Lúcio Craveiro da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Lúcio Craveiro da Silva
Nascimento 27 de novembro de 1914
Tortosendo, Covilhã, Portugal
Morte 13 de agosto de 2007 (92 anos)
Braga, Portugal
Nacionalidade Portugal Português
Ocupação Escritor, professor e jesuíta
Página oficial
www.blcs.pt

Lúcio Craveiro da Silva, S.J., (Covilhã, Tortosendo, 27 de Novembro de 1914Braga, 13 de agosto de 2007) foi um professor, escritor e jesuíta português. Tem uma biblioteca com o seu nome em Braga.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi ordenado sacerdote em 1944 em Bilbau, Lovaina e Braga, onde obteve o doutoramento em Filosofia a 9 de Novembro de 1951 com a tese A Idade do Social, ensaio sobre a evolução da sociedade contemporânea.

Foi Superior Provincial dos Jesuítas portugueses de 1960 a 1966, devido a essas funções foi um dos fundadores e Director do Instituto Superior Económico e Social de Évora de 1965 a 1971. Em 1974 integrou a Comissão Instaladora da Universidade do Minho, tendo posteriormente exercido o cargo de Reitor da mesma Universidade de 1982 a 1986. Foi o primeiro reitor eleito em Portugal. Foi membro do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira e da Academia das Ciências de Lisboa.

Em Braga foi atribuído o seu nome a uma das bibliotecas da cidade: Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva.[1]

Formação acadêmica[editar | editar código-fonte]

Doutorou-se em Filosofia Social, Filosofia Social e Política e História da Cultura e Filosofia Portuguesa.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Da sua vasta bibliografia destacam-se

  • A Idade do Social, ensaio ético-social sobre a evolução da sociedade, Braga, 1952 e 1959;
  • O Movimento Operário, Braga, 1957;
  • Antero de Quental, evolução do seu pensamento filosófico, Braga, 1959, 1993;
  • Cultura, Participação e Desenvolvimento, Braga, 1979;
  • A Vida cristã ao ritmo do ano litúrgico, Porto, 1959;
  • Pègadas no Caminho, Braga, 1976;
  • Cursus Philosophiae Moralis, pars generalis, Braga, 1995:
  • Ensaios de Filosofia e Cultura Portuguesa, Braga, 1994;
  • Novas Cartas Inéditas de Antero de Quental - introdução, organização e notas - 1996;
  • Padre António Vieira e Antero de Quental, Ensaios, Braga; e
  • Ser Português, ensaios de cultura portuguesa, Braga, 2000.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.