Mônica Salmaso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mônica Salmaso
Monica Salmaso (2015).jpg
A cantora em 2015, no 26º Prêmio da Música Brasileira
Informação geral
Nome completo Mônica Salmaso
Nascimento 27 de fevereiro de 1971 (50 anos)
São Paulo, SP
Gênero(s) MPB, bossa nova, samba
Instrumento(s) vocal, percussão
Extensão vocal meio-soprano
Período em atividade 1989 – presente
Gravadora(s) Lumiar, Trama, Biscoito Fino
Afiliação(ões) Grupo Pau Brasil
Página oficial monicasalmaso.mus.br

Mônica Salmaso (São Paulo, 27 de fevereiro de 1971) é uma cantora brasileira [1] conhecida pelo ecletismo do seu repertório, que abrange um amplo espectro da música brasileira, pela sofisticação do seus arranjos e pelo resgate de composições pouco visitadas.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Mônica Salmaso começou sua carreira cantando na peça "O Concílio do Amor" dirigida pelo premiado diretor Gabriel Villela em 1989.[2]

Em 1995, gravou o CD Afro-sambas, um duo de voz e violão arranjado e produzido pelo violonista Paulo Bellinati, onde interpreta os afro-sambas compostos por Baden Powell e Vinicius de Moraes, recriando assim uma obra que foi vanguarda na década de 60. [3][4]

Em 1996, gravou com Paulo Bellinati a faixa “Felicidade” de Tom Jobim e Vinícius de Moraes no CD Songbook Tom Jobim, pela Lumiar. Lançou em 1998 pelo selo Pau Brasil seu segundo CD, Trampolim, com a produção de Rodolfo Stroeter e as participações de Naná Vasconcelos, Toninho Ferragutti, Paulo Bellinati, entre outros.

Gravou pela Eldorado em 1999 seu terceiro CD, Voadeira, também produzido por Rodolfo Stroeter. Participam do disco, entre outros, Marcos Suzano, Benjamim Taubkin, Toninho Ferragutti, Paulo Bellinati e Nailor "Proveta" Azevedo. A Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) considerou o álbum um dos dez melhores do ano, e Mônica ganhou o prêmio APCA de Melhor Cantora.[5][6]

Foi a convidada especial de uma das noites do Heineken Concerts em 2000. Participou da trilha "Ocorpo" composta por Arnaldo Antunes para o Grupo Corpo em 2000. No mesmo ano, foi finalista do Festival da Música Brasileira promovido pela Rede Globo, com a canção "Estrela da Manhã" de Beto Furquim. Os CDs Trampolim e Voadeira foram lançados em países da Europa, no Japão, nos Estados Unidos, Canadá e México.

Em 2007, lançou o CD Noites de Gala, Samba na rua, com um repertório de canções de Chico Buarque. Posteriormente, fez uma turnê para divulgar o CD pelo Brasil e em países europeus. O álbum foi indicado para o prêmio de Melhor Álbum de MPB no Grammy Latino de 2007.

Entre 2009 e 2010, participou do projeto "Afro Samba Jazz", dos músicos Mario Adnet e Philippe Powell, que misturaram o Afro Samba criado por Vinicius de Moraes e Baden Powell ao Jazz. Em 2011, foi lançado o álbum "Alma Lírica Brasileira", um trabalho concebido a seis mãos com seu marido Teco Cardoso (saxofones e flautas) e o regente Nélson Ayres (piano). O álbum foi indicado para o prêmio de Melhor Álbum de MPB no Grammy Latino de 2011,[7] e Mônica venceu o 23º Prêmio da Música Brasileira como Melhor Cantora de MPB.[8]

