Mandingas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre um povo da África. Para outros significados, veja Mandinga.
Mandingas / Mandinka
População total

11 milhões

Regiões com população significativa
Costa do Marfim 3.123.420
Guiné 3.063.431
Mali 2.399.080
 Burkina Faso 1.984.200
Gâmbia 714.000
Senegal 687.822
Serra Leoa 465.813
Chade 361.785
Guiné-Bissau 208.180
Libéria 150.300
Línguas
mandinga
Religiões
Islamismo (99%)

Os mandingas[1][2] (em mandinga: Mandinka) ou Malinke (também conhecidos como Maninka, Manding, Mandingo, Mandenka, Dioula, Bambara e Mandinko)[3] são um Grupo étnico do Oeste africano[4] com uma população global estimada em 45 milhões de pessoas.

Os mandingas são descententes do Império do Mali, o qual foi fundado no século XIII pelo Mansa Sundiata Keita. Migraram a Oeste pelo Rio Níger em busca de melhores terras cultiváveis e oportunidades de conquista.[5]

São originários do Oeste africano no Mali, na Gâmbia, Guiné, Serra Leoa, Senegal, Burkina Faso, Liberia, Guiné-Bissau, Niger, Mauritania e Costa do Marfim. Apesar de dispersos, os Mandingas constituem o maior grupo étnico apenas em Mali, Guiné e Gâmbia.[6]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre antropologia ou um antropólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Mandinga». Michaelis On-Line. Consultado em 6 de novembro de 2016 
  2. «Definição ou significado de mandinga no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa com Acordo Ortográfico». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 6 de novembro de 2016 
  3. Godfrey Mwakikagile (2010). The Gambia and Its People: Ethnic Identities and Cultural Integration in Africa. [S.l.]: New Africa Press. pp. 43–44. ISBN 978-9987-16-023-5 
  4. James Stuart Olson (1996). The Peoples of Africa: An Ethnohistorical Dictionary. [S.l.]: Greenwood. pp. 366–367. ISBN 978-0-313-27918-8 
  5. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome ref1
  6. Anthony Appiah; Henry Louis Gates (2010). Encyclopedia of Africa. [S.l.]: Oxford University Press. pp. 135–136. ISBN 978-0-19-533770-9