Mandingas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre um povo da África. Para outros significados, veja Mandinga.
Mandingas / Mandinka
MandingoChildren.jpg
Crianças mandingas em Kedougou (Senegal)
População total

11 milhões

Regiões com população significativa
Costa do Marfim 3.123.420
Guiné 3.063.431
Mali 2.399.080
 Burkina Faso 1.984.200
Gâmbia 714.000
Senegal 687.822
Serra Leoa 465.813
Chade 361.785
Guiné-Bissau 208.180
Libéria 150.300
Línguas
mandinga
Religiões
Islamismo (99%)

Os mandingas[1][2] (em mandinga: Mandinka) ou Malinke (também conhecidos como Maninka, Manding, Mandingo, Mandenka, Dioula, Bambara e Mandinko)[3] são um grupo étnico da África ocidental, [4] com uma população estimada em 45 milhões de pessoas.

Os mandingas são remanescentes do Império do Mali, o qual foi fundado no século XIII pelo Mansa Sundiata Queita. Migraram para o oeste, através do rio Níger, em busca de melhores terras cultiváveis e oportunidades de conquista.[5][6]

São originários do atuais Mali, Gâmbia, Guiné, Serra Leoa, Senegal, Burquina Fasso, Libéria, Guiné-Bissau, Níger, Mauritânia e Costa do Marfim. Apesar de dispersos, os Mandingas constituem o maior grupo étnico no Mali, na Guiné e em Gâmbia.[7]

Referências

  1. «Mandinga». Michaelis On-Line. Consultado em 6 de novembro de 2016 
  2. «Definição ou significado de mandinga no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa com Acordo Ortográfico». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 6 de novembro de 2016 
  3. Godfrey Mwakikagile (2010). The Gambia and Its People: Ethnic Identities and Cultural Integration in Africa. [S.l.]: New Africa Press. pp. 43–44. ISBN 978-9987-16-023-5 
  4. James Stuart Olson (1996). The Peoples of Africa: An Ethnohistorical Dictionary. [S.l.]: Greenwood. pp. 366–367. ISBN 978-0-313-27918-8 
  5. Logon, Roberta A. (maio de 2007). «Sundiata of Mali». Calliope. 17 (9): 34–38 
  6. Quinn, Charlotte A.; Quinn (dezembro de 1973). «Mandingo Kingdoms of the Senegambia: Traditionalism, Islam and European Expansion». The American Historical Review. 78 (5): 1506–1507. JSTOR 1854194. doi:10.2307/1854194 
  7. Anthony Appiah; Henry Louis Gates (2010). Encyclopedia of Africa. [S.l.]: Oxford University Press. pp. 135–136. ISBN 978-0-19-533770-9 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre etnologia ou sobre um(a) etnólogo(a) é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.