Lordelo do Ouro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portugal Lordelo do Ouro 
—  Freguesia portuguesa extinta  —
Antiga junta de freguesia de Lordelo do Ouro
Antiga junta de freguesia de Lordelo do Ouro
Brasão de armas de Lordelo do Ouro
Brasão de armas
LocalFregPorto-LordeloDoOuro.svg
Concelho primitivo Porto
Concelho (s) atual (is) Porto
Freguesia (s) atual (is) União das Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos
Extinção 2013
Área
 - Total 3,40 km²
População (2011[1])
 - Total 22 270
    • Densidade 6 550 hab./km²
Orago São Martinho

Lordelo do Ouro é uma antiga freguesia portuguesa do concelho do Porto que, pela Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro,[2] foi integrada na União das Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos.

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Lordelo do Ouro [3]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
3 034 3 650 5 341 6 693 7 982 8 084 8 600 9 440 10 260 15 539 17 208 22 316 22 421 22 212 22 270

Pelo decreto nº 40.526, de 08/02/1956, foram-lhe fixados os actuais limites.

Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 3 349 3 196 11 943 3 724 15,1% 14,4% 53,8% 16,8%
2011 3 168 2 568 12 152 4 382 14,2% 11,5% 54,6% 19,7%

História[editar | editar código-fonte]

O brasão de Lordelo do Ouro relata a história desta pequena e linda freguesia: as ferramentas de marcenaria simbolizam os estaleiros ribeirinhos onde se construíram os barcos na época dos Descobrimentos Marítimos, o fundo dourado relembra os carregamentos de ouro de África e Brasil que eram ali descarregados, junto com os três símbolos da roda dentada (indústria), a roda das navalhas (o suplício de Santa Catarina) e a Ponte da Arrábida, sobre as ondas do Rio Douro.

Lordelo do Ouro oferece margens amenas que, quando o Porto era uma pequena cidade na Ribeira, constituía o primeiro porto ribeirinho aos barcos que entravam a barra do Douro. Era por isso escolhida como estaleiro e local de comércio, e a colina cimeira fornecia um excelente ponto de observação bem como um marco para navegação marítima, onde mais tarde se erigiria a capela de Santa Catarina em 1395.

Foi nestes estaleiros que os portuenses construíram a pequena armada que foi tentar quebrar o cerco a Lisboa durante o Interregno de 1383-1385; Nun'Álvares Pereira deveria ter seguido com a armada, mas os cavaleiros do Porto invejavam o seu sucesso militar e decidiram largar antes que chegasse. O resultado está registado na História: sem vento favorável para uma emboscada, os barcos do Mestre de Aviz mal saíram do porto de Lisboa, e os barcos idos do Porto pouco mais puderam fazer que criar uma escaramuça e fugir, perante a supremacia naval Castelhana. Enquanto isso, Nun'Álvares Pereira cavalgava ferozmente chegando a tempo de lançar o terror nas hostes castelhanas em terra, antes de se retirar para campos mais pacíficos. O golpe não terminou com o Cerco, mas foi uma vitória moral que traria frutos mais tarde.

Anos mais tarde, os mesmos estaleiros veriam nascer as naus que levariam o exército de D. João I e um idoso Nun'Álvares Pereira até Ceuta para a primeira conquista de território em África.

Chegado o Século XIX, e com a popularização das férias e dos banhos de mar, a cidade desenvolve-se para a Foz, reduzindo Lordelo do Ouro a local de passagem. É assim que chegamos ao Século XX e Lordelo do Ouro mantém o seu aspecto bucólico, de jardins e quintas, onde a vida se revelaria amarga e trabalhosa durante os tempos do Estado Novo e do Pós-Guerra. Reduzida a meia dúzia de ruas que desciam da Boavista em direcção ao rio, os movimentos sociais da década de 70 escolheriam Lordelo do Ouro como local privilegiado para a expansão imobiliária e para a construção de bairros sociais, que para sempre transfigurariam a freguesia de Lordelo do Ouro.

Património[editar | editar código-fonte]

Arruamentos[editar | editar código-fonte]

A antiga freguesia de Lordelo do Ouro contém 181 arruamentos. São eles:

1Partilhada com a freguesia de Aldoar.

²Partilhada com a freguesia da Cedofeita.

³Partilhada com a freguesia de Massarelos.

4Partilhada com a freguesia de Nevogilde.

5Partilhada com a freguesia de Ramalde.

6Partilhada com a freguesia da Foz do Douro.

7Partilhada com a freguesia de Paranhos.

Colectividades[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Lordelo do Ouro

Referências

  1. «População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano)». Informação no separador "Q601_Norte". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 22 de Março de 2014.. Cópia arquivada em 4 de Dezembro de 2013 
  2. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de janeiro de 2014.
  3. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes