Lipsk

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Polónia Lipsk 
  cidade em uma comuna urbano-rural  
Panorama da cidade vista do alto Biebrza
Panorama da cidade vista do alto Biebrza
Símbolos
Brasão de armas de Lipsk
Brasão de armas
Localização
Lipsk está localizado em: Polônia
Lipsk
Lipsk no mapa da Polônia
Mapa dinâmico da cidade
Coordenadas 53° 44' 01" N 23° 23' 59" E
País Polônia
Voivodia Podláquia
Condado Augustów
Comuna Lipsk
História
Data da fundação 8 de dezembro de 1580
Elevação à cidade 1580–1870, 1983
Administração
Tipo Prefeitura
Prefeito Lech Łępicki
Características geográficas
Área total [1] 5,0 km²
População total (2021) [1] 2 234 hab.
Densidade 446,8 hab./km²
Fuso horário CET (UTC+1)
Horário de verão CEST (UTC+2)
Código postal 16-315
Código de área (+48) 87
Outras informações
Matrícula BAU
Commons-logo.svg Mídia no Commons
Website Lipsk na rede Internet

Loudspeaker.svg? Lipsk, (em bielorrusso: Ліпск, em lituano: Liepinė) é um município no nordeste da Polônia. Pertence à voivodia da Podláquia, no condado de Augustów. É a sede da comuna urbano-rural de Lipsk. Nos anos 1975–1998 a cidade pertenceu administrativamente à voivodia de Suwałki.

Localizado no rio Biebrza, é o centro do comércio e de serviços locais. A comuna de Lipsk é adjacente à fronteira polaco-bielorrussa e às comunas de Sztabin, Dąbrowa Białostocka, Nowy Dwór, Augustów e Płaska. É um centro de artes populares — pisanki (ovos de Páscoa), tecelagem, Grupo Regional Lipsk. A sede da paróquia católica de Nossa Senhora dos Anjos.

Lipsk está localizado na histórica região de Suwałki,[2] na área da antiga Jaćwież.[3] Na segunda metade do século XVI, localizava-se no condado de Grodno da voivodia de Troki.[4]

Estende-se por uma área de 5,0 km², com 2 234 habitantes, segundo o censo de 31 de dezembro de 2021, com uma densidade populacional de 446,8 hab./km².[1]

História[editar | editar código-fonte]

Edifício histórico da antiga Prefeitura, agora Museu Regional

No início da Idade Média, a vizinhança de Lipsk era habitada pela tribo báltica de jotvíngios. No entanto, nenhum vestígio de seus assentamentos foi encontrado aqui. Contudo, um certo traço da presença dos jotvíngios foi preservado na linguagem dos habitantes de hoje dessas áreas na forma de palavras isoladas de origem báltica (jotvingiano). Por exemplo, as pessoas que usam o dialeto local da língua bielorrussa, chamada linguagem simples (prosty jazýk), usam a palavra łúpy (báltico łúpai) para descrever os lábios ou a boca.

Os primeiros registros do povoamento nesta zona datam de 1533 e falam da aldeia de Wola Lipska.

A cidade foi fundada em 8 de dezembro de 1580. Nesse dia, foi emitida próximo de Grodno pelo Grão-Duque Estêvão Báthory (Lipsk estava no Grão-Ducado da Lituânia até as partições da Polônia, não na Coroa do Reino da Polônia, portanto Báthory atuou como Grão-Duque) um privilégio que concede direitos e brasão de armas de Magdeburgo — um barco a vela.

Do século XVII ao século XVIII, a cidade fazia parte da terra real de Grodno.[5]

Lipsk desenvolveu-se rapidamente até meados do século XVII, depois foi engolida por uma crise relacionada aos conflitos militares dos séculos XVII e XVIII, em 1655 a marcha do exército sueco causou inúmeros saques e destruição da cidade.[6] Em 1795, Lipsk tornou-se parte do domínio prussiano. Em 1807, entrou no Ducado de Varsóvia e, em 1815, na Polônia do Congresso.

Em 31 de maio de 1870, Lipsk perdeu seus direitos de cidade e, com parte da comuna de Kurjanka, formou uma nova comuna de Petropawłowsk.[7]

Em 2 de agosto de 1914, a igreja neogótica da paróquia católica foi consagrada em Lipsk. Sua construção começou em 1906. Durante a Primeira Guerra Mundial, a cidade foi destruída.

Segundo o censo de 1921, 1 038 pessoas viviam aqui, 933 das quais eram católicas, 10 eram cristãs e 87 eram judeus. Ao mesmo tempo, 1 021 habitantes declararam nacionalidade polonesa e 17 eram judeus. Havia 182 edifícios residenciais na cidade.[8]

Monumento dedicado a Hubal
Búnquer de combate pertencente à Linha Molotov

Em 1939, uma unidade do major Henryk Dobrzański — Hubal, partiu desta área. Há uma placa na cidade comemorando este evento. Desde 1940, um sistema de fortificações soviéticas foi construído próximo de Lipsk. Em setembro de 1941, os alemães deportaram 99 pessoas de origem judaica para o gueto de Grodno. Uma data trágica na história de Lipsk é 13 de julho de 1943, quando o exército alemão atirou em 50 habitantes de Lipsk nos fortes de Naumowicze, perto de Grodno. Entre eles estava a beata Marianna Biernacka, beatificada no grupo de 108 beatos mártires. Como resultado da guerra, a cidade foi muito danificada.

