Konstantin Tsiolkovski

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Konstantin Tsiolkovski
Conhecido(a) por Equação de foguete de Tsiolkovski
Nascimento Konstantin Eduardovitch Tsiolkovski
17 de setembro de 1857 (O.S. 5 de setembro)[1]
Izhevskoye, Império Russo[1]
Morte 19 de setembro de 1935 (78 anos)[1]
Kaluga, Rússia, União Soviética[1]
Nacionalidade Russo (1857-1917)
Soviético (1917-1935)
Assinatura
Konstantin Tsiolkovsky signature.svg
Campo(s) Astronáutica

Konstantin Eduardovich Tsiolkovski (em russo: Константин Эдуардович Циолковский; Izhevskoye, 17 de setembro de 1857Kaluga, 19 de setembro de 1935) foi um cientista de foguetes russo e soviético e pioneiro na teoria astronáutica. Junto do francês Robert Esnault-Pelterie, o alemão Hermann Oberth e o americano Robert H. Goddard, ele é considerado como sendo um dos pais fundadores do foguetismo e astronáutica moderna.[2][3] Seus trabalhos posteriormente inspiraram engenheiros como Sergei Korolev e Valentin Glushko e contribuiu para o sucesso do programa espacial soviético.

Tsiolkovski residiu numa cabana de troncos nos arredores da cidade russa de Kaluga, cerca de 200 km ao sudeste de Moscou. Um recluso por natureza, seus hábitos incomuns o fizeram ser visto como um bizarro por seus conhecidos.[4]

Vida[editar | editar código-fonte]

Tsiolkovski nasceu em Izhevskoye (atualmente o Spassky District, Riazã), no Império Russo em uma família de classe média. Seu pai, Makary Edward Erazm Ciołkowski era um guarda florestal polaco de fé Católica Romana que imigrou para a Rússia;[5] sua mãe ortodoxa era uma mistura dos Tártaros do Volga com origem russa.[6][7] Seu pai foi um guarda florestal bem sucedido, professor e um oficial inferior do governo. Aos 10 anos, Konstantin foi contaminado pela escarlatina e tornou-se parcialmente surdo. Aos 13, sua mãe faleceu.[8] Ele não foi aceito nas escolas elementais por causa do seu problema auditivo, então ele tornou-se um autodidata.[8] Como uma criança reclusa e de ensino domiciliar, ele passava muito tempo lendo e tornando-se interessado em matemática e física. Quando adolescente, passou a contemplar a possibilidade da viagem espacial.[1]

Tsiolkovski passou três anos atendendo uma biblioteca em Moscou onde Nikolai Fiodorovitch Fiodorov, proponente do Cosmismo, trabalhava. Posteriormente ele veio a acreditar que a colonização espacial levaria à perfeição da espécie humana, com a importalidade e uma existência despreocupada.[9]

Realizações científicas[editar | editar código-fonte]

Tsiolkovski no trabalho
Tsiolkovski na década de 1930

Tsiolkovski declarou que havia desenvolvido a teoria do foguetismo apenas como um suplemento da sua pesquisa filosófica sobre o assunto.[10] Ele escreveu mais de 400 trabalhos, incluindo cerca de 90 peças publicadas sobre a viagem espacial e assuntos relacionados.[11]

Seu trabalho mais importante, publicado em maio de 1903, foi Exploração do Espaço Sideral usando Dispositivos de Reação (em russo: Исследование мировых пространств реактивными приборами).[12] Tsiolkovski calculou, usando a equação de Tsiolkovski,[13] que a velocidade orizontal necessária para uma órbita minima ao redor da Terra é de 8,000 m/s e que poderia ser alcançada usando um foguete multiestágios alimentado por oxigênio e hidrogênio líquido. No artigo Exploração do Espaço Sideral usando Dispositivos de Reação foi provado pela primeira vez que um foguete poderia realizar o voo espacial. Neste e em suas continuações (1911 e 1914), ele desenvolveu algumas ideias de mísseis e considerou o uso de motores de combustível líquido.

A aparência externa do seu projeto de nave espacial, publicada em 1903, foi a base dos projetos atuais.[14] O projeto tinha um casco dividido em três seções principais.[15] O piloto e copiloto estavam na primeira seção, com a segunda e terceira carregando o combustível da espaçonave.[16]

Tsiolkovski esteve desenvolvendo a ideia de um hovercraft desde 1921, publicando um artigo fundamental em 1927, chamado de "Resistência do Ar e Trem Expresso" (em russo: Сопротивление воздуха и скорый по́езд).[17][18]

