Marchas populares de Lisboa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

As marchas populares de Lisboa remontam a 1932, quando foram organizadas as primeiras marchas competitivas, sob orientação de José Leitão de Barros, então director do Notícias Ilustrado, apoiado pelo olisipógrafo Norberto de Araújo e pelo Diário de Lisboa[1]. Esta é uma das mais antigas e crescentes tradições da cidade de Lisboa (às marchas juntaram-se, em 1958, os casamentos de Santo António).[2] Porém, em Lisboa já se realizavam marchas desde o século XVIII.[3]

A Fadista Amália Rodrigues foi, desde o primeiro momento, marchante na então Marcha de Alcântara[1].

Em 1940 saíram à rua, mais importantes que nunca, na comemoração de um duplo centenário, da Fundação do Estado Português (1140) e da Restauração da Independência (1640)[1].

Edição de 2022[editar | editar código-fonte]

Após 2 anos sem a realização das marchas populares de Lisboa devido à pandemia da Covid-19 as mesmas voltam sob o tema dos 100 anos do nascimento de Amália Rodrigues, que fora primeiramente atribuído em 2020.

Grande Marcha de Lisboa de 2022[editar | editar código-fonte]

Das 42 candidaturas a concurso, foi a canção composta por Joaquim Isqueiro (letra) e José Reza (música) que foi escolhida pelo júri composto por Renato Júnior, representante da Sociedade Portuguesa de Autores, e pelos músicos Carlos Mendes e Rita Guerra.

"Amália é Lisboa" foi a marcha que todos os participantes tiveram que apresentar e interpretar tanto nas exibições como no desfile das marchas populares, tendo sido, tal como aconteceu com o tema das marchas populares de Lisboa 2022, trazida da edição de 2020, que não se chegou a realizar. [4]

Exibições e desfile na avenida[editar | editar código-fonte]

A edição de 2022 teve 20 marchas a concurso e outras 5 extraconcurso. As exibições decorreram nos dias 3, 4 e 5 de Junho, no Altice Arena, em Lisboa, e o desfile da avenida teve lugar no dia 12 de Junho, na Avenida da Liberdade, em Lisboa, como manda a tradição.

Classificação Geral[editar | editar código-fonte]

O pódio das edições das marchas populares foi o seguinte:[5] [6]

