GSC 03549-02811

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Coordenadas: Sky map 19h 07m 14.035s, +49° 18′ 59.07″

GSC 03549-02811
GSC 03549-02811 e TrES-2b como visto a partir da sonda espacial Kepler.
Dados observacionais (J2000)
Constelação Draco
Asc. reta 19h 07m 14.035s[1]
Declinação +49° 18′ 59.07″[1]
Magnitude aparente 11.41
Características
Tipo espectral G0V[1]/ K[2]
Astrometria
Mov. próprio (AR) 2.9[1] mas/a
Mov. próprio (DEC) -3.4[1] mas/a
Distância 718 ± 33 anos-luz
220 ± 10 pc
Detalhes
Massa 1.05[2]/ 0.67[2] M
Raio 1.000 +0.036
−0.033
[3] R
Temperatura 5850 ± 50[3] K
Metalicidade −0.15 ± 0.1[3]
Idade 5.1 +2.7
−2.3
×109[3] anos
Outras denominações
TrES-2 A, KIC 11446443, KOI 1, 2MASS J19071403+4918590, TYC 3549-2811-1[1]
Draco constellation map.png

GSC 03549-02811 A (referido como TrES-2 ou TrES-2 A em referência ao seu exoplaneta)[4] é uma estrela amarela da sequência principal semelhante ao Sol. Esta estrela está localizada a aproximadamente 718 anos-luz de distância da Terra na constelação de Draco. A magnitude aparente da estrela é de 11.41, o que significa que não é visível a olho nu, mas pode ser vista com um telescópio amador de tamanho médio em uma clara noite escura. A idade desta estrela é de cerca de 5 bilhões de anos.[1]

Sistema planetário[editar | editar código-fonte]

Em 2006, o exoplaneta TrES-2b foi descoberto pelo programa TrES usando o método de trânsito. Está também dentro do campo de visão da Missão Kepler.[5] Este sistema continua a ser estudado por outros projetos e os parâmetros são continuamente melhorados.[3] O planeta orbita a estrela principal.[2]

Planeta Massa Raio Período orbital
(dias)
Semieixo
maior

(AU)
Excentricidade
orbital
Inclinação Descoberta
TrES-2b 1.199 ± 0.052[2] MJ 1.272 RJ 2.47063 ± 0.00001[5] 0.03556 ± 0.00075[2] 0 83.62 ± 0.14° 2006

Apesar de TrES-2b é atualmente o mais escuro exoplaneta conhecido, refletindo menos de 1% da luz solar local, ele mostra um brilho vermelho fraco. Supõe-se ter rotação sincronizada bloqueada pela sua estrela-mãe.[6]

Estrela binária[editar | editar código-fonte]

Em 2008 foi realizado um estudo de 14 estrelas com exoplanetas que foram originalmente descobertos pelo método de trânsito através de telescópios relativamente pequenos. Estes sistemas foram reexaminados com o telescópio refletor de 2.2M no Observatório de Calar Alto, na Espanha. Este sistema de estrelas, junto com outros dois, foi determinado como sendo um sistema estelar binário até então desconhecido. A estrela secundária previamente desconhecida é de magnitude fraca 15 de Classe K, separada por cerca de 232 AU da estrela principal, parecendo o deslocamento da principal em cerca de um segundo de arco nas imagens.[2]

A Missão Kepler[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Missão Kepler
Uma imagem do Kepler com TrES-2b e um outro ponto de interesse delineado.

Em março de 2009 a NASA lançou a sonda Kepler. Esta sonda espacial é uma missão dedicada a descobrir exoplanetas pelo método de trânsito a partir da órbita solar. Em abril de 2009 o projeto liberou as primeiras imagens da sonda e a TrES-2b foi um dos dois objetos de destaque nestas imagens. Embora TrES-2b não é o único exoplanetário conhecido no campo de visão dessa sonda mas foi o único identificado nas primeiras imagens. Este objeto é importante para a calibração e check-out.[7]

Referências

  1. a b c d e f g «SIMBAD query result: NAME TrES-2 Parent Star -- Star». Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 3 de maio de 2014 
  2. a b c d e f g Daemgen; Hormuth, F.; Brandner, W.; Bergfors, C.; Janson, M.; Hippler, S.; Henning, T.; et al. (2009). «Binarity of transit host stars — Implications for planetary parameters» (PDF). Astronomy and Astrophysics. 498 (2): 567–574. Bibcode:2009A&A...498..567D. arXiv:0902.2179Acessível livremente. doi:10.1051/0004-6361/200810988 
  3. a b c d e Alessandro Sozzetti; Torres, Guillermo; Charbonneau, David; Latham, David W.; Holman, Matthew J.; Winn, Joshua N.; Laird, John B.; o’Donovan, Francis T.; et al. (1 de agosto de 2007). «Improving Stellar and Planetary Parameters of Transiting Planet Systems: The Case of TrES-2». The Astrophysical Journal. 664 (2): 1190–1198. Bibcode:2007ApJ...664.1190S. arXiv:0704.2938Acessível livremente. doi:10.1086/519214 
  4. D. Mislis, S. Schroter, J.H.M.M. Schmitt, O. Cordes, K. Reif (astro-ph.EP). «Multi-band transit observations of the TrES-2b exoplanet». arXiv:0912.4428v1Acessível livremente [astro-ph.EP]  Verifique data em: |ano= (ajuda)
  5. a b O'Donovan; Charbonneau, David; Mandushev, Georgi; Dunham, Edward W.; Latham, David W.; Torres, Guillermo; Sozzetti, Alessandro; Brown, Timothy M.; et al. (16 de outubro de 2006). «TrES-2: The First Transiting Planet in the Kepler Field». The Astrophysical Journal Letters. 651 (1): L61–L64. Bibcode:2006ApJ...651L..61O. arXiv:astro-ph/0609335Acessível livremente. doi:10.1086/509123 
  6. http://news.yahoo.com/coal-black-alien-planet-darkest-ever-seen-220601419.html
  7. «Kepler Eyes Cluster and Known Planet». NASA. 16 de abril de 2009. Consultado em 3 de maio de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]