Kepler-10

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Coordenadas: Sky map 19h 02m 43s, +50° 14′ 28.7″

Kepler-10
Representação artística do sistema Kepler-10. Kepler-10c está em primeiro plano.
Dados observacionais (J2000)
Constelação Draco
Asc. reta 19h 02m 43s
Declinação +50° 14′ 28.7″
Magnitude aparente 10.960
Características
Tipo espectral G[1]
Astrometria
Distância 564 anos-luz
173[1] pc
Detalhes
Massa 0.895 ± 0.06[1] M
Raio 1.056 ± 0.021[1] R
Temperatura 5627 ± 44[1] K
Idade 10.41 ± 1.36[2] anos
Outras denominações
KOI 72,[3] KIC 11904151,[4] GSC 03549-00354,[3] 2MASS J19024305+5014286[3]
Draco constellation map.png

Kepler-10, anteriormente conhecido como KOI-72, é uma estrela semelhante ao Sol na constelação de Draco, que se encontra a 564 anos-luz de distância da Terra. Kepler-10 foi alvo da sonda espacial Kepler da NASA, que foi identificada como a primeira estrela com um possível pequeno exoplaneta em trânsito.[5] A estrela é um pouco menos maciça, um pouco maior, e um pouco mais fria do que o Sol; com cerca de 10.4 bilhões anos de idade, Kepler-10 é quase 2.6 vezes a idade do Sol. Kepler-10 é anfitrião de um sistema planetário composto de pelo menos dois planetas. Kepler-10b, o primeiro planeta rochoso, inegavelmente,[5] que foi descoberto em sua órbita, após oito meses de observação e anunciado em 10 de janeiro de 2011. O planeta orbita a sua estrela muito perto, completando uma órbita a cada 0.8 dias,[6] e tem uma densidade semelhante ao do ferro.[5] O segundo planeta, Kepler-10c, foi confirmado em 23 de maio de 2011, com base em observações de acompanhamento pelo Telescópio Espacial Spitzer. Os dados mostram que tem um período orbital de 42.3 dias.[7]

Nomenclatura e história[editar | editar código-fonte]

Kepler-10 foi nomeado porque era o décimo sistema planetário observado pela sonda espacial Kepler, um satélite da NASA projetado para procurar planetas semelhantes à Terra em trânsito, ou cruzem na frente de suas estrelas hospedeiras em relação à Terra. O trânsito escurece um pouco a estrela hospedeira; este efeito periódico de escurecimento é então observado pelo Kepler.[8] Depois de oito meses de observação que vão desde maio de 2009 a janeiro de 2010, a equipe Kepler estabeleceu Kepler-10b como o primeiro exoplaneta rochoso descoberto pela sonda Kepler. Kepler-10 foi a primeira estrela com suspeita de um pequeno planeta em órbita. Por causa disso, a verificação da descoberta do Kepler foi prioridade pelos telescópios do Observatório W. M. Keck, no Havaí. A descoberta foi verificada com sucesso.[5] Embora tenha havido muitos exoplanetas potencialmente rochosos descobertos no passado, Kepler-10b é o primeiro planeta rochoso definitivamente descoberto.[9]

A descoberta do Kepler-10b foi anunciado ao público em uma reunião da American Astronomical Society, em 10 de janeiro de 2011, em Seattle.[9] Em 23 de maio de 2011, a existência de Kepler-10c foi confirmada na reunião da AAS em Boston.[10]

Características[editar | editar código-fonte]

Kepler-10 é uma estrela de classe G, como o Sol. Com uma massa de 0.895 (± 0.06) Msol e um raio de 1.056 (± 0.021) Rsol, a estrela é aproximadamente 10% menor e 5% mais larga que o Sol. A metalicidade de Kepler-10, tal como medido em [Fe/H] (a quantidade de ferro da estrela), é de -0.15 (± 0.04); isso significa que Kepler-10 é de cerca de 70% menos rica em metais do que o Sol. A metalicidade tende a desempenhar um grande papel na formação de planetas, determinando usa formação, e que tipo de planeta que irá se formar.[11] Além disso, Kepler-10 é estimada para ter 10.4 bilhões anos de idade e para ter uma temperatura efetiva de 5627 (± 44) K;[1] Para comparar, o Sol é mais jovem e mais quente, com uma idade de 4.6 bilhões anos[12] e uma temperatura efetiva de 5778 K.[13]

Kepler-10 está localizada a uma distância de 173 (± 27) parsecs da Terra, o que equivale a cerca de 564 anos-luz. Além disso, a magnitude aparente de Kepler-10, ou o brilho, visto da Terra, é de 10.96; por isso, não pode ser vista a olho nu.[1]

Sistema planetário[editar | editar código-fonte]

Representação artística do planeta Kepler-10b.