Em 2014, foi lançado o álbum "Corpo de Baile", contendo 14 canções compostas em parceria por Guinga e Paulo César Pinheiro; várias das canções nunca haviam sido gravadas antes, algumas estando guardadas por 40 anos. Com este álbum, Mônica Salmaso ganhou em 2015 o 26º Prêmio da Música Brasileira na categoria Melhor Cantora de MPB. Sua canção "Sedutora" também foi premiada na ocasião, na categoria Melhor Canção de Pop/rock/reggae/hip-hop/funk.[9][10]

Em 2017, lançou, pela gravadora Biscoito Fino, o disco “Caipira”, produzido pela própria cantora e pelo flautista Teco Cardoso. O trabalho contou com 14 faixas, entre elas “Caipira” (Breno Ruiz e Paulo César Pinheiro), “Minha vida” (Vieira e Carreirinho) - com participação do violeiro Neymar Dias - “Água da minha sede” (Dudu Nobre e Roque Ferreira), “Feriado na roça” (Cartola), “Bom dia” (Gilberto Gil e Nana Caymmi), “Leilão” (Hekel Tavares e Joracy Camargo), “Açude verde” (Sérgio Santos e Paulo César Pinheiro), “Primeira estrela de prata” (Rafael Alterio e Rita Alterio), “Saíra” (Sérgio Santos), “Saracura três potes” (Cândido Canela e Téo Azevedo) - com participação vocal de Rolando Boldrin - “Baile Perfumado” (Roque Ferreira), “Sonora garoa” (Marco Antonio Vilalba) - com participação do cantor e pianista André Mehmari - e “A velha” (Zezinho da Viola).[11]

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Resultado
1999 Prêmio Visa MPB Venceu[12]
2007 Grammy Awards Best Album - MPB Indicado[13]
2015 Premio da Música Brasileira MPB - Melhor Cantora Venceu[14]
2018 Premio da Música Brasileira Regional - Melhor Cantora Venceu[15]
2018 Premio da Música Brasileira Regional - Melhor Álbum Venceu[15]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ano Album Gravadora
2017 Caipira Biscoito Fino
2014 Corpo de Baile Biscoito Fino
2011 Alma Lírica Brasileira Biscoito Fino
2009 Noites de Gala, ao vivo Biscoito Fino
2008 Noites de Gala, Samba na Rua (DVD) Biscoito Fino
2008 Nem 1 ai Pau Brasil
2007 Noites de Gala, Samba na Rua Biscoito Fino
2004 Iaiá Biscoito Fino
1999 Voadeira Eldorado
1998 Trampolim Pau Brasil
1995 Afro-sambas GSP Recordings

Também participou como cantora convidada em mais de 60 álbuns de outros artistas.[8]

Referências

  1. «Monica Salmaso - Biografia». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Consultado em 27 de Novembro de 2011 
  2. a b «Enciclópedia Itaú Cultural». Consultado em 13 de maio de 2021 
  3. «Os Afrosambas» 
  4. COLOMBO, SYLVIA (10 de setembro de 1996). «Afro-sambas ganham nova roupagem». Folha de São Paulo. Consultado em 28 de maio de 2021 
  5. «MPBNet». Consultado em 13 de maio de 2021 
  6. «APCA premia os destaques de 99». Folha de São Paulo. Consultado em 13 de maio de 2021 
  7. grammy.com - pdf
  8. a b Discografia
  9. «Veja os vencedores do 26º Prêmio da Música Brasileira». G1. Grupo Globo. 11 de Junho de 2015. Consultado em 15 de Junho de 2015 
  10. 26º Prêmio da Música Brasileira: "E os vencedores são..."
  11. «Dicionário MPB». Consultado em 12 de maio de 2021 
  12. «Dicionário Cravo Albin da Musica Popular Brasileira». Consultado em 13 de maio de 2021 
  13. «8th Annual Latin Grammy Awards». Consultado em 13 de maio de 2021 
  14. «Prêmio da Música Brasileira» 
  15. a b «Prêmio da Música Brasileira». Consultado em 13 de maio de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma cantora é um esboço relacionado ao Projeto Música. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.