Marlui Miranda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A cantora em 2015, no 26º Prêmio da Música Brasileira

Marlui Nóbrega Miranda (Fortaleza, 12 de outubro de 1949) é uma compositora, cantora e pesquisadora da cultura indígena brasileira. É irmã da jornalista e escritora Ana Maria Miranda e casada com o fotógrafo Marcos Santili.

Em 1959, mudou-se para Brasília. Na capital do Brasil graduou-se em Arquitetura pela Universidade de Brasília e em Regência na Faculdade Santa Marcelina. No ano de 1971 voltou a morar no Rio de Janeiro. Estudou também no Conservatório Villa-Lobos. A partir de 1974 trabalhou com pesquisa de tradições musicais dos povos da Amazônia.

Estudou violão com Turíbio Santos, Oscar Cárceres, Jodacil Damaceno, João Pedro Borges e Paulo Bellinati. Tocou com Egberto Gismonti, Taiguara e Milton Nascimento. Em 1998 participou do disco O Sol de Oslo com Gilberto Gil, Bugge Wesseltoft, Trilok Gurtu, Rodolfo Stroeter e Toninho Ferragutti.

Em 2015, ganhou o 26º Prêmio da Música Brasileira na categoria Melhor Cantora Regional.[1]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 2 Ihu Kewere: Rezar (1997)
  • Ihu - Todos Os Sons (1996)
  • Rio Acima (1986)
  • Revivência (1983)
  • Olho D'água (1979)
    • Faixas
  1. Vinho do Porto (Ana Maria Bahiana, Marlui Miranda)
  2. No Pilar (Jararaca)
  3. Pitanga (Capinan, Marlui Miranda)
  4. Estrela do Indaiá (Xico Chaves, Marlui Miranda)
  5. Olho d'água (Marlui Miranda)
  6. Marimbondo (Xico Chaves, Marlui Miranda)
  7. Grupo Krahó (Indios Krahó)
  8. Acorda Maria Bonita (Volta Seca)
  9. Herculano (Xico Chaves, Marlui Miranda)
  10. Sodade meu bem, sodade (Zé do Norte)
  11. Calypso (Geraldo Carneiro, Egberto Gismonti)

Referências

  1. «Veja os vencedores do 26º Prêmio da Música Brasileira». G1. Grupo Globo. 11 de Junho de 2015. Consultado em 15 de Junho de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.