Láudano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Frasco inglês de 100ml

Láudano (do latim laudare, louvar) é um termo usado na literatura médica do século XVII que designava um medicamento originalmente a base de vinho branco, açafrão, cravo, canela e ópio desenvolvido pela primeira vez pelo alquimista Paracelso no século XVI. Na era vitoriana, podia ser usado whisky, em vez de vinho. A mistura era usada para tratar qualquer tipo de dor ou mal-estar.[1]

Propriedades farmacológicas[editar | editar código-fonte]

O álcool e o ópio têm efeito sedativo e analgésico, causando bem-estar, sem tratar a causa da doença, que pode seguir avançando. Como o álcool, o ópio causa maior perda de líquidos e dependência química. O ópio também causa diminuição do ritmo cardíaco e da respiração. Pacientes com sudorese e vômitos morriam por desidratação; pacientes com problemas respiratórios morriam por insuficiência respiratória e pacientes com déficit cardíaco morriam com insuficiência cardíaca e infecções que podiam avançar e causar sepse ou outras complicações. Para piorar, o láudano era muito usado por grávidas (causando problemas fetais). Como calmante, era usado por crianças agitadas e por mulheres, no tratamento da histeria e melancolia.[2]

Atualmente se refere a feita de extrato de ópio desnarcotizado que possui efeito sedativo e analgésico. É usado pra tratar diarreias graves.[3]

Tipos[editar | editar código-fonte]

Existiam vários tipos de láudano, destacando-se os seguintes:[4] :

  • Láudano de Sydenham (clássico): ópio, açafrão, cravo, canela e vinho.
  • Láudano de Rousseau: ópio cozido e fermentado com mel e cerveja.
  • Láudano vitoriano: ópio diluído em whisky ou gin.

Influência na cultura popular[editar | editar código-fonte]

  • Em Os Maias, Carlos da Maia considera a possibilidade de se matar com uma sobredosagem de láudano.
  • No filme Tombstone - A Justiça está chegando, dirigido por George P. Cosmatos, estrelando Kurt Russel e Val Kilmer.
  • Em Razão e sensibilidade é usado como analgésico.
  • Na série de TV "American Horror Story", onde era usado por uma médico para sedar suas pacientes ante de suas cirurgias "macabras".
  • No Filme From hell, o ator Johnny Depp utiliza esse medicamento para ter visões acerca dos crimes que ele investiga.Também no filme "O último pistoleiro", o personagem de John Wayne toma láudano para amenizar as dores do câncer que está matando o velho pistoleiro Books.
  • Nos filmes O estranho que nós amamos, de 1961 com Clint Eastwood, onde o personagem vivido por ele toma láudano antes de se submeter a uma cirurgia.
  • As Desaparecidas, com Tommy Lee Jones e Cate Blachet. O médico diz que é uma mistura de ópio e álcool.
  • No filme Entrevista com o Vampiro, Cláudia (Kirsten Dunst) dá láudano para dois gêmeos a fim de matá-los e os entrega para o vampiro Lestat (Tom Cruise) se alimentar, o que o deixa intoxicado.
  • No Livro Cem Anos de Solidão, de Gabriel Garcia Márquez, movida pela inveja e pelo ressentimento, a personagem Amaranta cogita envenenar sua irmã de consideração, Rebeca, colocando láudano em seu café.
  • No livro de Mary Shelley, Frankenstein, o doutor Vitor Frankenstein toma láudano para dormir.
  • No 3º episódio da 1ª temporada do seriado de TV americano American Horror Story, o láudano é citado como um anestésico que era usado em cirurgias, mas, por possuir como efeito colateral uma séria perda de memória, foi banido em 1934.

Referências

  1. ELl láudano, la sustancia "cura-todo" de Paracelso. 17 de dezembro de 2012]
  2. [1]
  3. https://elglobodegambetta.wordpress.com/2012/12/17/el-laudano-la-sustancia-cura-todo-de-paracelso/
  4. A. W. Chase, Dr. Chase's Recipes. Ann Arbor, Michigan: Published by R. A. Beal, 1870, page 133.