Lordelo do Ouro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portugal Lordelo do Ouro 
  Freguesia portuguesa extinta  
Antiga junta de freguesia de Lordelo do Ouro
Antiga junta de freguesia de Lordelo do Ouro
Brasão de armas de Lordelo do Ouro
Brasão de armas
LocalFregPorto-LordeloDoOuro.svg
Concelho primitivo Porto
Concelho (s) atual (is) Porto
Freguesia (s) atual (is) União das Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos
Extinção 2013
Área
 - Total 3,40 km²
População (2011[1])
 - Total 22 270
    • Densidade 6 550 hab./km²
Orago São Martinho

Lordelo do Ouro é uma antiga freguesia portuguesa do concelho do Porto que, pela Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro,[2] foi integrada na União das Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos.

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Lordelo do Ouro [3]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
3 034 3 650 5 341 6 693 7 982 8 084 8 600 9 440 10 260 15 539 17 208 22 316 22 421 22 212 22 270

Pelo decreto nº 40.526, de 08/02/1956, foram-lhe fixados os actuais limites.

Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 3 349 3 196 11 943 3 724 15,1% 14,4% 53,8% 16,8%
2011 3 168 2 568 12 152 4 382 14,2% 11,5% 54,6% 19,7%

História[editar | editar código-fonte]

O brasão de Lordelo do Ouro relata a história desta pequena e linda freguesia: as ferramentas de marcenaria simbolizam os estaleiros ribeirinhos onde se construíram os barcos na época dos Descobrimentos Marítimos, o fundo dourado relembra os carregamentos de ouro de África e Brasil que eram ali descarregados, junto com os três símbolos da roda dentada (indústria), a roda das navalhas (o suplício de Santa Catarina) e a Ponte da Arrábida, sobre as ondas do Rio Douro.

Lordelo do Ouro oferece margens amenas que, quando o Porto era uma pequena cidade na Ribeira, constituía o primeiro porto ribeirinho aos barcos que entravam a barra do Douro. Era por isso escolhida como estaleiro e local de comércio, e a colina cimeira fornecia um excelente ponto de observação bem como um marco para navegação marítima, onde mais tarde se erigiria a capela de Santa Catarina em 1395.

Foi nestes estaleiros que os portuenses construíram a pequena armada que foi tentar quebrar o cerco a Lisboa durante o Interregno de 1383-1385; Nun'Álvares Pereira deveria ter seguido com a armada, mas os cavaleiros do Porto invejavam o seu sucesso militar e decidiram largar antes que chegasse. O resultado está registado na História: sem vento favorável para uma emboscada, os barcos do Mestre de Aviz mal saíram do porto de Lisboa, e os barcos idos do Porto pouco mais puderam fazer que criar uma escaramuça e fugir, perante a supremacia naval Castelhana. Enquanto isso, Nun'Álvares Pereira cavalgava ferozmente chegando a tempo de lançar o terror nas hostes castelhanas em terra, antes de se retirar para campos mais pacíficos. O golpe não terminou com o Cerco, mas foi uma vitória moral que traria frutos mais tarde.

Anos mais tarde, os mesmos estaleiros veriam nascer as naus que levariam o exército de D. João I e um idoso Nun'Álvares Pereira até Ceuta para a primeira conquista de território em África.

Chegado o Século XIX, e com a popularização das férias e dos banhos de mar, a cidade desenvolve-se para a Foz, reduzindo Lordelo do Ouro a local de passagem. É assim que chegamos ao Século XX e Lordelo do Ouro mantém o seu aspecto bucólico, de jardins e quintas, onde a vida se revelaria amarga e trabalhosa durante os tempos do Estado Novo e do Pós-Guerra. Reduzida a meia dúzia de ruas que desciam da Boavista em direcção ao rio, os movimentos sociais da década de 70 escolheriam Lordelo do Ouro como local privilegiado para a expansão imobiliária e para a construção de bairros sociais, que para sempre transfigurariam a freguesia de Lordelo do Ouro.

Património[editar | editar código-fonte]

Arruamentos[editar | editar código-fonte]

A antiga freguesia de Lordelo do Ouro contém 181 arruamentos. São eles:

1Partilhada com a freguesia de Aldoar.

²Partilhada com a freguesia da Cedofeita.

³Partilhada com a freguesia de Massarelos.

4Partilhada com a freguesia de Nevogilde.

5Partilhada com a freguesia de Ramalde.

6Partilhada com a freguesia da Foz do Douro.

7Partilhada com a freguesia de Paranhos.

Colectividades[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Lordelo do Ouro

Referências

  1. «População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano)». Informação no separador "Q601_Norte". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 22 de Março de 2014.. Cópia arquivada em 4 de Dezembro de 2013 
  2. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de janeiro de 2014.
  3. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes