Kingdom (jogo eletrônico)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Kingdom
Kingdom
Publicadora(s) Raw Fury
Produtor(es) Thomas van den Berg
Marco Bancale
Motor Unity
Plataforma(s) Microsoft Windows, PlayStation 4. Nintendo Switch, Xbox One, OS X, Linux, iOS, Android
Data(s) de lançamento Windows, OS X e Linux:
21 de Outubro de 2015
Xbox One:
8 de Agosto de 2016
iOS, Android:
31 de Janeiro de 2017
Nintendo Switch:
14 de Setembro de 2017
Género(s) Aventura, Simulação
Modos de jogo Um Jogador

Kingdom é um jogo de construção e simulação, desenvolvido por Thomas van den Berg e Marco Bancale, com o apoio da Raw Fury games. Foi inicialmente lançado em 21 de outubro de 2015 para os sistemas operacionais Microsoft Windows, OS X, e Linux. Para sistemas portáteis como iOS e Android será lançado em 31 de janeiro de 2017, e estão previstos lançamentos para os consoles Xbox One[1] e Nintendo Switch.[2] Uma expansão, Kingdom: New Lands, foi lançado em agosto de 2016.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

O jogo foi desenvolvido em estilo pixel art, na qual o jogador controla um rei (ou uma rainha), que cavalga para os lados, coletando moedas e utilizando-as para gastar em vários recursos, tais como a contratação de viajantes, defesas contra criaturas que podem atacar e roubar a coroa do rei (ou da rainha) na qual o jogo acaba, mas, caso contrário, o reino poderá se expandir. O jogador porém, tem pouco controle direto do jogo, e, portanto, deve usar as moedas que coleta de forma sensata. Inicialmente, o mesmo poderá contratar viajantes que farão parte do reino e criar ferramentas, como martelos, para construir e melhorar defesas, e arcos, que servirá para caçar e defender o reino.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Kingdom recebeu notas positivas sobre a trilha sonora e sua ambientação, e a sua abordagem que e necessário que os jogadores precisam descobrir o que fazer com base nestes elementos, mas sentiram que a natureza de algumas tarefas no jogo acaba afetando sua jogabilidade. Dan Stapleton da IGN, deu uma nota 7.7 de 10 sobre a tensão aos ataques aleatórios e o medo de perder tudo.[3] James Davenport do site PC Gamer,deu uma nota 70 de 100, dizendo "nada do que horas jogando para ver tudo ser destruído, pois o jogador não conhece como certas mecanicas do jogo funcionam".[4]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «The deceptively harmless Kingdom coming to Xbox One». Eurogamer. 15 de dezembro de 2016. Consultado em 31 de janeiro de 2017 
  2. «GoNNER, Kingdom, and more coming to Switch from Raw Fury». Nintendo Everything. 15 de janeiro de 2017. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  3. «Kingdom - Review». IGN. 21 de outubro de 2015. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  4. «Kingdom review.». PC Gamer. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.