Marchas populares de Lisboa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

As marchas populares de Lisboa remontam a 1932, quando foram organizadas as primeiras marchas competitivas, sob orientação de José Leitão de Barros, então director do Notícias Ilustrado, apoiado pelo olisipógrafo Norberto de Araújo e pelo Diário de Lisboa[1]. Esta é uma das mais antigas e crescentes tradições da cidade de Lisboa (às marchas juntaram-se, em 1958, os casamentos de Santo António).[2] Porém, em Lisboa já se realizavam marchas desde o século XVIII.[3]

A Fadista Amália Rodrigues foi, desde o primeiro momento, marchante na então Marcha de Alcântara[4].

Em 1940 saíram à rua, mais importantes que nunca, na comemoração de um duplo centenário, da Fundação do Estado Português (1140) e da Restauração da Independência (1640)[5].

Edição de 2022[editar | editar código-fonte]

Após 2 anos sem a realização das marchas populares de Lisboa devido à pandemia da Covid-19 as mesmas voltam sob o tema dos 100 anos do nascimento de Amália Rodrigues, que fora primeiramente atribuído em 2020.

Grande Marcha de Lisboa de 2022[editar | editar código-fonte]

Das 42 candidaturas a concurso, foi a canção composta por Joaquim Isqueiro (letra) e José Reza (música) que foi escolhida pelo júri composto por Renato Júnior, representante da Sociedade Portuguesa de Autores, e pelos músicos Carlos Mendes e Rita Guerra.

"Amália é Lisboa" foi a marcha que todos os participantes tiveram que apresentar e interpretar tanto nas exibições como no desfile das marchas populares, tendo sido, tal como aconteceu com o tema das marchas populares de Lisboa 2022, trazida da edição de 2020, que não se chegou a realizar. [6]

Letra [7][editar | editar código-fonte]

Cem anos são pra lembrar

Amália lá vai Lisboa

Ouvindo a Canção do Mar

Cantando o Fado Malhoa

Perguntavas Com que Voz

Com alma, com emoção

Do Cais da Ribeira à Foz

Na Rua do Capelão


E Lisboa é com certeza

Uma Casa Portuguesa

A marchar lá na Avenida

O que ao Santo António peço

Nem às Paredes Confesso

Que Estranha Forma de Vida

REFRÃO:

Se quando a marcha passar

Ouvires Amália cantar

Um fado sobre a cidade

Se Lisboa se enlaçasse

Se uma Gaivota voasse

Do Terreiro à Liberdade


Como Os Amantes do Tejo

Se reviveres um desejo

Nos Becos nas Escadinhas

Então Lisboa é o amor

A Dar de Beber à Dor

Na Casa da Mariquinhas


Pelos bairros à noitinha

Ela cantava Foi Deus

E uma Lágrima caiu

Ao confessar Erros Meus


Nesta saudade guardada

No coração alfacinha

Amália, sempre lembrada

Amália, sempre rainha


E Lisboa é com certeza

Uma Casa Portuguesa

A marchar lá na Avenida

O que ao Santo António peço

Nem às Paredes Confesso

Que Estranha Forma de Vida

Exibições e desfile na avenida[editar | editar código-fonte]

A edição de 2022 teve 20 marchas a concurso e outras 5 extraconcurso. As exibições decorreram nos dias 3, 4 e 5 de Junho, no Altice Arena, em Lisboa, e o desfile da avenida teve lugar no dia 12 de Junho, na Avenida da Liberdade, em Lisboa, como manda a tradição.

Classificação Geral[editar | editar código-fonte]

O pódio das edições das marchas populares foi o seguinte:[8] [9]

Edição Gold medal blank.svg Vencedora Silver medal blank.svg 2º Lugar Bronze medal blank.svg 3º Lugar Marchas
1932a Campo de Ourique Bairro Alto Alto do Pina 3
1932b Madragoa Alfama Alto do Pina 6
1934 Alfama Madragoa Ajuda, Alcântara, Alto do Pina, Bairro Alto, Benfica, Campo de Ourique, Mouraria, Santo Amaro, São Vicente e Sete Rios (ex-aequo) 12
1935 Alfama, Benfica, Campolide, Castelo, Graça e Madragoa (ex-aequo) Ajuda, Alcântara, Chelas, Mouraria, Santa Clara e São Vicente (ex-aequo) 12+2
1940 Alfama, Benfica, Madragoa e São Vicente (ex-aequo) Bairro Alto, Castelo, Graça e Mouraria (ex-aequo) Alcântara, Campo de Ourique, Lapa e São Bento (ex-aequo) 12
1947 Castelo Alfama e Mouraria (ex-aequo) - 11
1950 Madragoa Benfica e Mouraria (ex-aequo) Alfama, Campolide, Graça e São Vicente (ex-aequo) 11
1952 Bica Alfama Mouraria 12
1955 Bica Alcântara Alfama 14+1
1958 Bica Campolide e Marvila (ex-aequo) Alfama e Mouraria (ex-aequo) 14
1963 Bica e Marvila (ex-aequo) Alfama e Campolide (ex-aequo) Madragoa e Mouraria (ex-aequo) 12
1964 Madragoa Campo de Ourique Alto do Pina 11
1965 Madragoa Alcântara Campolide 14
1966 Madragoa Mouraria Bica 19+1
1967 Marvila Madragoa Mouraria 17
1968 Carnide Madragoa Ajuda 15
1969 Mouraria Carnide Ajuda 15
1970 Bica Alfama Mouraria 15
1981 Mouraria Carnide e Castelo (ex-aequo) Ajuda 10
1982 Castelo Mouraria Marvila 14
1983 Castelo Alcântara Alfama 14
1988 Castelo Madragoa Marvila 15+1
1989 Benfica Marvila Castelo 18+1
1990 Alfama Castelo Marvila 18+1
1991 Madragoa Alfama Carnide 19+1
1992 Bica Alfama Madragoa 17+1
1993 Alfama Campolide Marvila 17+1
1994 Madragoa Alcântara Campolide 18+1
1995 Marvila Madragoa Bairro Alto 18+1
1996 Alfama São Vicente Marvila 18+1
1997 Alfama Castelo e São Vicente (ex-aequo) 18+1
1998 Alfama Marvila Madragoa 18+1
1999 Alfama Marvila Castelo 18+1
2000 Alfama Marvila Castelo 18+1
2001 Marvila Alfama Bica
2002 Marvila Castelo Bica
2003 Bica Alfama Mouraria
2004 Alfama Alcântara Madragoa
2005 Alfama Mouraria Madragoa
2006 Alfama Madragoa Alcântara
2007 Alfama[10] Marvila Campolide
2008 Marvila Alfama Madragoa
2009 Alfama e Castelo (ex-aequo) Madragoa e Marvila (ex-aequo)
2010 Alfama[11] Marvila Bica
2011 Alto do Pina[12] Alfama Madragoa
2012 Alto do Pina Alfama Alcântara
2013 Alfama Alto do Pina Bica
2014 Alfama Alcântara Bairro Alto
2015 Alto do Pina Alfama Alcântara
2016 Alfama Penha de França Alto do Pina
2017 Alfama Bairro Alto Madragoa
2018 Alfama Bairro Alto Madragoa
2019 Alto do Pina Alfama Penha de França
2022 Madragoa Alcântara Alto do Pina 20+5