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

Tsiolkovski em 1934

Apesar de Tsiolkovski ter apoiado a Revolução de Outubro, ele não floresceu no sistema comunista. Ansioso para promover a ciência e tecnologia, o novo governo Soviético o elegeu como membro da Academia Socialista em 1918.[19] Ele trabalhou como professor de matemática de ensino médio até sua aposentadoria em 1920, aos 63 anos. Em 1921, ele recebeu uma pensão vitalícia.[20]

Só no fim da vida ele foi reconhecido por seu trabalho pioneiro. Em particular, seu apoio da eugenia o tornou politicamente impopular.[carece de fontes?] Entretanto, da metade da década de 1920 em diante, sua importância em demais trabalhos foi reconhecida, sendo honrado e o estado Soviético financiou sua pesquisa. Inicialmente ele foi popularizado na Rússia Soviética 1931-1932 principalmente por dois escritores:[21] Yakov Perelman e Nikolai Rynin. Tsiolkovski faleceu em Kaluga, no dia 19 de setembro de 1935, após uma operação de câncer de estômago. Ele legou o trabalho de sua vida ao estado Soviético.[9]

Legado[editar | editar código-fonte]

Apesar de muitos terem considerado suas ideias impraticas,[22] Tsiolkovski influenciou outros cientistas pela Europa, como Wernher von Braun. Equipes de busca da União Soviética em Peenemünde encontraram uma tradução em alemão de um livro do Tsiolkovski onde "quase todas as páginas... estavam embelezadas pelos comentários e notas de Von Braun."[23]:27 O projetista de motores Valentin Glushko e o projetista de foguetes Sergei Korolev estudaram os trabalhos de Tsiolkovski quando jovens,[24] e buscaram tornar realidade as suas teorias.[25] Em particular, Korolev considerada a viagem à Marte como uma prioridade mais importante,[26] até 1964, quando decidiu competir com o Programa Apollo.[27]

Em 1989, Tsiolkovski foi colocado no International Air & Space Hall of Fame do Museu Aeroespacial de San Diego.[28]

Trabalho filosófico[editar | editar código-fonte]

A capa de A Vontade do Universo. A Inteligência Desconhecida de Konstantin Tsiolkovski, 1928, considerado ser um trabalho de filosofia Cosmista.

Tsiolkovski escreveu o livro chamado O Desejo do Universo. A Inteligência Desconhecida em 1928, onde propunha a filosofia do panpsiquismo. Ele acreditava que os humanos eventualmente colonizarão a Via Láctea. Seus pensamentos precederam a Era Espacial por várias décadas e algo do que ele imaginou tornou-se realiadade desde sua morte. Tsiokovsky também não acreditava na cosmologia religiosa tradicional, mas (para desagrado das autoridades Soviéticas) ele acreditava num ser cosmico que governa os humanos como "marionetes, bonecos mecânicos, máquinas, personagens de filme",[29] assim aderindo a visão mecânica do universo, o qual ele acreditava que será controlado através dos milênios, devido a indústria e ciência humana. Num artigo curto de 1933, ele explicitamente formulou o que posteriormente seria conhecido como paradoxo de Fermi.[30]

Tributos[editar | editar código-fonte]

Rascunho da primeira nave espacial de Konstantin Tsiolkovski
  • A cratera Tsiolkovskiy (a mais proeminente no lado distante da Lua) foi batizada em sua homenagem, enquanto o asteroide 1590 Tsiolkovskaja foi batizado em humenagem à sua esposa.[31][32] A União Soviética tinha o direito de batismo por operar a Luna 3, a primeira nave a transmitir imagens do lado distante da Lua de forma bem sucedida.[33]
  • Há uma moeda de 1 Rublo de 1987 que comemorou o 130st aniversário do seu nascimento.[35]

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

Tsiolkovski foi consultado no roteiro do filme de ficção científica de 1936, Kosmicheskiy reys.[36]

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Ilustração de A. Gofman para Na Lua

