Maria Elisa Domingues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Maria Elisa
Nome completo Maria Elisa Rogado Contente Domingues Hartman
Nascimento 4 de junho de 1950
Lisboa, Portugal
Ocupação Jornalista, escritora
Nacionalidade portuguesa

Maria Elisa Rogado Contente Domingues Hartman ComM (Lisboa, 4 de junho de 1950) é uma jornalista, escritora e política portuguesa[1].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Na infância passou algum tempo no Ribatejo. A seguir, de novo em Lisboa, frequentou o Liceu D. Filipa de Lencastre e ingressou na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Durante dois anos, ao mesmo tempo que estudava medicina, frequentava o Curso de Teatro do Conservatório Nacional. Admitida na RTP em 1971, deixou então os estudos.

Na RTP integrou um grupo composto por Ana Zanatti, Eládio Clímaco, Fernanda Andrade, Fernando Balsinha e Raul Durão. Apresentou o Telejornal; foi diretora de programas e membro do Conselho de Administração.

A par da carreira na televisão, Maria Elisa foi assessora de imprensa da primeira-ministra Maria de Lourdes Pintasilgo e desempenhou as funções de conselheira de imprensa da Embaixada de Portugal em Madrid (entre 1986 e 1988)[2], e de conselheira cultural da Embaixada de Portugal em Londres (entre 2004 e 2006).

Foi eleita deputada à Assembleia da República, nas listas do PSD pelo Círculo de Castelo Branco, em 2002[3]. No Parlamento, criticou a atuação dos meios de comunicação[4] e defendeu a legalização do aborto[5].

Foi colaboradora regular da imprensa escrita, tendo publicado centenas de crónicas, reportagens e entrevistas, nomeadamente nos jornais Diário de Notícias, Público, Expresso, e nas revistas Visão, Máxima, Elle e Vogue.

Assumiu, ainda, o lançamento da revista Marie Claire em Portugal e criou e dirigiu o Serviço de Comunicação da Fundação Calouste Gulbenkian (1995-1998).

Actualmente é cronista regular na plataforma digital "capazes".

É casada com o norte-americano Stanford Hartman desde 2012.

Condecoração[editar | editar código-fonte]

Em 22 de abril de 1989, foi feita Comendadora da Ordem do Mérito pelo Presidente da República Mário Soares.[6]

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Maria Elisa Domingues. Assembleia da República
  2. Elas dominam as entrevistas. Correio da Manhã
  3. Social-democratas aprovam estratégia eleitoral para 2009 (c/som). Jornal do Fundão, 24 Nov 2008
  4. Maria Elisa critica cobertura das televisões. TSF - Grande Júri, 28 de novembro de 2002
  5. Maria Elisa Domingues. TSF - Grande Júri, 16 de fevereiro de 2002
  6. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Maria Elisa Rogado Contente Domingues". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 3 de março de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Glória de Matos e Artur Agostinho
Apresentadores do Festival RTP da Canção
1975
(com José Nuno Martins)
Sucedido por
António Vitorino de Almeida, Ana Zanatti e Eládio Clímaco
Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.