Em 2017, as marchas tiveram como mote "Lisboa, Cidade do Mundo", tema que simboliza uma cidade cosmopolita, tolerante e aberta a todos.[13] Em 2018, as marchas tiveram como mote A Canção de Lisboa; uma homenagem ao ator lisboeta Vasco Santana, nos 120 anos do seu nascimento.[14] A Grande Marcha de Lisboa, intitulada "Vasco é Saudade", foi da autoria de Dina Barco e José Condinho.[15]

Palmarés[editar | editar código-fonte]

A tabela abaixo apresenta o palmarés de cada bairro, segundo os pódios obtidos de 1932 até 2022.

Bairro Gold medal icon.svg Silver medal icon.svg Bronze medal icon.svg Medals icon.svg Anos das vitórias
Alfama 21 14 4 39 1934, 1935, 1940, 1990, 1993, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009, 2010, 2013, 2014, 2016, 2017, 2018
Madragoa 10 6 10 26 1932, 1935, 1940, 1950, 1964, 1965, 1966, 1991, 1994, 2022
Bica 7 - 5 12 1952, 1955, 1958, 1963, 1970, 1992, 2003
Marvila 6 7 6 19 1963, 1967, 1995, 2001, 2002, 2008
Castelo 6 5 3 14 1935, 1947, 1982, 1983, 1988, 2009
Alto do Pina 4 1 6 11 2011, 2012, 2015, 2019
Mouraria 2 7 7 16 1969, 1971
Campolide 1 3 4 8 1935
São Vicente 1 3 2 6 1940
10º Carnide 1 2 1 4 1968
11º Graça 1 1 1 3 1935
12º Alcântara - 8 5 13
13º Bairro Alto - 4 3 7
14º Ajuda - 1 4 5
15º Penha de França - 1 1 2
16º Chelas - 1 - 1
- Santa Clara - 1 - 1
18º Santo Amaro - - 1 1
- Sete Rios - - 1 1
- Lapa - - 1 1
- São Bento - - 1 1

Referências

  1. As Marchas Populares, por Gabriela Carvalho, Fundação António Quadros, Newsletter Nº 136 / 14 de Junho de 2018
  2. Breve História das Marchas de Lisboa
  3. Castro, Bruna (21 de junho de 2018). «Canções, cantigas e marchas populares: a história». Lisboa Secreta. Consultado em 24 de maio de 2020 
  4. As Marchas Populares, por Gabriela Carvalho, Fundação António Quadros, Newsletter Nº 136 / 14 de Junho de 2018
  5. As Marchas Populares, por Gabriela Carvalho, Fundação António Quadros, Newsletter Nº 136 / 14 de Junho de 2018
  6. https://olharesdelisboa.pt/amalia-e-lisboa-venceu-grande-marcha/
  7. https://www.youtube.com/watch?v=WEuqkcSBA3s
  8. Resultados das marchas de Lisboa desde 1990 até 2008 (Consultado em 12 de junho de 2018)
  9. [1]
  10. Resultados das Marchas de 2007
  11. Diário de Notícias (13 de junho de 2010). «Marchas de Lisboa: Alfama vencedora da edição deste ano». Controlinveste Media. Consultado em 13 de Junho de 2011 
  12. Correio da Manhã (13 de junho de 2011). «Alto do Pina vence Marchas de Lisboa». Cofina. Consultado em 13 de junho de 2011 
  13. «"Lisboa Cidade do Mundo" marca o ritmo das Marchas 2017». Câmara Municipal de Lisboa. 16 de dezembro de 2016. Consultado em 12 de junho de 2017 
  14. «"Canção de Lisboa" e homenagem a Vasco Santana é o tema das Marchas Populares 2018». Câmara Municipal de Lisboa. 11 de dezembro de 2017. Consultado em 13 de junho de 2018 
  15. «"Vasco é saudade" é a composição vencedora do Concurso da Grande Marcha de Lisboa 2018». Câmara Municipal de Lisboa. 14 de março de 2018. Consultado em 13 de junho de 2018