Miklós Németh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Miklós Németh
Nascimento 24 de janeiro de 1948 (71 anos)
Cidadania Hungria
Alma mater Universidade Harvard
Ocupação político, economista
Prêmios Ordem do Mérito da República da Hungria

Miklós Németh (Monok, Hungria, 14 de janeiro de 1948) é um economista e político húngaro. Foi primeiro-ministro do seu país, entre 23 de novembro de 1988 e 23 de maio de 1990. Era um dos dirigentes do Partido Socialista Operário Húngaro, à época da queda do comunismo na Europa central e na Europa oriental.

Como primeiro-ministro, Miklós Németh tomou a controversa decisão de permitir aos alemães orientais passarem pela Hungria para chegar à República Federal da Alemanha. Animado pelas promessas de abertura do líder soviético Gorbachev, Németh decidiu não recuperar a cerca de arame construída ao longo da fronteira entre a Hungria e a Áustria - uma despesa que lhe parecia muito alta.

Em março de 1989, Németh visitou Gorbachev e informou-o sobre sua decisão de começar a abrir a fronteira.[1] Essa decisão marcou, do ponto de vista prático, o fim da barreira física entre Europa Oriental e Ocidental mantida ao longo da Guerra Fria. O ato abriu caminho para a queda do muro de Berlim, em 9 de novembro de 1989.[2]

Depois de concluir seu mandato, em 1990, Németh tornou-se vice-presidente do recém criado Banco Europeu para Reconstrução e Desenvolvimento (BERD), destinado a apoiar os países do antigo bloco soviético na transição para a economia de mercado. Németh deixou o BERD em 2000 para voltar à Hungria, onde tentou, sem êxito, candidatar-se pelo Partido Socialista Húngaro (ex-Partido Socialista Operário Húngaro) ao posto de primeiro-ministro. Péter Medgyessy foi indicado pelo partido em seu lugar e tornou-se primeiro-ministro da Hungria, em 2002.

Referências

Precedido por
Károly Grósz
Primeiro ministro da Hungria
1988 - 1990
Sucedido por
József Antall
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.