Depois que o território foi ocupado pelo Exército Vermelho próximo de Lipsk, começou a construção de fortificações pertencentes à Linha Molotov. Oitenta e quatro instalações foram construídas na linha Kamienna Nowa — Lipsk — Bohatery Leśne, mas apenas cerca de 30 delas ganharam capacidade de combate até que a área foi tomada pelo exército alemão.[9]

Em 1973, a cidade foi condecorada com a Ordem da Cruz de Grunwald.

Lipsk recuperou seus direitos de cidade em 1983. Um papel importante neste fato é atribuído ao general Mirosław Milewski, que vem de Lipsk, e desde 1981 ao ministro de assuntos internos da República Popular da Polônia, bem como à Sociedade dos Amigos de Lipsk — uma organização que associa antigos e atuais residentes. Na década de 1980, a indústria leve (produção de componentes de indução magnética e máquinas agrícolas) se desenvolveu em Lipsk.

Desde a década de 1990, após o colapso das maiores indústrias de Lipsk, o turismo vem se desenvolvendo (canoagem no rio Biebrza, agroturismo), relacionado à criação do Parque Nacional Biebrza.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Conforme os dados do Escritório Central de Estatística da Polônia (GUS) de 31 de dezembro de 2021, Lipsk tinha 2 234 habitantes, uma área de 5,0 km² e uma densidade populacional de 446,8 hab./km².[1]


Descrição Total Mulheres Homens
unidade pessoas % pessoas % pessoas %
população 2 234 100 1 137 50,9 1 097 49,1
densidade populacional

(hab./km²)

446,8 227,4 219,4

Monumentos históricos[editar | editar código-fonte]

Igreja católica neogótica de Nossa Senhora dos Anjos do início do século XX
Monte da Liberdade
Monumento à beata Marianna Biernacka

Os seguintes edifícios estão incluídos no Registro de Edifícios Históricos do Instituto Nacional do Patrimônio Histórico:

  • Disposição espacial da cidade da segunda metade do século XVI
  • Igreja paroquial neogótica de Nossa Senhora dos Anjos
  • Cemitério judaico do século XIX

Outras instalações:

  • Cemitério paroquial da primeira metade do século XIX
  • Monte da Liberdade da década de 1920
  • Casa católica do século XX
  • Búnquer de combate pertencentes às fortificações da Linha Molotov

Comunidades religiosas[editar | editar código-fonte]

Igreja Católica de Rito Latino

  • Paróquia Nossa Senhora dos Anjos[10]

Testemunhas de Jeová

  • Igreja

Galeria[editar | editar código-fonte]

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «Lipsk (Podláquia) mapas, imóveis, Escritório Central de Estatística, acomodações, escolas, região, atrações, códigos postais, salário, desemprego, ganhos, tabelas, educação, jardins de infância, demografia». Polska w liczbach (em polonês). Consultado em 22 de setembro de 2022 
  2. «Lipsk, atrakcje Biebrza». archive.ph. 20 de setembro de 2022. Consultado em 22 de setembro de 2022 
  3. Nasza Polska. Parki narodowe. [S.l.]: Horyzonty. 20 de setembro de 2022. p. 12. ISBN 978-83-6672-961-2 
  4. Национальный атлас Беларуси, Mińsk 2002, pp. 266–267.
  5. Wialiki Gistaryczny Atlas Belarusi, opr. D. W. Wicko, A. I. Grusza i in., vol. 2, Mińsk 2013, p. 86-87; S. Zawadzki, Gospodarowanie ekonomiami królewskimi w Wielkim Księstwie Litewskim w świetle kontraktów dzierżawnych z II poł. XVII w., p. 38.
  6. Skurzyński, Piotr (2004). Warmia, Mazury, Suwalszczyzna. Varsóvia: Sport i Turystyka - MUZA SA. p. 388. OCLC 749259450 
  7. Postanowienie z 27 lutego (11 marca) 1870, ogłoszone 19 (31) maja 1870 (Dziennik Praw, rok 1870, tom 70, nr 241, p. 93).
  8. Skorowidz miejscowości Rzeczypospolitej Polskiej: opracowany na podstawie wyników pierwszego powszechnego spisu ludności z dn. 30 września 1921 r. i innych źródeł urzędowych. 5, województwo białostockie. [S.l.: s.n.] 1924. p. 5 
  9. «Bunkry linii Mołotowa». web.archive.org. 28 de maio de 2012. Consultado em 22 de setembro de 2022 
  10. «Parafia Matki Bożej Anielskiej w Lipsku». www.parafia.lipsk.pl (em polonês). Consultado em 22 de setembro de 2022 
  11. Przewodnik po Polsce Wyd. 5., zmienione i popr ed. Varsóvia: Sport i Turystyka. 1991. OCLC 25748850 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Lipsk nad Biebrzą. Monografia historyczna do 1914 r., pod red. Zygmunta Kosztyły, Ośrodek Badań Naukowych w Białymstoku, Białystok 1980
  • Dzieje Lipska nad Biebrzą. Materiały z sesji historycznej 27 września 1980, praca zbiorowa, Ośrodek Badań Historii Wojskowej, Muzeum Wojska w Białymstoku, Towarzystwo Przyjaciół Lipska nad Biebrzą, Białystok – Lipsk nad Biebrzą 1980
  • Lipsk nad Biebrzą wspomnienia, oprac. Zygmunt Kosztyła, Wydawnictwo Lubelskie, Lublin 1978

Ligações externas[editar | editar código-fonte]