Livemocha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Livemocha
Requer pagamento? Sim
Gênero Rede social
Cadastro Público
Idioma(s) Inglês, Espanhol, Português, Francês, Alemão, Italiano, Japonês, Russo, Coreano, Turco, Polaco
Lançamento 24 de Setembro de 2007[1]
Extinção 22 de abril de 2016[2]
Posição no Alexa 3,884 [3]
Página oficial http://livemocha.co/

Livemocha (www.livemocha.co) foi uma rede social internacional onde os usuários podiam aprender línguas através de lições audiovisuais, além de dicas e comentários enviados por outros usuários. A maioria dos cursos eram gratuitos, mas existiam opções pagas e patrocinadas (Active Course by Pearson) para alguns cursos, nas quais o usuário contavam com recursos adicionais, como tutores oficiais, possibilidade de download de arquivos e textos que explicavam a gramática da língua estudada. Em 2 de abril de 2013, o Livemocha foi vendido para o software de ensino de línguas Rosetta Stone por 8,5 milhões de dólares. E, em 22 de abril de 2016 o Rosetta Stone anuncia o fim do Livemocha. Ja em Dezembro de 2017 um novo empresário (autónomo) desenvolvedor, resolveu recriar o livemocha para continuar a o conceito primário da rede que era ajudar na globalização por ensinar de forma fácil novos idiomas, agora o livemocha foi recriado como livemocha.co, rede social para aprendizado de idiomas totalmente gratuito. agora com app livemocha para android

Idiomas[editar | editar código-fonte]

As lições estavam disponíveis em Inglês americano, Espanhol (castelhano), Língua persa, Francês, Alemão, Italiano, Hindi, Japonês, Português brasileiro, Português europeu, Grego moderno, neerlandês, Língua romena, Estônico, Língua búlgara, Língua finlandesa, Russo, Mandarim padrão, Islandês, Língua coreana, Língua árabe, Turco, Língua polaca, Língua ucraniana, Língua húngara (magiar), Croata, Língua tcheca, Língua eslovaca, Língua urdu, Catalão, Sueco, Hebraico, e Esperanto. O Livemocha também permitia a votação de novos idiomas para serem ensinados no serviço.

Cursos[editar | editar código-fonte]

Os cursos eram divididos em Basic Course (Cursos Básicos) e Active Courses (Cursos Ativos). No primeiro, o usuário só conseguia dicas com a ajuda de pessoas e as revisões de seus textos e gravações de áudio eram de pessoas da comunidade. No Active Course, existiam tutores licenciados do Livemocha para ensinar o usuário, dando-lhe dicas e revisões dos textos e gravações.[4]

Basic Courses[editar | editar código-fonte]

O Livemocha oferecia cursos básicos dos idiomas gratuitamente. Existiam lições de texto e gravação de áudio que podiam ser avaliadas pela comunidade do Livemocha.

Active Courses[editar | editar código-fonte]

Os Active Courses eram cursos mais elaborados, e patrocinados por empresas de ensino de idiomas como a Pearson, para o alemão, o espanhol, o francês, o inglês (EUA) e ainda o italiano. Quando contavam com tutores oficiais do Livemocha, tornavam-se pagos.

Referências

  1. Paula Rothman. «"Livemocha é um 'orkut' para aprender inglês"». Info Exame. Consultado em 30 de Abril de 2011..  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. {{citar web |url=https://www.facebook.com/Livemocha/posts/10153297045485633 |título="Livemocha" |publicado=[[Facebok] |autor=The Rosetta Stone / Livemocha Team |acessodata=23 de Abril de 2016.}}
  3. «Site Information from Alexa» (em inglês). Consultado em 12 de Dezembro de 2011. 
  4. André Noia. «"Aprenda um idioma de graça na web com o Livemocha"». TechTudo. Consultado em 30 de Abril de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]