Edição Vencedora 2º Lugar 3º Lugar Marchas
1932a Campo de Ourique Bairro Alto Alto do Pina 3
1932b Madragoa Alfama Alto do Pina 6
1934 Alfama Madragoa Ajuda, Alcântara, Alto do Pina, Bairro Alto, Benfica, Campo de Ourique, Mouraria, Santo Amaro, São Vicente e Sete Rios (ex-aequo) 12
1935 Alfama, Benfica, Campolide, Castelo, Graça e Madragoa (ex-aequo) Ajuda, Alcântara, Chelas, Mouraria, Santa Clara e São Vicente (ex-aequo) 12+2
1940 Alfama, Benfica, Madragoa e São Vicente (ex-aequo) Bairro Alto, Castelo, Graça e Mouraria (ex-aequo) Alcântara, Campo de Ourique, Lapa e São Bento (ex-aequo) 12
1947 Castelo Alfama e Mouraria (ex-aequo) - 11
1950 Madragoa Benfica e Mouraria (ex-aequo) Alfama, Campolide, Graça e São Vicente (ex-aequo) 11
1952 Bica Alfama Mouraria 12
1955 Bica Alcântara Alfama 14+1
1958 Bica Campolide e Marvila (ex-aequo) Alfama e Mouraria (ex-aequo) 14
1963 Bica e Marvila (ex-aequo) Alfama e Campolide (ex-aequo) Madragoa e Mouraria (ex-aequo) 12
1964 Madragoa Campo de Ourique Alto do Pina 11
1965 Madragoa Alcântara Campolide 14
1966 Madragoa Mouraria Bica 19+1
1967 Marvila Madragoa Mouraria 17
1968 Carnide Madragoa Ajuda 15
1969 Mouraria Carnide Ajuda 15
1970 Bica Alfama Mouraria 15
1981 Mouraria Carnide e Castelo (ex-aequo) Ajuda 10
1982 Castelo Mouraria Marvila 14
1983 Castelo Alcântara Alfama 14
1988 Castelo Madragoa Marvila 15+1
1989 Benfica Marvila Castelo 18+1
1990 Alfama Castelo Marvila 18+1
1991 Madragoa Alfama Carnide 19+1
1992 Bica Alfama Madragoa 17+1
1993 Alfama Campolide Marvila 17+1
1994 Madragoa Alcântara Campolide 18+1
1995 Marvila Madragoa Bairro Alto 18+1
1996 Alfama São Vicente Marvila 18+1
1997 Alfama Castelo e São Vicente (ex-aequo) 18+1
1998 Alfama Marvila Madragoa 18+1
1999 Alfama Marvila Castelo 18+1
2000 Alfama Marvila Castelo 18+1
2001 Marvila Alfama Bica 18+1
2002 Marvila Castelo Bica 18+1
2003 Bica Alfama Mouraria 18+1
2004 Alfama Alcântara Madragoa 20+1
2005 Alfama Mouraria Madragoa 20+2
2006 Alfama Madragoa Alcântara 20+2
2007 Alfama[7] Marvila Campolide 20+2
2008 Marvila Alfama Madragoa 20+2
2009 Alfama e Castelo (ex-aequo) Madragoa e Marvila (ex-aequo) 20+2
2010 Alfama[8] Marvila Bica 20+2
2011 Alto do Pina[9] Alfama Madragoa 20+2
2012 Alto do Pina Alfama Alcântara 20+2
2013 Alfama Alto do Pina Bica 20+2
2014 Alfama Alcântara Bairro Alto 20+2
2015 Alto do Pina Alfama Alcântara 20+2
2016 Alfama Penha de França Alto do Pina 20+4
2017 Alfama Bairro Alto Madragoa 20+6
2018 Alfama Bairro Alto Madragoa 20+3
2019 Alto do Pina Alfama Penha de França 20+4
2022 Madragoa Alcântara Alto do Pina 20+5
2023 Bica Bairro Alto Alfama 20+4

Em 2017, as marchas tiveram como mote "Lisboa, Cidade do Mundo", tema que simboliza uma cidade cosmopolita, tolerante e aberta a todos.[10] Em 2018, as marchas tiveram como mote A Canção de Lisboa; uma homenagem ao ator lisboeta Vasco Santana, nos 120 anos do seu nascimento.[11] A Grande Marcha de Lisboa, intitulada "Vasco é Saudade", foi da autoria de Dina Barco e José Condinho.[12]

Palmarés[editar | editar código-fonte]

A tabela abaixo apresenta o palmarés de cada bairro, segundo os pódios obtidos de 1932 até 2022.

Bairro Anos das vitórias
Alfama 21 14 5 40 1934, 1935, 1940, 1990, 1993, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009, 2010, 2013, 2014, 2016, 2017, 2018
Madragoa 10 6 10 26 1932, 1935, 1940, 1950, 1964, 1965, 1966, 1991, 1994, 2022
Bica 8 - 5 13 1952, 1955, 1958, 1963, 1970, 1992, 2003, 2023
Marvila 6 7 6 19 1963, 1967, 1995, 2001, 2002, 2008
Castelo 6 5 3 14 1935, 1947, 1982, 1983, 1988, 2009
Alto do Pina 4 1 6 11 2011, 2012, 2015, 2019
Benfica 3 1 1 5 1935, 1940, 1989
Mouraria 2 7 7 16 1969, 1971
Campolide 1 3 4 8 1935
10º São Vicente 1 3 2 6 1940
11º Carnide 1 2 1 4 1968
12º Graça 1 1 1 3 1935
13º Alcântara - 8 5 13
14º Bairro Alto - 5 3 8
15º Ajuda - 1 4 5
16º Penha de França - 1 1 2
17º Chelas - 1 - 1
- Santa Clara - 1 - 1
19º Santo Amaro - - 1 1
- Sete Rios - - 1 1
- Lapa - - 1 1
- São Bento - - 1 1

Referências