Marco Valério Messala Níger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Marco Valério Messala.
Marco Valério Messala Níger
Cônsul da República Romana
Consulado 61 a.C.

Marco Valério Messala Níger (em latim: Marcus Valerius Messalla Niger) foi um político da gente Valéria da República Romana eleito cônsul em 61 a.C. com Marco Púpio Pisão Frúgio Calpurniano.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Messala foi pretor no ano do consulado de Cícero, 63 a.C., e cônsul dois anos depois com Marco Púpio Pisão Frúgio Calpurniano,[1] o mesmo ano no qual Públio Clódio Pulcro profanou os mistérios de Bona Dea e Pompeu triunfou por conta de suas vitórias contra os piratas da Cilícia, Tigranes II da Armênia e Mitrídates VI do Ponto. Messala, como cônsul, teve um papel preponderante no processo contra Clódio.

Em 55 a.C., foi eleito censor com Públio Servílio Vácia Isáurico, o cônsul em 79 a.C..

Jurista e orador[editar | editar código-fonte]

Cícero o considerava um orador respeitável. Em 80 a.C., Messala esteve envolvido na coleta de evidências para a defesa na causa de Sexto Róscio de Ameria.[2] Em 62 a.C., solicitou a Cícero que defendesse seu parente, Públio Cornélio Sula.[3] Em 54 a.C., foi um dos seis oradores que Marco Emílio Escauro contratou para seu próprio julgamento.[4][5]

Família[editar | editar código-fonte]

Messala casou-se com uma irmã de Quinto Hortênsio Hórtalo[6] seria pai de Valéria Messala, a quarta esposa de Sula, e de Marco Valério Messala Rufo, cônsul em 53 a.C.[7].[8][9][10][11] De acordo com William Smith, Plutarco errou ao listá-la como irmã de Quinto Hortênsio Hórtalo, o que teria sido causado porque uma irmã de Hortênsio se casou com algum Valério Messala[12].

Outra teoria defende que Messala casou-se com uma romana chamada Pola, com quem teve um filho, Marco Valério Messala Corvino, que foi cônsul sufecto em 31 a.C., e duas filhas, ambas chamadas Valéria, casadas com Quinto Pédio e Sérvio Sulpício Rufo, filho do cônsul em 51 a.C., respectivamente.[13]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul da República Romana
SPQR.svg
Precedido por:
'Décimo Júnio Silano

com Lúcio Licínio Murena

Marco Valério Messala Níger
61 a.C.

com Marco Púpio Pisão Frúgio Calpurniano

Sucedido por:
'Lúcio Afrânio

com Quinto Cecílio Metelo Céler


Referências

  1. Julius Caesar (4 de abril de 1996). The Gallic War: Seven Commentaries on The Gallic War with an Eighth Commentary by Aulus Hirtius (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press. pp. 531–. ISBN 978-0-19-160566-6 
  2. Cícero, Pro Sextus Roscius de Ameria 51
  3. Cícero, Pro Sulla 6
  4. Ascônio, In Scaurian. p. 20, ed. Orelli
  5. Cicero, (23 de fevereiro de 2006). On Government. [S.l.]: Penguin Books Limited. pp. 379–. ISBN 978-0-14-191253-0 
  6. Cíceri, Epistulae ad Familiares, libro viii. 2, 4
  7. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Sula, 35.3-5 [em linha]
  8. Dião Cássio, História Romana XXXVII 46
  9. Júlio César, De Bello Gallico I 2
  10. Plínio História Natural VII 26, VIII 36, XXXVIII 2.
  11. Cícero, Epistulae ad Atticum I 12, 13.
  12. William Smith, A Dictionary of Greek and Roman biography and mythology, 2. Valeria [em linha]
  13. Syme, R., Augustan Aristocracy, pages 20 and 206.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]