Kepler-10b, o primeiro exoplaneta rochoso definitivamente, descoberto na órbita de Kepler-10. O planeta tem uma massa que é 4.56 vezes maior do que a da Terra e um raio que é 1.416 vezes maior que a Terra. Densidade estimada do planeta é de 8.8 g/cm3, ou 880% o da água. Isto é semelhante ao do ferro.[5] O planeta orbita Kepler-10 a uma distância de 0.01684 UA cada 0.8375 dias;[6] isso pode ser comparado com a órbita do planeta Mercúrio, que circunda o Sol a uma distância de 0.3871 UA a cada 87.97 dias.[14] Uma vez que o planeta orbita tão perto de sua estrela, a sua excentricidade é praticamente zero. É, portanto, tem uma órbita extremamente circular.[6]

Kepler-10c[7] é um exoplaneta que também foi descoberto pela missão Kepler da NASA[15] na órbita de Kepler-10. Medições do corpo sugerem que tem uma massa de, no máximo, 0.063 MJ e um raio de 0.199 RJ. Kepler-10c orbitaria Kepler-10 a uma distância de 0.24 UA a cada 42.29 dias.[1]

O sistema Kepler-10 [6]
Planeta Massa Raio Semieixo maior
(UA)
Período orbital
(dias)
Excentricidade Inclinação
b 4.56 +1.17
−1.29
M
1.416 +0.033
−0.036
0.01684 +0.00032
−0.00034
0.837495 0 84.4°
c < 20 M 2.227 0.2407 +0.0044
−0.0053
45.29485 +0.00065
−0.00076
0 89.65 +0.09
−0.12
°

Referências

  1. a b c d e f g h «Notes for star Kepler-10». Extrasolar Planets Encyclopaedia. 2011. Consultado em 15 de maio de 2014 
  2. «Accurate parameters of the oldest known rocky-exoplanet hosting system: Kepler-10 revisited». 26 de novembro de 2013 
  3. a b c «Kepler-10 -- Star». SIMBAD. Consultado em 15 de maio de 2014 
  4. Batalha, N. M.; et al. (2011). «Kepler's First Rocky Planet: Kepler-10b». The Astrophysical Journal. 729. 27 páginas. Bibcode:2011ApJ...729...27B. arXiv:1102.0605Acessível livremente. doi:10.1088/0004-637X/729/1/27 
  5. a b c d e Perrotto, Trent J.; Hoover, Rachel (10 de janeiro de 2011). «NASA'S Kepler Mission Discovers Its First Rocky Planet». Ames Research Center. NASA. Consultado em 15 de maio de 2014 
  6. a b c d «Summary Table of Kepler Discoveries». NASA. 2011. Consultado em 15 de maio de 2014 
  7. a b Fressin, F.; et al. (2011). «Kepler-10c, A 2.2-Earth Radius Transiting Planet In A Multiple System». arXiv:1105.4647Acessível livremente [astro-ph.EP] 
  8. «Kepler: About the Mission». Kepler Mission. NASA. 2011. Consultado em 15 de maio de 2014 
  9. a b Richard A. Lovett (10 de janeiro de 2011). «NASA Finds Smallest Earthlike Planet Outside Solar System». National Geographic Society. Consultado em 15 de maio de 2014 
  10. «Kepler Spacecraft Shows That Smaller Planets Abound». Scientific American. 2011. Consultado em 15 de maio de 2014 
  11. Henry Bortman (12 de outubro de 2004). «Extrasolar Planets: A Matter of Metallicity». Space Daily. Consultado em 15 de maio de 2014 
  12. Fraser Cain (16 de setembro de 2008). «How Old is the Sun?». Universe Today. Consultado em 15 de maio de 2014 
  13. Ed Grayzeck. «Sun Fact Sheet». Goddard Space Flight Center. NASA. Consultado em 15 de maio de 2014 
  14. David Williams (17 de novembro de 2010). «Mercury Fact Sheet». Goddard Space Flight Center. NASA. Consultado em 15 de maio de 2014 
  15. «NASA'S Kepler Mission Discovers Its First Rocky Planet». NASA. 10 de janeiro de 2011. Consultado em 15 de maio de 2014