Viktor Orbán

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Viktor Orbán
Viktor Orbán
Primeiro-ministro da Hungria
Período 29 de maio de 2010 – presente
Antecessor Gordon Bajnai
Primeiro-ministro da Hungria
Período 6 de julho de 199827 de maio de 2002
Antecessor Gyula Horn
Sucessor Péter Medgyessy
Presidente do Fidesz
Período 17 de maio de 2003 – presente
18 de abril de 199329 de janeiro de 2000
Membro da Assembleia Nacional
Período 2 de maio de 1990 – presente
Dados pessoais
Nascimento 31 de maio de 1963 (57 anos)
Székesfehérvár, Hungria
Nacionalidade húngaro
Alma mater Universidade Eötvös Loránd
Pembroke College, Oxford
Cônjuge Anikó Lévai (c. 1986)
Filhos 5
Partido Fidesz
Profissão político

Viktor Mihály Orbán (Székesfehérvár, 31 de maio de 1963) é um político húngaro que, desde 2010, serve como primeiro-ministro do seu país, tendo exercido o cargo também entre 1998 e 2002. Orbán é líder do Fidesz, um partido nacional-conservador[1][2] de direita[3] que é, atualmente, o maior partido político da Hungria.[4]

Estudou Direito na Universidade Eötvös Loránd, em Budapeste, onde se graduou em 1987. Os dois anos seguintes residiu em Szolnok, porém retornou a Budapeste onde trabalhou como sociólogo no Instituto de Treinamento Gerencial do Ministério da Agricultura e Alimentação. Em 1989 recebeu uma bolsa de estudos da Fundação Soros[5] e passou um ano em Oxford, onde estudou no Pembroke College.

Orbán é fundador do partido Fidesz,[6] criado por ele em 30 de março de 1988. No ano seguinte, ele discursou na praça dos Heróis, em Budapeste, durante o re-sepultamento de Imre Nagy e outros mártires da Revolução Húngara de 1956. O discurso tornou-o conhecido nacionalmente e politicamente. Ainda em 1989 ele tomou parte da mesa-redonda de negociação das oposições. Orbán ocupa também a vice-presidência do Partido Popular Europeu desde outubro de 2002. Em 1990 ele se tornou membro do parlamento húngaro e líder de seu partido, que se transformou de liberal (o Fidesz pertencera à Internacional Liberal) em um partido conservador de centro-direita, após o colapso da direita nacional em 1994.

Reputado como um dos mais notórios políticos de extrema-direita da Europa,[7][8][9][10][11] é conhecido por suas visões majoritariamente conservadoras, nacionalistas, anti-imigração e um tanto eurocética, a frente de um "governo iliberal".[12] No período que esteve no poder, a Hungria viu várias de suas instituições democráticas sendo enfraquecidas, incluindo coerção de órgãos de imprensa, ataque a opositores e censura, levando várias nações e figuras públicas a tachá-lo como um autoritário.[13][14][15][16]

Referências

  1. Nordsieck, Wolfram (2018). «Hungary». Parties and Elections in Europe 
  2. Hloušek, Vít; Kopeček, Lubomír (2010), Origin, Ideology and Transformation of Political Parties: East-Central and Western Europe Compared, Ashgate, p. 115 
  3. Bakke, Elisabeth (2010), «Central and East European party systems since 1989», ISBN 9781139487504, Cambridge University Press, Central and Southeast European Politics Since 1989, p. 79 
  4. Bayer, Lili (10 de abril de 2018). «Orbán poised to tighten grip on power». Politico 
  5. Viktor Orban. Encyclopædia Britannica.
  6. Site do partido Fidesz
  7. Steve Bannon plans to advise Hungary's far-right PM Viktor Orban. ‘We will spend a lot of time in Hungary,’ says US strategist. Por Adam Forrest. The Independent, 17 de novembro de 2018.
  8. Fears that Viktor Orban plans to create a powerful far-right alliance across Europe. The Sunday Times, 16 de setembro de 2018.
  9. Hungary Turned Far Right. That’s Meant Millions for Its Opera. The New York Times, 26 de outubro de 2018.
  10. En Europe, l’extrême droite salue le succès de Viktor Orban en Hongrie. Le Monde, 10 de abril 2018.
  11. Moscovici: "Salviamo l'Europa da Salvini, Orban, Le Pen. Ue rischia di implodere". Rai News, 4 de outubro de 2018.
  12. «Prime Minister Viktor Orbán's speech at the 25th Bálványos Summer Free University and Student Camp». 30 de julho de 2014 
  13. Meijers, Maurits; van der Veer, Harmen. «Hungary's government is increasingly autocratic. What is the European Parliament doing about it?». The Washington Post. Consultado em 17 de dezembro de 2017 
  14. «What to do when Viktor Orban erodes democracy». The Economist. Consultado em 17 de dezembro de 2017 
  15. Kingsley, Patrick (10 de fevereiro de 2018). «As West Fears the Rise of Autocrats, Hungary Shows What's Possible». The New York Times. ISSN 0362-4331. Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  16. Kelemen, R. Daniel (2017). «Europe's Other Democratic Deficit: National Authoritarianism in Europe's Democratic Union». Government and Opposition (em inglês). 52 (2): 211–238. ISSN 0017-257X. doi:10.1017/gov.2016.41 


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Viktor Orbán
Precedido por
Gyula Horn
Primeiro ministro da Hungria
1998–2002
Sucedido por
Péter Medgyessy
Precedido por
Gordon Bajnai
Primeiro-ministro da Hungria
2010–presente
Sucedido por
Incumbente

Ligações externas[editar | editar código-fonte]