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e Konstantin Eduardovich Tsiolkovsky. Encyclopædia Britannica
  2. «International Space Hall of Fame :: New Mexico Museum of Space History :: Inductee Profile». www.nmspacemuseum.org. Consultado em 10 de agosto de 2017 
  3. «Konstantin E. Tsiolkovsky». Aeronautics Learning Laboratory for Science Technology, and Research (ALLSTAR) Network. 12 de março de 2004. Consultado em 10 de junho de 2015. Arquivado do original em 28 de outubro de 2015 
  4. Lewis, Cathleen Susan. 2008. The Red Stuff: A History of the Public and Material Culture of Early Human Spaceflight in the U.S.S.R. Ann Arbor, Mich: ProQuest LLC. pp. 57–59. ISBN 9780549466796.
  5. A Pictorial History of Rockets. [S.l.]: NASA. 2011. 4 páginas  Pdf
  6. Земной путь звездоплавателя. melnikoff.com
  7. «Константин Циолковский. Биография, 18 фото». Top-antropos.com. Consultado em 10 de agosto de 2017 
  8. a b Narins, Brigham (2001), Notable Scientists from 1900 to the Present, ISBN 0-7876-5454-X, 5, Farmington Hills, MI: The Gale Group, pp. 2256–2258 
  9. a b The life of Konstantin Eduardovitch Tsiolkovsky 1857–1935 Arquivado em 15 de junho de 2012 no Wayback Machine.. Informatics.org (19 September 1935). Retrieved 4 May 2012.
  10. Kazyutinski V. V. (2003). «Космическая философия К.Э. Циолковского: за и против». Земля и Вселенная. 4: 43–54. Arquivado do original em 11 de fevereiro de 2007 
  11. Tsiolkovsky and his legacy Arquivado em 22 de junho de 2011 no Wayback Machine. on russianspaceweb.com
  12. Tsiolkovsky, Konstantin E. (1903), «The Exploration of Cosmic Space by Means of Reaction Devices (Исследование мировых пространств реактивными приборами)», The Science Review (em russo) (5), consultado em 22 de setembro de 2008, arquivado do original em 19 de outubro de 2008 
  13. siddiqi 2000, p. 1.
  14. Miller, p. 88
  15. Miller, p. 95
  16. Miller, p. 96
  17. Gillispie, Charles Coulston (1980), Dictionary of Scientific Biography, ISBN 0-684-12925-6, Charles Scribner's Sons, p. 484 
  18. Air Cushion Vehicle History (em russo), Neptune Hovercraft Shipbuilding Company, consultado em 22 de setembro de 2008, arquivado do original em 2 de outubro de 2008 
  19. siddiqi.
  20. siddiqi 2000, p. 1–2,8.
  21. Siddiqi, Asif A (26 de fevereiro de 2010), The Red Rockets' Glare: Spaceflight and the Soviet Imagination, 1857–1957, ISBN 9780521897600, pp. 62–65 
  22. siddiqi 2000, p. 8,117.
  23. Siddiqi, Asif A, Challenge To Apollo: The Soviet Union and the Space Race, 1945–1974, NASA, arquivado do original em 8 de outubro de 2006 
  24. siddiqi 2000, p. 6–7,333.
  25. siddiqi 2000, p. 3,166,182,187,205–206,208.
  26. siddiqi 2000, p. 208,333,337.
  27. siddiqi 2000, p. 404.
  28. Sprekelmeyer, Linda ed. (2006) These We Honor: The International Aerospace Hall of Fame. Donning Co. Publishers. ISBN 978-1-57864-397-4.
  29. Tsiolkovsky, Konstantin (1932) "Is There God?" Russian Academy of Sciences
  30. Vladimir Lytkin, Ben Finney, Liudmila Alepko: Tsiolkovsky, Russian Cosmism and Extraterrestrial Intelligence. In: Q. J. R. astr. Soc. (1995), 36, 369-376. [1]
  31. The Life of Konstantin Eduardovitch Tsiolkovsky, Konstantin E. Tsiolkovsky State Museum of the History of Cosmonautics, consultado em 22 de setembro de 2008, arquivado do original em 15 de junho de 2012 
  32. Konstantin E. Tsiolkovsky Scientific Biography, Konstantin E. Tsiolkovsky State Museum of the History of Cosmonautics, consultado em 22 de setembro de 2008, arquivado do original em 7 de setembro de 2008 
  33. Soviet Missions to the Moon. Nssdc.gsfc.nasa.gov. Retrieved 4 May 2012.
  34. «Konstantin Tsiolkovsky's 155th birthday». Google Doodles. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
  35. Cuhaj, George, ed. (2009). 2010 Standard Catalog of World Coins 1901-2000 37 ed. United States: Krause Publications. 1758 páginas. ISBN 978-0-89689-814-1 
  36. Hall, Phil (9 de julho de 2010). «The Bootleg Files: The Space Voyage». Film Threat. Consultado em 12 de julho de 2010 
  37. International Space Station Imagery. Spaceflight.nasa.gov (31 October 2004). Retrieved 4 May 2012.
  38. McNeill, Graham (2008), Mechanicum: war comes to Mars, ISBN 978-1-84416-664-0 (print), Horus Heresy [book series], 9 1st UK ed. , Nottingham, UK: Black Library, [Map:] "The Tharsis Quadrangle of Mars" [pp. 8–9 (not numbered), context at p. 8]  Location of "Tsiolkovsky towers" noted in a story-related map, with several mentions in the book's body matter, including pp. 218, 368, 370, and others.

Fontes citadas[editar | editar código-fonte]

  • Miller, Ron (1993). The Dream Machines. [S.l.]: Krieger Publishing Company. ISBN 0-89464-039-9 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Konstantin Tsiolkovski
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Konstantin Tsiolkovsky
Em inglês