em várias capelanias, hospitais e paróquias, servindo também como cura de Mamiña de março a dezembro de 1899. Ele voltou para o seminário, em 1900, como professor de Teologia.

Episcopado[editar | editar código-fonte]

Nomeado vigário apostólico de Tarapacá em 6 de maio de 1911, Caro foi feito bispo titular de Mylasa em associação com o vicariato em 5 de janeiro de 1912. Recebeu sua consagração episcopal em 28 de abril seguinte, das mãos de Dom Enrico Sibilia, com os bispos Luis Izquierdo Vargas e Miguel Claro Vásquez servindo como co-consagrantes, na Catedral Metropolitana de Santiago.

Mais tarde, Caro foi nomeado bispo de La Serena, em 14 de dezembro de 1925, e foi elevado à condição de arcebispo com a promoção de sua diocese, em 20 de maio de 1939. No dia 28 de agosto do mesmo ano, o Papa Pio XII o fez arcebispo de Santiago.

Como bispo, Caro se opôs fortemente à influência da Maçonaria na sociedade moderna e escreveu vários panfletos anti-maçonaria, um dos mais conhecidos sendo O Mistério da Maçonaria Revelada.[1]

Túmulo de José María Caro na Catedral de Santiago.

Cardinalato[editar | editar código-fonte]

Caro foi feito cardeal-presbítero de Santa Maria della Scala, pelo Papa Pio XII no consistório de 18 de fevereiro de 1946. O primeiro chileno membro do Colégio dos Cardeais serviu como legado papal para o Conselho Plenário chileno em 8 de setembro de 1946, para o décimo Congresso Eucarístico Nacional em 26 de setembro de 1951, e mais tarde para o sexto Congresso Interamericano de Educação Católica, em 30 de agosto de 1956. Antes de participar em conclave papal de 1958, Caro participou da primeira conferência geral da Conferência Episcopal Latino-Americana no Rio de Janeiro, Brasil em 1955.

Morte[editar | editar código-fonte]

Caro morreu em Santiago, aos 92 anos, como o membro mais velho do Colégio de Cardeais. Ele foi inicialmente enterrado no cripta arquiepiscopal da Catedral de Santiago, mas seus restos mortais foram posteriormente movidos para uma capela funeral nos fundos da nave central da catedral, em 19 de março de 1968.

Referências[editar | editar código-fonte]

Links externos[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre José María Caro Rodríguez


Precedido por
Camillo Laurenti
Brasão cardinalício
Cardeal-Presbítero de Santa Maria da Escada
pro hac vice

1946 - 1958
Sucedido por
Julius August Döpfner
Precedido por
José Horacio Campillo Infante
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de Santiago do Chile

1939 - 1958
Sucedido por
Raúl Silva Henriquez, SDB
Precedido por
Carlos Silva Cotapos
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de La Serena

1925 - 1939
Sucedido por
Juan Subercaseaux Errázuriz